Artigos? Envie para o email marcelopassossenador@gmail.com

Pesquisa Web

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Chávez está morto há quatro dias, afirma ex-embaixador do Panamá na OEA


Os rumores sobre a possível morte do presidente venezuelano Hugo Chávez voltaram a ganhar reforço nesta semana. O ex-embaixador do Panamá na OEA (Organização dos Estados Americanos, Guillermo Cochez, publicou no microblog Twitter que o político já morreu.

De acordo com o diplomata, a família teria resolvido desligar os aparelhos. "O presidente Chávez está morto há quatro dias. Ele estava com morte cerebral desde 30 ou 31 de dezembro. Seus filhos decidiram desconectar", revelou.

Guillermo é crítico de Chávez e não quis revelar qual seria a fonte da informação, se limitando a falar que a notícia teria partido de dentro da própria equipe do governo.

O ex-embaixador desafiou, também por meio da rede social, o vice-presidente Nicolás Maduro a provar o contrário. "Que me desminta, mostrando o presidente Chávez", alfinetou.

Ney Matogrosso abre turnê em Juiz de Fora


O cantor visita a capital mineira, em maio, para apresentação no Palácio das Artes

O Cine-Theatro Central, em Juiz de Fora, recebe Ney Matogrosso nesta quinta-feira, 28. O cantor e compositorescolheu o tradicional palco da cidade mineira, inaugurado em 1929, para a estreia nacional da turnê 'Atento aos sinais', que comemora seus 40 anos de carreira.

Aos 71 anos, Ney está em plena forma – física e artística. O novo disco reúne canções de veteranos e novatos da MPB, como Paulinho da Viola, Caetano Veloso, Itamar Assumpção, Criolo, Dan Nakagawa, Dani Black, Maria Gadú e Tono. 

O show começa às 20h30 e o cantor, como sempre, estará acompanhado de banda de primeira: Sacha Amback (direção musical e teclado), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão), Dunga (baixo), Maurício Almeida e Maurício Negão (guitarra), Aquiles Moraes (trompete) e Everson Moraes (trombone).

Ney vai cantar em BH de 10 a 12 de maio, no Palácio das Artes. Antes disso, a turnê passa por São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, entre outros estados.

É justo? Ministra Eliana Calmon recebeu R$ 84 mil para alimentação


Ministra do STJ, Eliana Calmon, recebeu em setembro do ano passado R$ 84 mil a título de auxílio alimentação. Naquele mês, o contracheque da ministra bateu em R$ 11.009,50


Cortejada pelo presidente do PSB Eduardo Campos para se candidatar a uma cadeira no Senado ou ao governo da Bahia, a ministra Eliana Calmon, vice-presidente em exercício do Superior Tribunal de Justiça (STJ), recebeu em setembro do ano passado, de uma só vez, R$ 84,8 mil a título de auxílio alimentação. Naquele mês, o contracheque de Eliana bateu em R$ 113.009,50.

Ela ganhou notoriedade em sua gestão na Corregedoria Nacional de Justiça, entre 2010 e 2012, período em que conduziu com rigor inspeções disciplinares nos tribunais, em busca de irregularidades em super-contra cheques de magistrados.



A ministra denunciou “bandidos de toga” e colecionou desafetos em cortes estaduais com seu estilo combativo. Atribuíam a ela projeto de cunho político eleitoral, o que sempre refutou.

A verba de alimentação, da qual ela se beneficiou, tem respaldo em norma do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que incorpora a vantagem ao subsídio dos magistrados de todo o País. A concessão é prevista na Resolução 133 do CNJ.

Em junho de 2011, o colegiado, sob presidência do ministro Cezar Peluso, aprovou a medida que dispõe sobre a simetria constitucional entre magistratura e Ministério Público e equiparação de vantagens, como o plus de R$ 710 a título de alimentação. O valor cai todo mês na conta da toga. Os juízes não têm de exibir recibos de despesas.

Em setembro, o Tesouro depositou na conta da ex-corregedora o valor acumulado do período retroativo a cinco anos da data da concessão do benefício, ou seja, de 2006 a 2011.

A remuneração regular da ministra, R$ 25.386,97, foi acrescida dos R$ 84,8 mil sob a rubrica “indenizações”. Com descontos da previdência e do imposto de renda, ela recebeu R$ 104.760,01.

“Efetivamente, recebi em setembro de 2012 acumulado do benefício intitulado auxílio alimentação”, disse a ministra do STJ. “O auxílio é automático, sem exigência de recibo de comprovação.” Eliana recebe o auxílio-alimentação - assim como seus colegas da corte -, além de R$ 2.792,56 (sem imposto sobre esse valor) como abono de permanência porque já conta tempo para se aposentar, mas permanece na ativa.

Seu holerite, como o dos outros ministros, é público. Pode ser acessado na página do STJ na internet. Há alguns dias, cópia do contracheque da ministra começou a circular em e-mails de magistrados que ainda não receberam o pagamento acumulado. Alguns intitulam as mensagens com um “Eliana é 100”, em alusão aos mais de R$ 100 mil que ela recebeu em um único mês.

Muitos magistrados revelam desconforto com a situação. A resolução do CNJ autorizou o benefício alimentação. Posteriormente, a Associação dos Juízes Federais (Ajufe), que os representa, foi ao Conselho da Justiça Federal (CJF) e pleiteou retroatividade dos cinco anos.

Os magistrados estão recebendo o valor mensal de R$ 710, mas até agora não há previsão para que a verba correspondente àquele período acumulado seja liberada para a toga - nem os juízes federais nem os do Trabalho receberam. Os ministros dos tribunais superiores, exceto os do STF, garantiram sua parte. Os juízes assinalam que estão na expectativa de terem assegurado direito decorrente da simetria reconhecida pelo CNJ.

Justificativa

Eliana Calmon disse que a partir de dezembro de 2011 passou a constar de seu contracheque a rubrica auxílio-alimentação. A primeira parcela paga, informou a ex-corregedora nacional da Justiça, foi no valor de R$ 5.131,37. “A partir de janeiro de 2012 passei a receber R$ 710 mensalmente, o que se estende até a presente data, com exceção do mês de setembro do ano passado, quando recebi o montante de R$ 84.743,19”, esclareceu a ministra.

Ela explicou que o valor relativo ao acumulado foi de R$ 65.745 41, mais R$ 18.686,17 de juros de mora e R$ 311,61 “de parcela que não está identificada a que se refere, com o registro simples de auxílio alimentação”. Eliana Calmon condena a “péssima forma de remuneração da magistratura, com parcelas e parcelas, algumas permanentes e outras transitórias”. Calmon destacou que “o auxílio alimentação é recebido por todos os ministros, ou, melhor, por todos os magistrados federais de primeiro, segundo e terceiro graus”.

O Conselho da Justiça Federal (CJF) informou que “já concedeu esse direito (pagamento do acumulado em 5 anos) aos juízes federais, mas ainda não pagou por falta de verba orçamentária”. Segundo o CJF, a Secretaria-Geral do Conselho não dispõe de levantamento sobre o montante que terá que desembolsar. A verba para essa demanda não entrou no orçamento de 2013.”


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Defesa Civil alerta para pancada de chuva, raios e rajadas de vento em BH

O volume estimado de precipitação é entre 30 mm a 50 mm
Fonte: GABRIELA SALES www.otempo.com.br


A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec-BH) alerta para possibilidade de pancadas de chuva moderada a forte acompanhadas de raios e rajadas de vento ocasionais (igual ou superior a 50 km/h).

O volume estimado de precipitação é entre 30 mm a 50 mm. O alerta é válido até 8h de quinta-feira (28).

A Comdec-BH recomenda à população que evite áreas de inundação e não trafegue em ruas sujeitas a alagamentos localizados. Recomenda-se também atenção especial e redobrada nas áreas de encostas e morros.

Outras recomendações:

- Tenha um lugar previsto, seguro, onde você e sua família possam se alojar no caso de uma inundação;

- Limpe o telhado e canaletas de águas para evitar entupimento;

- Retire todo o lixo e leve para áreas não sujeitas a inundações;

- Se você morar ou possuir comércio em áreas sujeitas à inundação coloque seus móveis e estoques em lugares altos;

- Colabore com a abertura de deságues para evitar o estancamento de água, pois pode causar muitos prejuízos, principalmente para a saúde;

- Não utilizar alimentos atingidos pela água de enchente ou inundação;

- Nunca beba água de enchente ou inundação;

- Não jogar lixo nos bueiros e boca de lobo, nem nos córregos e rios, para não obstruir o escoamento da água;

- Não amontoe sujeira e lixo em lugares inclinados porque eles entopem a saída de água e desestabilizam os terrenos provocando deslizamentos;

- Não deixar crianças brincando na enxurrada ou nas águas dos córregos, pois elas podem ser levadas pela correnteza ou contaminar-se, contraindo graves doenças, como hepatite e leptospirose;

- Não tocar nem usar equipamentos elétricos que tenham sido molhados ou estejam em locais inundados, pois há risco de choque elétrico e curto-circuito;

- Jamais se aproxime de cabos elétricos arrebentados. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199);

- Não coloque lixo nas ruas que seja de fácil propagação com o vento;

- Revise o madeiramento de sua casa;

- Reforce a amarração de seu telhado;

- Desligue os aparelhos elétricos das tomadas e o gás;

- Abaixe para o piso todos os objetos que possam cair, dentro das residências, com o vento forte (exceto em área inundável);

- Se você observar aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil;

Em caso de raios, se estiver na rua:

- NÃO permaneça em áreas abertas como campos de futebol, quadras de tênis e 
estacionamentos;

- NÃO fique no alto de morros ou no topo de prédios

- NÃO se aproxime de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos;

- NUNCA se abrigue debaixo de árvores isoladas.

- Evite lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios (Pequenas construções não protegidas, tais como celeiros, tendas ou barracos; veículos sem capota como tratores, motocicletas ou bicicletas)

- Evite estacionar próximo a árvores ou linhas de energia elétrica .

- Evite estruturas altas tais como torres, de linhas telefônicas e de energia elétrica;

Se estiver dentro de casa:

Não use telefone com fio;

Não fiquem próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas.

Não toque em equipamentos elétricos que estejam ligados à rede elétrica

Senador Aécio Neves está entre os 25 brasileiros que merecem ser observados, segundo o Financial Times


O jornal inglês Financial Times elaborou uma lista com 25 brasileiros que devem ser observados nas mais diversas áreas no Brasil. “De um judoca medalista e uma top model à um DJ de trance e um presidente da suprema corte. Estas são as estrelas ascendentes do Brasil, diz o jornal.

senador Aécio Neves é o destaque no campo político, o jornal menciona que ele é o candidato à presidência em 2014“Ele já foi deputado, governador e senador – só falta a presidência. O partido de centro-direita de Aécio Neves, o PSDB, o nomeou para concorrer na corrida presidencial contra a presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014Aécio Neves, 52 anos, é o neto de Tancredo Neves, o primeiro presidente eleito democraticamente na nova república, após duas décadas de regime militar.”, diz o jornal.

A ausência do nome de Dilma Rousseff foi notada, apesar da aparente popularidade, a presidente não foi mencionada pelo jornal inglês.

Dilma Rousseff pode ter causado rombo de R$ 1 bilhão na Petrobras


Ministério Público quer apuração de possível prejuízo de R$ 1 bilhão em transação da Petrobras; Dilma presidia Conselho de Administração


Mais um escândalo envolvendo a gestão do PT à frente da Petrobras está prestes a estourar. O Ministério Público Federal apresentou denúncia sobre possíveis irregularidades em compras da estatal que podem ter gerado um prejuízo superior a R$ 1 bilhão aos cofres da empresa em 2006.

O MPF pediu que o Tribunal de Contas da União (TCU) investigue a compra da refinaria de Pesadena/EUA. E uma informação pode abalar ainda mais o país se a denúncia se confirmar: a presidente Dilma Rousseff era a presidente do Conselho de Administração da Petrobras quando da compra da planta nos Estados Unidos.

Reportagem do jornal Estado de S. Paulo desta quarta-feira (27/02) traz detalhes deste que pode ser mais um episódio da triste novela em que se transformou a realidade de pré-insolvência da Petrobras provocada por erros e irregularidades do PT à frente de sua direção.

PSDB antecipa troca de comando




O PSDB decidiu antecipar do dia 25 para o dia 19 de maio a convenção que vai escolher o senador Aécio Neves (MG) como o novo presidente do partido, em substituição ao deputado Sérgio Guerra (PE). A mudança de data permitirá aos tucanos utilizar imagens da convenção e da eleição de Aécio no programa eleitoral do partido, que deverá ser exibido no final de maio. A ideia é utilizar também as imagens nos 40 comerciais, de 30 segundo cada, que serão veiculados entre os dias 23 e 1º de junho. 

O programa do partido e os comerciais vão servir para tentar tornar Aécio, hoje com atuação restrita a Minas Gerais, em uma personalidade nacional. É com essa estratégia que o comando tucano pretender reforçar a imagem do senador, virtual candidato do partido à sucessão da presidente Dilma Rousseff em 2014. No período que antecede a escolha do novo presidente do partido, os dirigentes do PSDB pretendem percorrer o País com o presidenciável a tiracolo. 

Na semana que vem, dia 4, a cúpula tucana viajará para Goiânia. Com as ideias que surgirem nos encontros o PSDB pretende montar seu programa de campanha para o ano que vem. "Nós vamos apresentar um dos projetos de governo mais ousados que já foram feitos", disse Aécio ontem em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

Para ele, está na hora de renovar propostas a serem apresentadas para a administração do País nos próximos 10 a 20 anos. "Porque tudo o que PT tem executado foi criado pelo PSDB durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso", disse. "O PT não criou nada. Apenas copiou o que o programa do PSDB". Segundo Aécio, é preciso admitir que o PT aprofundou "um pouco mais" os programas de transferência de renda, com o Bolsa-Família, mas ficou nisso. 

O pré-lançamento da campanha de Aécio não é, no entanto, consensual no PSDB. Tucanos ligados ao ex-governador José Serra, duas vezes derrotado na disputa pela presidência da República ( 2002 e 2010), criticam a "antecipação" da campanha, um ano e meio antes das eleições de outubro de 2014. "Acho cedo demais. O desgaste é maior que os benefícios com a antecipação da campanha eleitoral", afirmou o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), que foi um dos cotados para ser o vice-presidente na chapa encabeçada por Serra em 2010. Dias é um dos tucanos favoráveis à realização de prévias no partido para a escolha do nome que enfrentará Dilma. Mas, depois do envolvimento de FHC na campanha de Aécio, o senador está certo de que prévias agora serão "encenação". 

Líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), também ligado a Serra, está convencido que a antecipação da campanha presidencial beneficia a reeleição de Dilma . "Essa antecipação serve para justificar o lançamento da candidatura da presidente Dilma, que começou com fanfarra", disse o tucano. Em sua avaliação, a presidente estaria "exorcizando o fantasma" do ex-presidente Lula ao incentivar a antecipação da campanha à reeleição com tanta antecedência. 

Tanto tucanos - FHC à frente - quanto petistas - Lula à frente - têm falado abertamente da eleição presidencial desde o fim do ano passado. Nas últimas semanas, a disputa pré-eleitoral entre os dois ex-presidentes ficou ainda mais acirrada, com discursos críticos realizados em eventos dos partidos. Além de Dilma e Aécio, o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, e a ex-senadora e ex-ministra Marina Silva também estão entre os nomes cotados para disputar o Palácio do Planalto em 2014. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Crescem no Brasil mortes por AVC entre 15 e 34 anos



Principal causa de morte no país, com números de óbitos maiores que a dengue, a Aids e até mesmo o câncer de mama, o acidente vascular cerebral (AVC), também conhecido como derrame, traz novas preocupações, tão ou mais importantes que as antigas. Isso porque o mal, que mata 100 mil brasileiros por ano e antes visto com mais prevalência em idosos, não escolhe a idade de suas vítimas. Dados do Ministério da Saúde mostram que 62.270 pessoas abaixo dos 45 anos morreram no Brasil entre os anos 2000 e 2010. No entanto, o cenário é ainda pior. Jovens, adolescentes e até crianças recém-nascidas passaram a engrossar essa lista e t”em preocupado médicos e pais numa guerra pouco esclarecida e silenciosa. E apesar de as causas terem origens diferentes, os sintomas e as sequelas são os mesmos.

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em 2012, 4 mil pessoas entre 15 e 34 anos foram internadas por causa do problema no país. Em 2010, foram 1,7 mil mortes nessa faixa etária. O fenômeno assusta especialistas e, claro, tira o sono dos pais. As justificativas para o quadro alarmante vão desde o resultado de hábitos pouco saudáveis até os métodos atuais de diagnósticos mais precisos, o que contribuiria para o aumento dos números. "O AVC na infância é mais raro do que em adultos. A estimativa é de que haja um percentual de 2,5% a 12,5% para 100 mil crianças e adolescentes", comenta a neurologista infantil e vice-presidente do Comitê de Neuropediatria da Sociedade Mineira de Pediatria, Marli Marra de Andrade.

Aos 13 anos, Guilherme Pessoa Lacorte entrou para a estatística. No início deste ano, ele começou a passar muito mal, com dor na cabeça e vômito. "Assim que o levamos ao hospital, ele entrou em coma. Fizeram muitos exames até descobrir um coágulo no tronco cerebral (parte responsável pelo controle de funções como a respiração e instrução para o coração bater). O diagnóstico foi de AVC", conta o pai de Guilherme, Marcelo Lacorte. A investigação para a causa do problema apontou que o menino sofria de uma má-formação vascular no cérebro, a chamada cavernoma. Como sequelas do AVC, Guilherme ficou um tempo com o lado direito paralisado, sem andar e sem se alimentar corretamente.

Os médicos disseram ser arriscado uma cirurgia para o garoto, que poderia ficar cego ou paraplégico ao se tentar tirar o cavernoma no cérebro. Mas, de acordo com Marcelo, o médico neurocirurgião, especialista na área, Atos Alves de Souza, disse o contrário e operou Guilherme, que hoje está bem, tem sido acompanhado por fonoaudiólogos e fisioterapeutas. "A gente se assusta com uma criança tendo AVC, mas no caso foi consequência de um problema que nem imaginávamos que ele era portador", observa Marcelo.

Segundo o coordenador da Unidade de AVC do Hospital Risoleta Neves, Romeu Santana, o AVC é popularmente chamado de derrame e tem dois tipos: hemorrágico e isquêmico. "O primeiro, muitas vezes, está relacionado à hipertensão. O segundo, que corresponde aproximadamente a 85% dos casos, é a obstrução de umas das artérias do cérebro. O bloqueio pode ser parcial ou total."

Ele explica que em jovem o mal não é comum. "Estamos falando de um problema que, na maioria das vezes, acomete pessoas acima dos 65 anos", destaca. Ele não define o AVC como uma doença, "mas uma complicação de outros problemas. Nos idosos, pode ser decorrência do diabetes, pressão alta ou outros fatores". Para as crianças, pode ser decorrente de comorbidades, como foi com Guilherme. Em muitos casos, de acordo com o especialista, o problema vem da anemia falciforme, enfermidade que causa a má-formação das hemácias. "Saber que um paciente teve AVC é muito pouco para nós. A causa é a peça-chave, pois o tratamento vai depender dela."

Por isso, Marli diz que os pais devem ficar atentos. "As causas podem ser várias, inclusive genéticas. Infecções, meningite ou até mesmo uma sinusite podem desencadear em um processo inflamatório no cérebro", alerta. Nos casos mais agudos, de acordo com a especialista, a criança pode sentir dor de cabeça, vômito e sinais indiretos do aumento da pressão intracraniana, o que pode evoluir para uma paralisia. A agilidade no atendimento é essencial. Isso porque o tamanho do dano que provocará está diretamente associado à sua extensão. Quanto maior a área, mais graves as sequelas. Por isso, quanto mais rapidamente for controlado, menores as regiões atingidas.

Diagnóstico errado

Exemplo disso é Renata Monteiro Moreira César, de 35 anos. Aos 21, ela sentiu muito mal e teve o lado direito paralisado. A família a levou a um hospital particular de BH. "Os médicos plantonistas disseram que se tratava de algo emocional e deram a ela um calmante", conta, indignada, a mãe de Renata, Rosa Marília Monteiro César. A jovem voltou para a casa, mesmo com o lado direito dormente. "Chegou em casa, ela não conseguia segurar uma fruta nem engolir. Passou a embolar a fala, e achamos que era efeito do calmante", lembra Rosa. No outro dia a menina não acordava.

Um médico amigo da família a visitou e constatou que ela tinha entrado em coma. "Ela foi levada para o centro de terapia intensiva (CTI) de outro hospital da capital, e ficava cada vez pior. Os médicos não sabiam do que se tratava. Demorou quatro dias para diagnosticar o AVC", diz. A demora aumentou a lesão. Renata saiu do hospital tetraplégica. "Graças a Deus, não afetou o raciocínio dela. Hoje ela está na faculdade, escreveu o livro A vida com outros olhos, consegue comer sozinha, mas tem uma equipe de profissionais que a ajuda", destaca a mãe. "A demora para diagnosticar o mal é crucial, pois a evolução é muito rápida."

Recuperação

O tratamento de um paciente com AVC, seja ele adulto ou jovem, vai depender do que levou a pessoa a sofrer o derrame. Romeu Santana diz que no caso de um derrame isquêmico, há a possibilidade de medicações que podem dissolver os coágulos. "Mas não são todos os pacientes que podem usar o remédio. A medicação abre os vasos sanguíneos, mas pode causar sangramento.”

Ele diz que toda vítima tem possibilidade de sofrer novamente um derrame. "Por isso, a causa tem que ser bem definida." Os médicos aconselham como prevenção a atividade física, uma alimentação saudável, redução no consumo de gordura, o que reduz risco de doenças vasculares. "No primeiro ano de vida, os pais costumam levar os bebês aos pediatras e depois que a criança toma todas as vacinas, não a levam mais. É importante esse acompanhamento, porque nele pode-se diagnosticar uma doença", ressalta Marli.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Anastasia confirma que aumento de casos da dengue se deve à "descuidos de administrações municipais"


Em entrevista à imprensa nesta terça-feira (26), o governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia falou sobre o alarmante aumento nos casos de dengue registrados este ano do Estado. Durante a abertura do 3º Encontro Estadual de Saúde realizado na capital mineira, o governador pediu a ajuda da população no combate à doença.

Como a reportagem de O Tempo noticiou no dia 21 de fevereiro de 2013, houve uma diminuição gradativa nos casos de dengue entre 2010 e 2012, porém, este ano, os casos aumentaram. Anastasia admite que o aumento também pode ter sido causado por descuidos de algumas prefeituras do Estado, já que o início de 2013 foi um período de transição de uma administração para outra. “Foi introduzido no Estado um novo tipo do vírus, o tipo 4, que não estávamos acostumados. Além disso, tivemos condições climáticas mais favoráveis à propagação da doença, mas também houve um descuido por parte de algumas administrações municipais por causa da descontinuidade da gestão pública”, disse.

Por causa disso, o governador garantiu que os trabalhos de combate à doença serão triplicados e que governo e prefeituras terão que trabalhar lado a lado. “Aumentamos os recursos financeiros em mais de R$ 26 milhões. O número de servidores da força-tarefa também foi acrescido de 180 para 280. Além disso, criamos uma unidade de hidratação própria e também um novo tipo de teste, que revela imediatamente se a pessoa está contaminada”, explica.

Anastasia ainda ressaltou a importância da participação da população nestes trabalhos de combate à doença: “a dengue só se combate com o trabalho articulado de todos”.

Fonte: ww.otempo.com.br 

Luto na TV: Ator Luiz Baccelli morre de parada cardíaca em São Paulo

O ator Luiz Baccelli morreu de parada cardíaca, nesta segunda-feira (25), em São Paulo. A informação foi divulgada pelos produtores de "E a Vida Continua...", na página do Facebook do filme, seu último trabalho nos cinemas, no qual contracenava com Lima Duarte.

Segundo o comunicado, Baccelli sofria de complicações renais, o que ocasionou a parada cardíaca. Seu trabalho mais recente foi em 2011 na trama "Amor e Revolução", do SBT, na qual interpretava o personagem Monsenhor.

No cinema, o ator já trabalhou nos filmes "Ação entre Amigos" (1998), "Mater Dei" (2000) e "Os 12 Trabalhos" (2006). Na televisão, atuou em diversos canais, como, Rede Globo, SBT, Band e Record. Esteve no elenco de várias novelas: "Sangue do Meu Sangue", "Pérola Negra", "Laços de Família", "Amor e Ódio", "A Escrava Isaura", "Amazônia - de Galvez a Chico Mendes", "A Favorita", "Caminho das Índias", "Araguaia" e "Aquele Beijo".
O início de sua carreira se deu no teatro em 1968, com Antunes Filho, e logo no começo já percorreu vários países com seus espetáculos. Por 10 anos fez parte do grupo "Tapa/Cia". Baccelli também ganhou o extinto Prêmio Molière de melhor ator na peça "Xica da Silva".
Além de ator, Baccelli também lecionava na "Escola de Atores Wolf Maia", era historiador e diretor do grupo teatral "Ação Entre Amigos". O filme "E A Vida Continua...", é baseado em livro ditado pelo espírito André Luiz e psicografado por Chico Xavier, e conta com direção de Paulo Figueiredo.
O velório ocorre no Cemitério do Araçá, em São Paulo, até às 14h desta terça-feira (26). O corpo segue para ser cremado no Cemitério de Vila Alpina às 15h30.

Márcio Lacerda anuncia seu secretariado nesta quinta-feira


PSDB vai manter Saúde e BHTrans e deverá conquistar outros espaços


Depois de muita especulação, o prefeito Marcio Lacerda (PSB) irá anunciar o primeiro escalão da prefeitura da capital na quinta-feira. A confirmação foi feita ontem por ele, durante encontro da Frente Nacional de Prefeitos. O chefe do Executivo de Belo Horizonte preferiu não adiantar qualquer nomeação. Segundo ele, "qualquer anúncio pode prejudicar, porque pode haver alguma mudança de última hora". 

Lacerda fez ressalvas sobre as escolhas. "Temos indefinição em três regionais e uma fundação em função desse ajuste de negociações", disse. O primeiro escalão da prefeitura tem 13 secretarias, três fundações e nove regionais. O segundo e o terceiro escalões serão anunciados a partir da próxima semana.

Questionado se a renovação seria significativa em decorrência do rompimento com o PT, o prefeito negou. "Para determinadas posições, é preciso trazer pessoas qualificadas, que entendam muito do assunto. E um outro grupo é o que você faz uma negociação política com os partidos que trabalharam na eleição e que apoiam o governo", detalhou. 

Ainda assim, ele deu sinais de que sua preferência pela formação técnica está mantida. "Eles (representantes dos partidos aliados) estarão participando da administração com quadros qualificados".

Com a saída dos petistas da administração, a expectativa é que o PSDB ocupe mais espaço. Por enquanto, a certeza é a de que o secretario de Saúde, Marcelo Teixeira, e o presidente da BHTrans, Ramon Victor César, ambos tucanos, continuam à frente das pastas. 

2014. 
Lacerda desconversou sobre a próxima sucessão e esquivou-se de comentar qual candidato poderá apoiar para a Presidência - o senador Aécio Neves (PSDB), o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) ou a presidente Dilma Rousseff (PT). Sobre deixar a prefeitura para concorrer ao Estado, ele disse que sua "responsabilidade com a cidade, neste momento, é concluir o meu mandato".



Temperatura alta e chuva favorecem infestação de escorpiões em BH

Pelo menos cinco notificações de aparecimento de escorpiões chegam por dia ao Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde (SMS) de Belo Horizonte. No último mês, foram 150 chamados. Em alguns bairros, encontrar o animal peçonhento virou rotina.

A administração regional com a maior incidência de registros de encontro de escorpiões é a Centro-Sul, seguida pela Nordeste e a Pampulha. No ano passado, foram 1.731 ocorrências, comunicadas pelo telefone 156, da PBH.

Apenas no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII foram registrados 1.234 atendimentos a vítimas de picadas de escorpião em 2012. Em janeiro deste ano, as vítimas chegaram a 17, segundo a SMS. Duas crianças morreram na Grande BH em decorrência dos ataques.

No ano passado, a região de BH com o maior número de acidentes com escorpiões foi a Noroeste, com 140 casos, seguida pela Nordeste, com 138. No total, a SMS registrou 599 ocorrências em 2012.

A gerente de controle de zoonoses da SMS, Silvana Tecles, diz ser provável que muitas pessoas encontrem o animal mas deixem de comunicar o fato à prefeitura.

O aparecimento do bicho está ligado ao calor e chuvas. “Quando há oscilações de temperatura ou chuva, ele deixa o abrigo”, explica.


Praga

O churrasqueiro Paulo Roberto Diniz da Silva, de 36 anos, é subsíndico de um condomínio no bairro Juliana, na região Norte, e diz que escorpiões no local são comuns.

“Começou de dois meses para cá e todos os dias achamos pelo menos dois. Vamos dedetizar os prédios por conta própria”, afirma.

Em Minas, o tipo mais comum de escorpião é o mais venenoso do Brasil, o Tityus serrulatus, também conhecido como amarelo.

O coordenador da unidade de toxicologia do Hospital João XXIII, Délio Campolina, diz que o inseto é considerado uma praga urbana.

“Quanto mais populoso o local, maior a tendência do aparecimento. Eles se alimentam de outros insetos e vivem em ambientes fechados”, explica.

FHC participa de ato em BH para reforçar candidatura de Aécio Neves



Depois de ocupar a tribuna do Senado com o discurso de candidato à sucessão do Palácio do Planalto em 2014, o senador Aécio Neves (PSDB) recebeu ontem a bênção do seu maior cabo eleitoral: o ex-presidente da República e presidente de honra do PSDB nacional, Fernando Henrique Cardoso. O tucano reforçou a escolha do senador como o melhor nome do partido para tentar tirar do Palácio do Planalto o PT – que este ano completou 10 anos no poder. Em evento em Belo Horizonte na noite de ontem, FHC endureceu o discurso de oposição ao chamar a presidente Dilma Rousseff de “ingrata” e dizer que sua administração usurpou o projeto tucano de governo e agora “cospe no prato que comeu”. Ele afirmou ainda os tucanos não “roubaram” enquanto estiveram no poder. 

“Neste momento a pessoa que tem mais condições (de disputar a sucessão presidencial) é o Aécio Neves. Não vejo outro nome. É o momento de renovação do falar, do estilo da pessoa. É o momento de sacudir o país”, afirmou o ex-presidente, que veio a Belo Horizonte para proferir a palestra “O século 21: desafios, ameaças e oportunidades”, evento que marcou a abertura do ciclo de debates Minas Pensa o Brasil, promovido pelo PSDB de Minas Gerais. Embora tenha deixado clara sua escolha, FHC ressaltou que a candidatura precisa ser construída discutindo os problemas reais do Brasil e lançada apenas no momento oportuno. E garantiu que vai percorrer o país ao lado de Aécio para “plantar a semente da vitória”. 


Questionado sobre uma possível resistência do PSDB de São Paulo ao nome do mineiro, FHC afirmou que é coisa do “passado”. “São Paulo vai ver qual é o líder que pode levar o partido à vitória. No meu julgamento, quem tem mais capacidade é o Aécio”, reforçou. O tucano argumentou ainda que nas últimas três disputas eleitorais os candidatos do partido – o governador de São Paulo, Geraldo Alckimin, e o ex-governador José Serra – levaram as eleições para o segundo turno, mostrando que o PSDB tem quadros competitivos. 

Ao comentar as declarações de Dilma Rousseff durante as comemorações de 10 anos no poder – a presidente disse que não recebeu nenhuma herança dos tucanos –, Fernando Henrique foi irônico. “O que se pode fazer quando a pessoa é ingrata?” Segundo ele, o PT deixou de lado as promessas feitas durante a campanha eleitoral – de investir no social e governar com ética, para copiar os programas adotados por ele, que governou o Brasil de 1995 a 2002. 

“O PT se opunha a tudo. O mundo mudou e o PT foi para o governo para usurpar nossos projetos”, reclamou. Sobre as críticas de que a oposição não tem projeto de governo, FHC disse que a meta dos tucanos é investir em tecnologia, industrialização, desenvolvimento e emprego de boa qualidade para as classes emergentes. “O PSDB tem que entrar nessa linha de futuro”, completou. 

Em discurso, o senador Aécio Neves (PSDB) destacou a importância de observar quem são as pessoas que acompanham os líderes do país – em alusão à condenação de vários petistas e aliados do governo no processo do mensalão pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). FHC foi além: “Nós mudamos o rumo do Brasil, nós fizemos muitas coisas, mas não roubamos não”. 

Nos próximos meses os debates se estenderão por vários estados. Na semana que vem o mineiro estará novamente ao lado de FHC em evento na capital paulista. “É hora de o PSDB voltar com propostas como criar empregos de mais qualidade e focar na melhoria da educação. Com a privatização, sim, de setores que precisam. É hora de discutir os problemas reais do Brasil. Tenho ao lado o responsável pelas maiores transformações do país”, disse Aécio.

Aprovação 

Se os tucanos ainda preferem aguardar uma data mais próxima das eleições para confirmar o nome do senador mineiro, entre os principais representantes do partido que compareceram ao evento, o nome de Aécio deve ser confirmado o quanto antes. Para secretários, prefeitos e deputados do PSDB, a confirmação da candidatura presidencial vai permitir que ele chegue a 2014 com reais chances de vencer as eleições. 

Secretário-geral do PSDB mineiro, o deputado estadual Carlos Mosconi afirmou que o partido está presente nas discussões políticas do país como uma opção de futuro. Criticou o clientelismo eleitoral que seria a marca da atual gestão e garantiu a aprovação da candidatura do mineiro em 2014. Integrantes da juventude e do setor feminino da legenda valorizaram a gestão de FHC como responsável pela maioria dos avanços sociais da última década. 

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Mais uma vez o Governo Dilma pune Minas Gerais

Mais uma vez a "mineira" Dilma pune Minas Gerais, o seu governo suspendeu as obra de duplicação da BR 381, umas das rodovias mais assassinas que corta o Estado que vai continuar tirando vidas dos nossos entes, amigos, conhecidos. Muitos podem dizer que a maioria dos acidentes acontecem por imprudência, pode até ser, não vamos tapar o sol com a peneira, mas em muitos casos os acidentes poderiam ser evitados se houvesse a opção dos motoristas de se defenderem com estradas mais seguras. 

Somente no mês de Janeiro as contribuições e os impostos federais já atingiram R$ 116 Milhões líquidos, será que essas obras são tão onerosas que impedem dos recursos serem repassados para salvar vidas? 

Ano que vem a senhora Dilma vai continuar dizendo que é mineira??

Marcelo Passos

Vejam a integra da matéria:
Governo federal suspende duplicação da BR-381
Um mês após interromper primeira concorrência para duplicar a Rodovia da Morte, Dnit anuncia suspensão do segundo edital, paralisando totalmente licitação para reduzir a violência na estrada, que teve 2.564 acidentes e 124 óbitos só no ano passado
Oito meses depois de anunciadas pela presidente Dilma Rousseff em solenidade no Palácio da Liberdade, em 13 de junho de 2012, as obras de duplicação da BR-381, no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares, estão totalmente suspensas. Ato publicado ontem no Diário Oficial da União (DOU), assinado pelo presidente da Comissão de Licitação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Arthur Luís Pinho de Lima, suspendeu o edital 791/2012, que abrange quatro lotes da obra. Em 21 de janeiro, o edital 654/2012, que cobria os demais seis trechos da licitação, já havia sido suspenso pelo Dnit.

A promessa do departamento era iniciar a duplicação da rodovia, uma das mais violentas do país, em março, como havia prometido o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, em 31 de outubro, quando esteve em Belo Horizonte. Na ocasião, Passos afirmou que as obras não sofreriam atraso e estariam concluídas até 2016. Entretanto, com a suspensão dos dois editais, que ainda não têm data para serem retomados, não há estimativa de quando as obras serão iniciadas. 

A duplicação da Rodovia da Morte é considerada fundamental para a redução do número de mortes e acidentes na estrada. No ano passado, foram registrados 2.564 desastres e 124 óbitos na via, cheia de curvas e com tráfego intenso de veículos pesados. A BR-381 é a principal ligação entre Belo Horizonte, o Espírito e o Sul da Bahia.

A suspensão do Edital 791 ocorreu a quatro dias da abertura da licitação, marcada para terça-feira, dia 26, repetindo o roteiro do que havia ocorrido com o Edital 654 em janeiro, às vésperas do início da concorrência. O Estado de Minas entrou em contato com o Dnit solicitando entrevista para esclarecer as causas da interrupção, mas a assessoria de imprensa informou apenas que a inciativa foi determinada pela “necessidade de ajustes no edital” e que não havia representante do departamento disponível para explicar que tipo de falhas há no edital e que ajustes devem ser feitos para que a licitação possa ser retomada.

O Dnit não soube informar sequer quando o novo edital será publicado e tampouco esclareceu a situação do Edital 654, suspenso por pressão de quatro construtoras que pediram a impugnação da licitação, alegando falta de dados imprescindíveis para o início dos trabalhos, como estudos geotécnicos e relatório de avaliação ambiental. Na ocasião, a Construtora Aterpa M. Martins argumentava que “a ausência desses documentos pode trazer inúmeros problemas. Um deles seria a falta dos estudos técnicos, o que torna impossível para o licitante projetar com segurança seus gastos”.

Os quatro lotes suspensos ontem somam 167,1 quilômetros e são os seguintes: Governador Valadares a Belo Oriente (78,2 km); Belo Oriente a Jaguaraçu (60,2 km); Nova Era a João Monlevade ( 20,7 km); e Caeté à Avenida Cristiano Machado (13,4 km), sendo que parte deste último trecho faz parte do edital interrompido em janeiro. 

Pressão parlamentar

A suspensão do segundo edital da duplicação da Rodovia da Morte acendeu o sinal vermelho da bancada mineira no Congresso. Na semana que vem, parlamentares do estado prometem se organizar para cobrar da presidente Dilma Rousseff e da direção do Dnit acompanhamento maior do andamento dos editais da rodovia. A intenção é encaminhar requerimento ao Palácio do Planalto, para que sejam detalhados os motivos dos repetidos adiamentos, os problemas dos editais apontados pelas empresas interessadas na obra, além das soluções possíveis para que a concorrência volte a tramitar normalmente. 

Desde o ano passado, alguns parlamentares já alertavam que os preços estimados para alguns trechos da obra estariam abaixo do que as empresas calculavam, o que poderia causar problemas judiciais e novos atrasos na licitação. Segundo o coordenador da bancada mineira no Congresso, deputado Fábio Ramalho (PV), o governo precisará negociar soluções a curto prazo, para conseguir tirar a obra da gaveta este ano. “Essa duplicação já virou uma novela. Desde o governo de Fernando Henrique, passando pelo Lula, e agora com a Dilma. Que o governo procure os meios necessários para retomá-la de uma vez. Em outros estados, grandes obras estão andando, e a principal obra de Minas não avança”, criticou Ramalho. 


 (ARTE EM)



Intolerância - Artigo do senador Aécio Neves para a Folha de S.Paulo


"Não herdamos nada", disse a presidente Dilma no evento comemorativo dos dez anos do PT no governo federal.

O que à primeira vista pode parecer apenas arrogância esconde, na verdade, um estímulo à intolerância que começa a ficar cada vez mais evidente no discurso e na prática de setores do PT.

A tolerância é componente importante da vida política, assim como o respeito ao contraditório é pressuposto dos regimes democráticos: ambos garantem a convivência entre diferenças.As recentes celebrações do petismo explicitaram com nitidez essa grave distorção.

Para muitos, trata-se de um traço do partido agravado pela posição defensiva que foi obrigado a assumir após a comprovação das irregularidades cometidas.

Até a legítima defesa de iniciativas do governo passou a vir embalada por desnecessária agressividade, refletindo projeto de poder apequenado pelos seus próprios interesses.

Ao mesmo tempo, talvez não por acaso, limites éticos e republicanos que ultrapassam o sentido formal da legalidade vão sendo atropelados. Foi o caso da presença da presidente em rede oficial de rádio e TV para atacar adversários.

Ao lado da defesa do controle da imprensa, ataques e calúnias que tentam destruir reputações, distribuídos nas redes sociais de forma orientada, transformaram-se em autêntica jornada contra instituições, como o Supremo Tribunal Federal, o Ministério Público e a imprensa; contra autoridades constituídas e forças políticas que militam em outros campos.

São outras faces dessa tendência, que tem como objetivo dificultar o debate democrático. Nunca é demais lembrar que a intolerância é a antessala do autoritarismo.

Acredito que esta postura, crescente em alguns setores do PT, pode ser explicada também pelo desconforto causado pela percepção da sociedade sobre as contradições entre o discurso do passado e as práticas do partido no presente.

Nesse sentido, fiz há poucos dias perguntas que, acredito, são de muitos brasileiros.

Qual PT celebra dez anos no poder? O que fez do discurso da ética durante anos a sua principal bandeira eleitoral ou o que defende em praça pública os réus do mensalão?

O que condenou com ferocidade as privatizações conduzidas pelo PSDB ou o que as realiza hoje sem nenhum constrangimento? O que discursa defendendo um Estado forte ou o que fragiliza empresas públicas nacionais, como a Petrobras e a Eletrobrás?

O que ocupou as ruas lutando pelas liberdades ou o que, no governo, apoia ditaduras e defende o controle da imprensa? O PT que considerava inalienáveis os direitos individuais ou o que se sente ameaçado por uma ativista cuja única arma é a sua consciência?
Qual?

Choque de Gestão implantado por Aécio Neves é modelo no país


Desde a sua implantação em 2003, no governo Aécio Neves em Minas Gerais, o Choque de Gestão tornou-se modelo de administração pública, sinônimo de contas públicas equilibradas e investimentos para a população. É um modelo seguido por municípios, estados e até mesmo pelo governo federal. Na última semana, Antonio Anastasia, governador de Minas, apresentou o Choque de Gestão ao governo do Amazonas.

Fonte: Brasil 247

ANASTASIA APRESENTA MODELO DE GESTÃO AO AM

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, apresentou, em Manaus, o modelo de gestão responsável pela modernização da administração pública estadual; o "choque de gestão mineiro" foi iniciado em 2003 e encontra-se atualmente em sua terceira fase de execução

23 DE FEVEREIRO DE 2013 ÀS 10:22

Agência Minas - Minas Gerais vive hoje a terceira fase de um bem-sucedido modelo de gestão, iniciado em 2003, que modernizou a administração do Estado. Os ciclos de reforma e modernização da gestão pública estadual possibilitaram melhor aplicação dos recursos, tornando o Estado mais eficiente na execução de políticas públicas, com foco na melhoria da qualidade de vida da população.

Os resultados obtidos a partir desse esforço foram apresentados, em Manaus (AM), nesta sexta-feira (22), pelo governador Antonio Anastasia. Gestores públicos, universitários, administradores e empresários participaram da Conferência “Choque de Gestão Pública”, principal tema do evento, que contou também com apresentações de gestores da prefeitura de Manaus.

Segundo o governador de Minas, as três gerações do Choque de Gestão, que seguiram o princípio único de modernizar a administração pública mineira, trouxeram importantes resultados para o Estado, em todas as áreas, transformando e elevando a qualidade dos serviços públicos prestados à população.

“Na primeira fase, chamada de Choque de Gestão, alcançamos o equilíbrio fiscal, o ‘déficit zero’, estabelecemos acordos de resultados e elaboramos uma carteira de projetos estruturadores. No segundo momento, criamos o Estado para Resultados, com a consolidação da qualidade fiscal do Estado, foco nos resultados finalísticos e na consolidação institucional da cultura de resultados. Agora, com o Gestão para a Cidadania, priorizamos a transparência das ações e o novo modelo de governança pública com a participação cidadão, o Estado formado em Redes, além do fortalecimento setorial da gestão”, explicou Anastasia.

Com o saneamento das suas contas, o Estado voltou a ter crédito junto às agências internacionais e a União autorizou Minas a contrair financiamentos, pois havia se enquadrado na Lei de Responsabilidade Fiscal. O Choque de Gestão mineiro foi considerado modelo a ser seguido por outros entes federados pelo Banco Mundial.

Acima da média

Nos últimos dez anos (2003 a 2012), a partir dessa inovadora gestão pública, Minas Gerais alcançou avanços significativos em diversas áreas, entre elas, na Educação, conquistando o primeiro lugar entre os estados no Ideb 2011 nos anos iniciais do Ensino Fundamental.

“Na área da Saúde, em 2009, atingimos o primeiro lugar da região Sudeste e o quarto do país em esperança de vida ao nascer. Também somos o primeiro em cobertura do Programa Saúde da Família e a segunda maior cobertura de pré-natal da região Sudeste”, disse Anastasia.

O governador destacou ainda que a Região Metropolitana de Belo Horizonte é a que registra a menor taxa de desemprego. Em termos de estado, Minas registra taxa de desemprego de 6%, enquanto a taxa nacional chega a 6,7%.

Minas Gerais é, hoje, o 2º estado maior exportador do Brasil, com participação de 13,8% do total exportado pelo país em 2012. No ano passado, o saldo da balança comercial de Minas foi o maior do país, registrado em US$ 21,4 bilhões, enquanto o do Brasil permaneceu em US$ 19,4 bilhões.

“Temos, ainda, fortes parcerias com o setor privado e desenvolvemos a primeira Parceria Público-Privada do setor rodoviário do país, além da PPP do Sistema Penitenciário, inédita na América Latina. Fizemos parcerias para implantação de Unidades de Atendimento Integrado (UAI), para a reforma, modernização e operação do Mineirão e para a expansão do metrô de Belo Horizonte, esta junto com o governo federal e prefeituras da RMBH”, contou Anastasia.

Os resultados também podem ser encontrados nas telecomunicações, já que o Governo de Minas conseguiu levar telefonia celular a todos os 853 municípios mineiros. “Fomos, ainda, o primeiro Estado federado a repactuar os Objetivos do Milênio, estabelecidos pela ONU, com a proposição de metas mais ousadas. Minas Gerais já obteve excelentes resultados na redução da pobreza e da mortalidade infantil”, ressaltou o governador.

Nas áreas de resultados, é possível destacar, além da qualidade e inovação em gestão pública, a educação de qualidade; vida saudável; protagonismo juvenil; investimento e valor agregado da produção; inovação, tecnologia e qualidade; redução da pobreza e inclusão produtiva; desenvolvimento do Norte de Minas; qualidade ambiental e investimentos em defesa social.

Estado em Rede

Para implementar a Gestão para a Cidadania, o Estado foi organizado em redes de Desenvolvimento Integrado, nas diversas áreas socioeconômicas.

A organização do Estado em Rede desdobra-se em diversas inovações e melhorias para a gestão pública, refletindo-se na revisão da estratégia estadual de longo prazo, o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI); na organização da nova carteira de Programas e Projetos Estruturadores; na metodologia de trabalho das Pastas Governamentais; bem como na articulação institucional do governo com a sociedade

“Já levamos o Governo, através dos resultados, para perto das pessoas, que passaram a sentir a ação do poder público. Mas isso não nos basta. É importantíssimo que o cidadão tenha uma ação mais efetiva dentro do Governo, porque as políticas públicas só serão exitosas se tivermos o compromisso dessas pessoas”, enfatizou Antonio Anastasia.

Arquivo do blog