Artigos? Envie para o email marcelopassossenador@gmail.com

Pesquisa Web

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Feira do Mineirinho retorna para a Pampulha


Feirantes ficarão em uma área do local até o final de março de 2014 e depois serão transferidos novamente devido obras para a Copa do Mundo O governo de Minas anunciou o retorno da Feira do Mineirinho para a Pampulha. A negociação aconteceu durante uma reunião entre representantes dos expositores do Mineirinho, do Ministério Público Estadual, da Defensoria Pública Estadual, do Comitê Popular dos Atingidos pela Copa (Copac) e da Administração de Estádios de Minas Gerais –(ADEMG), em julho e agosto, na Cidade Administrativa.Durante os encontros ficou decido que a área usada antigamente pelos feirantes vai passar por reformas de revitalização e, por isso, as barracas serão direcionadas para outro local, também dentro do Mineirinho.

Entretanto, depois de março, o local vai ficar à disposição para os preparativos e realização da Copa do Mundo e, durante a competição, o Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte irão buscar uma outra área para ser usada provisoriamente. 

Após o evento e as obras concluídas, os expositores voltam para o local de origem e funcionam às quintas-feiras e aos domingos.

“Por orientação do governador Antonio Anastasia, foi possível estabelecer um canal de diálogo aberto e democrático entre governo e movimentos sociais, que possibilitou a construção de soluções adequadas e viáveis para o caso dos feirantes, tendo sempre a inclusão social e a garantia de direitos como princípios norteadores da atuação do Estado de Minas”, ressaltou o chefe da Assessoria de Articulação, Parceria e Participação Social do Governo de Minas, Ronaldo Pedron.

Manifestações

Durante este ano, os expositores da feira fizeram manifestações contra a mudança do espaço. No dia 21 de abril deste ano, a feira que funcionava dentro do Mineirinho chegou ao fim devido obras no estádio para a realização da Copa das Confederações e Copa do Mundo de 2014. Em maio, alguns expositores foram para um novo espaço no bairro Floresta, na região Leste da capital mineira.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Aécio Neves: “Lamento profundamente a decisão da Câmara”

Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), lamentou a não cassação do mandato do deputado federal Natan Donadon (Sem partido-RO).

O deputado, condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por desvio de recursos públicos, cumpre pena no presídio da Papuda, em Brasília.

“O voto do eleitor, este sim, deve ser secreto. Para preservar a liberdade do eleitor de fazer opções, sem qualquer tipo de coação. Mas ontem [quarta-feira, 28], vimos a demonstração cabal e definitiva de que o voto para este tipo de decisão tinha de ter sido aberto”, disse o tucano, em entrevista coletiva, nesta quinta-feira (29).

O pedido de cassação de Donadon foi a plenário na noite desta quarta-feira. Não alcançou o mínimo de 257 votos: recebeu aprovação de apenas 233 parlamentares.

Na entrevista, Aécio Neves também abordou outros temas, como a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e orçamento, orçamento impositivo e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Confira os principais pontos da entrevista coletiva do senador Aécio Neves:

Sobre LDO e orçamento
O orçamento no Brasil tem virado uma peça de ficção. O governo não cumpre o orçamento. Temos dois orçamentos paralelos no Brasil hoje. Um dos restos a pagar, que é, na verdade, um desrespeito do Poder Executivo àquilo que o Congresso determina. Na verdade, o Congresso existe, os parlamentos ao redor do mundo existem fundamentalmente para discutir e aprovar o orçamento. No Brasil, o poder do governo federal, portanto, da União, vem sendo tão avassalador que há um desrespeito crônico e permanente a tudo que é aprovado aqui, reproduzido nos restos a pagar. Inclusive, com diminuição dos investimentos na saúde, por exemplo.

E existe, tenho alertado para isso, um outro orçamento que é feito através do BNDES, que é uma grande caixa-preta que ninguém sabe exatamente a que serve, feito pelo governo federal às custas de endividamento do Tesouro, que aporta recursos no BNDES, que empresta de forma subsidiada para empresas mais próximas. É preciso que aprofundemos essa discussão aqui no Congresso.

A LDO, as diretrizes do orçamento, e a própria lei orçamentária têm que passar a ser respeitadas pelo Executivo. Mas isso só vai acontecer quando o Congresso Nacional deixar de estar curvado às vontades do Poder Executivo, quando readquirirmos as nossas prerrogativas. Quando defendermos as nossas prerrogativas. Digo sempre que defender as prerrogativas não é uma opção nossa, é um dever. Somos eleitos para isso.

Infelizmente, o que vejo no Brasil é um Congresso Nacional, através da maioria governista, cada vez mais curvado às vontades do Poder Executivo. Lamentavelmente, vamos votar agora uma LDO e depois um orçamento que mais uma vez vai ser ignorado pelo poder central.

Seria um orçamento impositivo para tudo, não só para as emendas?
Acho que o orçamento impositivo em relação às emendas, desde que direcionado para determinados setores, para não contrariar muito aquilo que a Lei de Diretrizes Orçamentárias prevê, é um avanço. Estamos sendo levados à discussão do orçamento impositivo porque o governo federal não cumpre o orçamento. Tivesse havido ao longo do tempo um respeito maior àquilo que se aprova no Congresso Nacional, sequer essa discussão do orçamento impositivo estaria ocorrendo.

Hoje, o Poder Executivo formula suas políticas, manda uma peça de ficção para o Senado, que produz uma outra peça de ficção, muitas vezes sem compromisso inclusive com receitas que venham a garantir a execução dos programas e o governo se vê no direito de ignorá-las sem qualquer contestação formal da maioria governista. A democracia pressupõe o equilíbrio entre os poderes, mas para isso é preciso que os poderes sejam altivos e independentes. Infelizmente, o Parlamento não tem sido nem altivo nem independente.

Sobre a não cassação do deputado Natan Donadon
Absolutamente lamentável a posição da Câmara dos Deputados. O PSDB teve uma posição clara, como partido, a favor não apenas da condenação, porque eu não conheço nem o mérito do processo, mas cabe ao Poder Legislativo cumprir a decisão em última instância do Poder Judiciário. É uma demonstração de que, urgentemente, precisamos ter o voto aberto para cassação de mandatos.

O voto do eleitor, este sim, deve ser secreto. Para preservar a liberdade do eleitor de fazer opções sem qualquer tipo de coação. Mas ontem, vimos a demonstração cabal e definitiva de que o voto para este tipo de decisão tinha de ter sido aberto.

Lamento profundamente a decisão da Câmara porque, a meu ver, e falo isso inclusive como parlamentar de muitos anos, como presidente da Câmara dos Deputados no passado, é um desrespeito à população brasileira. É incompatível você ter alguém exercendo o mandato parlamentar e, ao mesmo tempo, estar condenado sem mais possibilidade de recurso pela Corte Suprema.

Lamentei profundamente e acho que foi um dia triste para o Congresso Nacional. A posição do meu partido, o PSDB, foi pelo respeito à decisão do Supremo Tribunal Federal e continuará ser em todas as outras decisões do gênero.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Oprah Winfrey sofre preconceito na Suiça

Órgão suíço pede desculpas a Oprah Winfrey por tratamento 'racista' 
A apresentadora Oprah (Foto: AP)

Twitter do Suisse Turisme publicou: 'Comportamento inadequado'.

Ela diz que vendedora de loja recusou mostrar bolsa por ser 'caro demais'.O órgão público que promove o turismo na Suíça, o Suisse Turisme, pediu desculpas nesta sexta-feira (9) a Oprah Winfrey, milionária apresentadora da televisão americana, pelo suposto tratamento racista que sofreu em uma loja de luxo de Zurique. "A vendedora que atendeu a celebridade teve um comportamento inadequado e sentimos muito", escreveu a organização em sua conta no Twitter.

Vários meios de comunicação também lamentaram a impressão que Winfrey levou da Suíça, enquanto o proprietário da loja em questão pediu desculpas pelo comportamento de sua funcionária, embora tenha garantido que toda esta polêmica surgiu na realidade de "um mal-entendido".

A apresentadora de televisão estava na região de Zurique no final de julho, assim como muitos outros famosos, para assistir ao casamento da cantora Tina Turner com Erwin Bach. Durante sua estadia, Winfrey se hospedou no luxuoso hotel Dolder Grand de Zurique e decidiu dar um passeio pelas ruas e visitar as lojas mais exclusivas da cidade. Interessada em uma bolsa que viu em uma vitrine, a apresentadora entrou na loja e pediu à vendedora que lhe mostrasse o acessório, pedido que lhe foi negado.

Em entrevista à emissora "CBS" dos Estados Unidos sobre o tema do racismo, Winfrey relatou como foi a conversa: "Com licença, eu posso ver essa bolsa?", pediu ela, referindo-se ao acessório de couro de crocodilo, avaliada em 28 mil euros (cerca de R$ 86 mil) e que se encontrava atrás de uma vitrine blindada. A funcionária teria respondido: "Não, é cara demais".

Oprah, dona de uma fortuna de mais de US$ 2,5 bilhões (R$ 5,7 bilhões) e uma das personalidades mais influentes dos EUA, afirmou que insistiu e obteve uma resposta ainda pior: "Não, a senhora não pode pagar por esta bolsa, é melhor dar uma olhada nesta", teria dito a vendedora, mostrando um acessório menor.
Indignada com o tratamento, a estrela americana disse que chegou a pensar em comprar a loja inteira, mas desistiu quando percebeu que isso faria com que a vendedora recebesse uma enorme comissão pela venda.

No entanto, o dono da loja explicou que o fato foi um mal-entendido, porque a funcionária tentou mostrar a Oprah outras bolsas similares no andar superior, mas ela já não estava interessada. Para a imprensa da Suíça, o incidente envolvendo a estrela da televisão americana mancha fortemente a imagem do país no exterior.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Prefeito de Lagoa Santa é cassado e vice assume



Assumiu, nesta quinta-feira, a prefeitura de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o vice Genesco Aparecido de Oliveira Neto, do PMDB. Os vereadores da cidade cassaram o mandato de Fernando Pereira Gomes Neto, do PSB. 

A principal acusação contra ele é de superfaturamento na contratação de serviços de limpeza.

Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Lagoa Santa, foram exonerados cerca de 150 funcionários nomeados pela antiga administração.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Queijo minas poderá ser exportado para outros estados

Centros de maturação serão inaugurados e produto feito a partir do leite cru poderá ser exportado para outros estados 

Patrimônio do estado e do país, o famoso queijo artesanal feito em Minas a partir do leite cru vai poder ser legalmente exportado para outros estados da federação, colocando freio no comércio ilegal no contrabando do produto para diversas regiões do país. No dia 8, serão inaugurados em Medeiros, na Serra da Canastra, e em Rio Paranaíba, no Alto Paranaíba, os primeiros centros de maturação do estado. Até então, os pequenos produtores não conseguiam cumprir as regras determinadas pela legislação federal e dar garantias de que o produto foi submetido ao prazo de maturação exigido por lei.

De agora em diante, o queijo mineiro que passa pelos centros de maturação vai ganhar selo de inspeção com validade nacional e mais espaço nas prateleiras do mercado formal. Os centros contaram com investimentos na ordem de R$ 500 mil do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e com apoio de vários órgãos do estado, como Emater e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). 

Outra unidade no Serro, no Vale do Jequitinhonha, está em andamento com recursos das cooperativas locais. Na prática, as estruturas vão legalizar a etapa da comercialização do queijo  minas artesanal. O selo de inspeção também dará aval de qualidade ao consumidor. “O centro de maturação é saída para o pequeno produtor vender em outros estados. Existem investimentos previstos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Paranaíba (Codevasf) para construção de mais unidades pelo estado. A partir de agora, as associações também devem buscar recursos para viabilizar os centros em seus municípios”, diz João Carlos Leite, presidente da Associação dos Produtores do Queijo Canastra (Aprocan), prevendo um grande movimento para construção de centros de maturação em Minas. 

Uma unidade individual de maturação será inaugurado em Araxá, no dia 9. Para montar um centro particular com capacidade de maturação perto de 500 peças, são necessários investimentos de aproximadamente R$ 80 mil. “O associativismo é a saída”, diz Altino Rodrigues, diretor geral do IMA.

 O tempo de maturação do queijo feito com o leite cru e não pasteurizado é uma polêmica. Segundo Rodrigues, a legislação chegou a exigir 60 dias, mas a partir de estudos científicos Minas Gerais conseguiu provar que o prazo de 17 a 22 dias é suficiente para garantir a qualidade ao consumidor. Ele explica que o IMA vai conferir aos queijos o selo do Sistema Brasileiro de Inspeção (Sisbi), equivalente ao selo da Secretaria de Inspeção Federal (SIF). 

O queijo artesanal de Minas já foi apontado por especialistas franceses como um dos melhores do mundo. Com 27% da produção nacional, o estado é dono da maior bacia leiteira do país e também é o maior produtor de queijos a partir do leite cru. O australiano especialista em queijos Will Studd roda o mundo documentando os grandes pontos produtores. Recentemente foi atraído pelo produto mineiro. Ele apontou o paladar intenso do queijo canastra e alertou: “Pode ser um queijo muito viciante. Uma vez que você prova é difícil parar de consumi-lo”.

Nova norma

 Na terça-feira, na Federação da Agricultura de Minas Gerais (Faemg) os governos federal e do estado vão assinar a modificação na instrução normativa que define as regras para a fabricação do queijo artesanal no país. “As exigências sanitárias da antiga norma eram impossíveis de serem cumpridas pelos pequenos produtores. As novas regras vão permitir a exportação legal do queijo”, diz Leite. Perguntado se o produto vai ficar mais caro para o consumidor, ele não tem dúvidas. “O consumidor terá um produto de maior valor agregado, o que deve elevar a remuneração para o produtor desse queijo”, aposta.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

DETRAN/MG: Cobrança será feita por hora

...

Veículos apreendidos passam a pagar valores fracionados e não mais os R$ 28 da diária.

Quando teve o carro apreendido há dois anos, o publicitário Felipe Soares, 26, se surpreendeu com as taxas que teria que pagar para liberar o veículo. Depois de ter dor de cabeça na hora de tentar localizar para onde o carro havia sido levado, ele ainda teve que desembolsar cerca de R$ 200, entre taxas, multas e a diária de permanência no pátio. “Meu carro foi rebocado de madrugada e, na manhã do dia seguinte, eu já estava lá para retirá-lo. Mas tive que pagar como se ele tivesse ficado lá o dia inteiro”, reclama. Uma lei sancionada ontem pelo governo do Estado pretende diminuir reclamações como as de Felipe e o impacto no bolso dos motoristas.Pela nova medida, os condutores que tiverem os veículos apreendidos nos pátios credenciados pelo Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) passam a pagar valores fracionados e não mais os R$ 28 cobrados pela diária. A cada hora, um veículo com peso bruto igual ou superior a 3,5 toneladas irá pagar R$ 1,25, enquanto os proprietários de carros de passeio, que geralmente pesam menos que isso, irão pagar R$ 1,05. A taxa cobrada pelo reboque, estipulada em R$ 152, continua a mesma.

Na prática, para quem esperar 24 horas para retirar um carro de modelo convencional, a economia será de apenas R$ 2,80. Mas, nos casos como o de Felipe, que levou menos de 12 horas, a economia pode ser de até R$ 20. “Pode parecer pouco, mas hoje as taxas são tão caras que já dá um alívio”, avalia o publicitário.

Na justificativa do projeto de lei que originou a proposta e tramitava desde o ano passado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado Rogério Correia (PT) defendeu que o modelo atual não observa o princípio da razoabilidade, “uma vez que não há equivalência entre o serviço prestado e o valor por ele exigido”.

MOTOCICLETAS
Para os proprietários de motos, que antes eram obrigados a pagar os R$ 28, o valor da hora será de R$ 0,62. Apesar de aprovar a ideia da redução da taxa, o presidente da Associação dos Motociclistas Trabalhadores de Minas Gerais, José Carlos Roberto, chama a atenção para a falta de proporção dos valores cobrados.

“Ainda há margem para abaixar mais. Uma moto ocupa apenas um quinto do espaço de um carro no pátio. A cobrança tem que ser equivalente também ao metro quadrado ocupado”, diz. Se a proporção fosse observada, motociclistas poderiam pagar R$ 0,21 por hora.

Segundo a lei, os valores valem desde ontem, quando sanção foi publicada.

...

Praça Sete ficará interditada por 13h para festa do Galo

O tráfego de veículos na Praça Sete, no Centro de Belo Horizonte, será interditado a partir das 15h desta quinta-feira. O trânsito só será liberado após as 4h de sexta-feira. O motivo é a comemoração do Clube Atlético Mineiro pela conquista da Taça Libertadores da América. 

Cerca de 30 mil pessoas são esperadas para o evento. Jogadores e comissão técnica deixarão a Cidade do Galo em um carro do Corpo de Bombeiros e seguirão em cortejo até o principal cruzamento da capital. A chegada à Praça Sete está prevista para as 19h30. Trio elétrico irá animar os torcedores e o Clube garantiu a distribuição de 200 mil latas de cerveja.

De acordo com a BHTrans, agentes do órgão e policiais militares irão atuar na operação de trânsito por causa da interdição. Faixas serão instaladas para orientar os motoristas e os usuários de ônibus deverão ficar atentos aos desvios para buscar pontos de embarque opicionais.

Confira abaixo os desvios:

Avenida Afonso Pena - Sentido Rodoviária: ...Av. Afonso Pena, R. Espírito Santo, R. dos Guaicurus, R. 21 de Abril, Viaduto A... ou

R. dos Guaicurus, R. Curitiba, Av. Contorno, R. Paulo de Frontin, Rua Saturnino de Brito, Rodoviária...,

Avenida Afonso Pena - Sentido Mangabeiras: ...R. dos Caetés, R. Curitiba, Av. Amazonas, R. dos Tamoios, Av. Afonso Pena, ...

Avenida Amazonas - Sentido Praça Raul Soares: ...Rua da Bahia, Av. Augusto de Lima, R. Padre Belchior, Av. Amazonas,...

Avenida Amazonas - Sentido Praça Sete: ...Av. Amazonas, R. dos Tamoios, Av. Afonso Pena, R. Espírito Santo, R. dos Tupinambás, ...

Vizinhos querem grades em volta da Praça Raul Soares



Invasão de moradores de rua, depredação e constrangimento a frequentadores leva vizinhança da Raul Soares, no Centro de BH, a ideia extrema: abaixo-assinado pede cercamento do espaço Fartos de assistir a mendigos fazendo necessidades em público, a cenas de sexo explícito, a depredações e à falta de segurança, moradores e representantes de instituições do entorno da Praça Raul Soares querem cercar o espaço com grades e controlar os acessos, aos moldes de um parque municipal. O movimento é encabeçado pelo condomínio do Edifício JK e tem apoio de outros interessados, como a vizinha Primeira Igreja Batista de Belo Horizonte. Nos seis meses de debates sobre a iniciativa foi elaborado um abaixo-assinado que circula por moradias e pontos de comércio e que, segundo a gerência do condomínio, já conta com mais de mil adesões. A iniciativa é polêmica e divide opiniões. Turistas e moradores se mostram favoráveis, principalmente por não verem solução para conservar o monumento, tombado, que foi reformado há cinco anos. Especialistas, moradores de rua e o chefe da companhia da Polícia Militar local são contra. 

“O que queremos é gradear a Praça Raul Soares e disciplinar a entrada das pessoas, como ocorre, por exemplo, no Parque Municipal (Américo Renné Giannetti). O local se tornou dormitório da população de rua, e essa não é a finalidade. Pior ainda, pessoas idosas e crianças estão impedidas de usufruir do espaço”, afirma o gerente do Condomínio Conjunto Kubitschek, Manoel Freitas. De acordo com o administrador do edifício, que tem mais de 5 mil moradores e fica bem diante da praça, condomínios, igrejas e comerciantes, ao saber do abaixo-assinado – que será entregue à Prefeitura de Belo Horizonte –, pediram cópias para participar. “Já recebemos até ameaças de quem usa a praça de noite para fazer coisas proibidas, por causa do movimento, mas não vemos alternativa para termos de volta o sossego e a segurança. Muitos idosos estão evitando passar por aqui para não serem assaltados ou constrangidos”, disse.

O condomínio foi um dos apoiadores do Orçamento Participativo Digital, que em 2008 entregou a praça reformada depois de anos de abandono e degradação. “Fornecemos computadores para as pessoas votarem e poderem salvar a praça, até que a proposta venceu a eleição. Cinco anos depois vemos tudo começar de novo: o abandono, a depredação, as pessoas evitando o local”, reclama Freitas. 

A professora de sociologia da Universidade Federal de Minas Gerais Andrea Zhouri, doutora pela universidade inglesa de Essex, diz não conhecer a iniciativa, mas se posiciona contra a ideia de fechamento de um espaço público. “Trancar uma praça não será a solução de segurança e contra depredações. Isso me espanta um pouco. A praça é pública e tem uma história como local de livre acesso dos cidadãos”, afirma. Para a socióloga, a questão dos moradores de rua é um desafio social e de políticas públicas. “Não é fechando espaços que os cidadãos têm direito de conhecer e frequentar que se vai mudar isso”, afirma.

Governo de Minas anuncia medidas que irão gerar economia de mais de R$ 1 bilhão aos cofres públicos

Entre elas, está a redução do número de secretarias e dos cargos comissionados
O número de 23 secretarias que, atualmente, compõe o governo de Minas, cairá para 17, em 2014, segundo anúncio do governador Antonio Anastasia nesta quarta-feira (31). Além disso, 52 cargos do alto escalão do governo serão extintos e outras medidas de redução de gastos irão ser implementadas já a partir desta quinta (1º), totalizando uma economia de R$ 1,1 bilhão aos cofres públicos.

Um decreto será publicado  para anunciar as mudanças previstas ainda para este ano, como a redução de 20% dos cargos de confiança, implementação de restrição de consultorias, e proibição de viagens nacionais e internacionais dos servidores públicos pagas pelo Estado. Só este ano, espera-se que a economia com as novas medidas chegue a R$ 120 milhões.

A estimativa é de que, de agosto até dezembro de 2013, as despesas de custeio do Estado sejam reduzidas em R$ 105 milhões, o equivalente a 13% do total de despesas de custeio com recursos do Tesouro Estadual previstas para o período. Para Anastasia, a reestruturação administrativa anunciada tem como objetivo principal adaptar Minas Gerais à nova conjuntura decorrente da crise econômica internacional, que provocou queda nas atividades econômicas no país e levou a uma redução das receitas do Estado. “As dificuldades econômicas exigem que os governantes busquem soluções adequadas para se adaptarem às novas realidades”, afirmou.

Menos secretarias, mais economia

A mudança das secretarias irá ocorrer com a fundição de algumas delas. A Secretaria do Trabalho irá se juntar à de Desenvolvimento Social; as secretaria de Esportes, Turismo e da Copa irão se tornar uma só; a Secretaria de de Regularização Fundiária se une à Secretaria de Agricultura, enquanto a Secretaria de Gestão Metropolitana será fundida à de Desenvolvimento Regional. Além disso, a Secretaria de Investimentos Estratégicos será transformada em uma assessoria especial para o gabinete do governador.

Com isso, 52 cargos de alto escalão do governo serão extintos. Porém, essa medida só passará a valer a partir do dia 1º de janeiro de 2014.REESTRUTURAÇÃO

Economia prevista: 1,1 bilhão

Medidas que entram em vigor amanhã: 
-Bloqueio de nomeação de 20% dos cargos comissionados - Economia anual de R$ 93 milhões
- Proibição de viagens nacionais e internacionais - Economia anual de R$ 49 milhões
- Suspensão da participação em cursos, congressos e seminários - Economia anual de R$ 30 milhões
- Proibição de contratação de consultorias - Economia anual de R$ 22 milhões
- Criação de um central de serviços compartilhados - Economia anual de R$ 15 milhões
- Restrição para utilização de veículos de representação - Economia anual de R$ 11 milhões
- Restrição para realização de eventos e substituição de documentos impressos por eletrônicos - Economia anual de R$ 4,1 milhões
- Redução de 50% no limite de uso de celular corporativo - Economia anual de R$ 1,6 milhão
- Autorização para licença de servidores para tratar de assuntos particulares (quando não há necessidade de substituição)
- Integração das estruturas regionais do governo do Estado
- Proibição da cessão de servidores para órgãos de outros Poderes
- Proibição do aumento de estagiários

Medidas que entrarão em vigor a partir do dia 1º de janeiro de 2014:
- Fusão da Secretaria do Trabalho com a Secretaria de Desenvolvimento Social
- Fusão da Secretaria de Esportes com a Secretaria de Turismo e com a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo
- Fusão da Secretaria Extraordinária de Regularização Fundiária com a Secretaria de Agricultura
- Fusão da Secretaria Extraordinária de Gestão Metropolitana com a Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política Urbana
- Secretaria Extraordinária de Coordenação de Investimentos Estratégicos será transformada em Assessoria Especial da Governadoria
- As autarquias Detel-MG e Ademg serão extintas e absorvidas, respectivamente, pela TV Minas e pela nova secretária formada a partir da fusão das pastas de Esportes, Turismo e Copa do Mundo
- Fusão da Ruralminas com o Iter-MG
- Fusão do IGA com o Cetec-MG

Arquivo do blog