Artigos? Envie para o email marcelopassossenador@gmail.com

Pesquisa Web

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Milton Nascimento e Criolo abrem turnê de 'Linha de frente' em BH

Show que tem tudo para amadurecer bem com o tempo. Artistas confessam admiração mútua


Criolo avisou, logo depois de entrar no palco do Palácio das Artes: o que se veria ali não é propriamente um show, mas o “encontro de almas”. O rapper paulistano e Milton Nascimento, astro da MPB, começaram por BH a turnê de 'Linha de frente', com direito a muitos abraços em cena, tietagem e até convite ao público para entoar um mantra para chamar Bituca ao microfone. 

O “encontro de almas” começou reverenciando a palavra – esteio da canção e do rap. Oportunamente, surgiu 'A terceira margem do rio', a quase desconhecida parceria de Milton e Caetano Veloso inspirada em Guimarães Rosa. Depois foi a vez de Dorival Caymmi. Bituca parece recitar para chamar o vento, mas seu flerte sutil com o hip-hop, o canto falado, fica por aí. Aos 71 anos, ele não se arrisca a levar o barco para além da zona de conforto da canção.

Trinta e três anos mais jovem, coube a Criolo se atirar – feliz da vida – nas águas miltonianas. Haja coragem, para não dizer zona de risco. O show evidencia que Deus não deu a Kleber Gomes o gogó do parceiro. Muito longe disso. Houve quem se irritasse com suas desafinadas na noite de sexta-feira e com a coreografia meio surtada. Mas o rapaz, que outrora assinava Criolo Doido, encara 'Morro velho', entre outros clássicos do Clube da Esquina. E não se intimida em dividir o palco com a jovem carioca Júlia Vargas, vozeirão respeitável. Guardem o nome dessa moça, convocada por Bituca para repetir com ele um de seus duetos com Sarah Vaughan... 

Milton toca a sanfoninha que ganhou da mãe na revigorada 'Ponta de Areia', a veterana 'Travessia' ainda tem o seu lugar, Criolo é mais Criolo quando interpreta o repertório autoral, talhado para o seu gogó. Clássico de Chico Buarque e Gilberto Gil potencializado pela voz “Brasil profundo” de Milton, 'Cálice' não poderia faltar. Essa bela canção inspirou o rap de Criolo gravado pelo próprio Chico. Diz assim: “Afasta de mim a biqueira, pai / Afasta de mim as biate, pai/ Afasta de mim a cocaine, pai/ Pois na quebrada escorre sangue”. 

Boa música para montar o repertório do show é que não faltava. E dá-lhe 'Bogotá', de Criolo, e 'Escravos de Jó', de Milton Nascimento e Fernando Brant, as duas devidamente apresentadas em dupla. Para mostrar que o namoro da turma do hip-hop com Bituca não é de hoje, é bom lembrar que a mesma 'Escravos de Jó' já havia sido sampleada recentemente por Marcelo D2. 

No sábado, o público aplaudiu, tirou fotos e levou a bandeira de Minas Gerais, devidamente exibida por Criolo. Ainda assim, não se chegou àquela catarse eletrizante que marca os grandes encontros. Ainda há um quê de ensaio geral, um clima de “vamos fazer um som lá em casa” que marcou o início da amizade do rapper com Milton. Estreia é estreia, há muito palco pela frente.

Antes que se imagine um passo decisivo na “linha evolutiva” do tão badalado casamento do rap com a música popular brasileira, é bom lembrar: não houve surpresa. O show se chama 'Milton convida Criolo'. Obra em processo? Talvez. Mas seria bacana ver Bituca se arriscar mais no universo do parceiro mais jovem. 'Linha de frente' provou isso (é aquela música da Turma da Mônica, do Cascão rei do morro chapa-quente). Milton estava para lá de soltinho em 'Mariô'. Pena ter ficado só na vontade ouvi-lo cantar 'Não existe amor em SP'. A “Travessia” de Criolo acabou defendida apenas pelo autor, acompanhado pelos fãs. Mas que merecia um dueto, isso merecia.

Fonte: http://divirta-se.uai.com.br/app/noticia/musica/2014/06/16/noticia_musica,156312/milton-nascimento-e-criolo-abrem-turne-de-linha-de-frente-em-bh.shtml

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Pão de Queijo Tradicional Recheadíssimo

Ingredientes

1 pacote de Pão de Queijo Tradicional (400 g)
1 xícara (chá) de Catupiry® (200 g)
¾ xícara (chá) de azeitonas pretas picadas (86 g)
½ maço de tomilho (folhas) (15 g)
Noz-moscada

Modo de Preparo

Pré-aqueça o forno a 180ºC por 10 minutos. Leve os pães de queijo ao forno, em uma forma untada, com 3 cm de distância entre eles, por 30 minutos, ou até que fiquem dourados.

Enquanto isso, faça o recheio: em uma vasilha, misture o Catupiry com as azeitonas pretas e com o tomilho, e tempere com noz-moscada. Coloque o recheio em um saco de confeitar com bico liso de 0,5 cm de diâmetro.

Assim que os pães estiverem assados, retire-os do forno. Fure cada pão de queijo, na lateral, com o bico, e injete o recheio. Sirva em seguida.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Maria Bethânia interpreta o Brasil em seu novo disco "Meus Quintais"

O Brasil, os índios, a infância, a alegria. Esses são alguns dos ingredientes que compõem a mais nova produção de Maria Bethânia, o disco “Meus Quintais” (Biscoito Fino). Em meio à brasilidade que “toca e emociona” a artista, o álbum traz diversas canções gravadas pela primeira vez pela baiana de Santo Amaro da Purificação, filha mais nova de seu Zeca (o Onça) e dona Canô.

No repertório, escolhido à vontade da intérprete, aparecem de músicas cantadas por sua mãe na época de sua infância, como “Lua Bonita”, a canções que conheceu recentemente. “‘Moda de Onça’, por exemplo, conheci agora, quem me apresentou foi um grupo de professores e estudantes de história da Universidade Federal de Minas Gerais”, explicou Bethânia à imprensa de todo o Brasil nessa quinta (5), através de uma coletiva online.

Minas Gerais também se faz presente pela participação do pianista Wagner Tiso, na música “Dindi”, que encerra o álbum. “O piano é muito requintado, mas quintal é requintado, não é qualquer lugar”, justifica a artista. “O Wagner tem Minas, aqueles horizontes todos, aquelas serras, montes, aquele silêncio, aquelas alterosas”, completa.

A cultura indígena é outro ponto destacado por Bethânia no disco – afinal, como ela diz, “eles são os donos da terra, são o chão, são o Brasil”.

Todo o disco remete às memórias de infância da baiana, e este foi o mote inspirador não apenas para selecionar as faixas, como é o caso de “Uma Iara Uma Perigosa Yara”, retirada dos textos de Clarice Lispector, mas também na composição do encarte do álbum, que conta com fotos de esculturas em madeiras feitas pela própria Bethânia. A cantora conta que pensou em usá-las pelo fato de se conectarem com o que seria uma inocência presente no citado texto da escritora, “bem o estilo do disco”.

Prestes a completar 50 anos de carreira (em 2015), Maria Bethânia pretende comemorar tudo que vivenciou na música, e “Meus Quintais” seria um “contraponto” à necessidade de “viver em centros urbanos”, uma lembrança à infância em Santo Amaro, em meio à família e amigos – afinal, nas palavras da intérprete, “quintal é o melhor lugar do mundo”.

Fonte: http://www.hojeemdia.com.br/pop-hd/maria-bethania-interpreta-o-brasil-em-seu-novo-disco-meus-quintais-1.246151

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Culinária mineira será tema de enredo da Salgueiro em 2015

Livro 'História da Arte da Cozinha Mineira por Dona Lucinha' foi inspiração.


A cozinha regional será abordada de maneira ampla no desfile.A escola de samba carioca Salgueiro escolheu como tema enredo para o carnaval 2015 a culinária mineira. Segundo revela a diretora da agremiação, Regina Celi, a inspiração surgiu a partir do livro “História da Arte da Cozinha Mineira por Dona Lucinha”; literatura que conta a construção da cozinha do estado a partir da evolução dos fogões. Contudo, a história da cozinha regional será contada de maneira ampla no desfile.

A canção que atravessará a Sapucaí ainda não está pronta. Conforme revela a carnavalesca do Salgueiro Márcia Lage, este é um momento de construção. “Já devorei o livro. (...) Só nos resta pôr essa panela no fogo e fazer essa mistura”, conta ela sobre a pesquisa feita. E acrescenta que mesmo não tendo nascido na fazenda, pôde perceber toda a essência da mesa posta das cidades interioranas, onde quitutes e comidas têm sabores mais característicos.

Dona Lucinha é proprietária de um tradicional restaurante em Belo Horizonte, que serve pratos tipicamente regionais. Por estar doente, ela não participou do anúncio feito à imprensa, mas seus filhos a representaram.
A filha da fundadora da casa e coautora do livro, Márcia Clementino, remete a construção textual à mãe. “Ela dizia que as receitas se desenvolvem junto com a história dos fogões”, relembra, ao falar do processo de montagem. Sobre o sabor famoso das receitas, Márcia acredita que a cozinha mineira seja rica, universal. “A mineração trouxe gente de todo o mundo, fez uma síntese [do que temos hoje]” explica ela.

A carnavalesca da agremiação carioca afirma que mais que regional, a comida mineira é, em primeiro lugar, brasileira e, por isso, representará muito bem a cultura nacional. “Estou muito confiante”, diz, ao falar das expectativas para o carnaval do próximo ano. Bom agouro reforçado por Regina Celi, que também aposta na vitória com o enredo escolhido.

As bandeiras do estado de Minas Gerais e da agremiação carnavalesca compartilham as mesmas cores. Mas a escola já dividiu outras histórias mineiras. Aleijadinho, Xica da Silva, Chico Rei e Dona Beja já foram temas de enredos do Salgueiro. Desta vez, a agremiação parte do Serro, cidade onde nasceu Dona Lucinha, para contar um pouco mais do estado.

O secretário de turismo, Tiago Lacerda, presente no evento que divulgou a parceria entre Minas e Rio no carnaval, afirmou que o momento é bastante oportuno para destacar a culinária do estado. Um dos motivos é a promoção internacional ocorrida após a homenagem no Madrid Fusión, em 2013. O deputado estadual Fred Costa, que intermediou o contato, ressaltou, no entanto, que não haverá investimentos públicos para este evento. “O dinheiro é do Salgueiro e das formas que eles usam para arrecadar esse dinheiro”, disse.

No próximo dia 16 de junho a sinopse da história da culinária mineira será entregue à ala de autores do Salgueiro para produções de sambas-enredo. Os compositores têm cerca de um mês para apresentar as músicas. Elas serão votadas em agosto e a vencedora desfilará na Sapucaí durante o carnaval. Segundo os carnavalescos da escola, normalmente são sete carros alegóricos e de 30 a 35 alas. Na teia artística montada na avenida, “certamente Dona Lucinha receberá destaque”, conta o diretor de carnaval da escola, Renato Lage. Márcia Clementino afirma que a família estará presente na festa.

Dona Lucinha

O restaurante foi fundado em 1990 e já soma 24 anos de trajetória. Mas a cozinheira Dona Lucinha trabalhou por 40 anos viajando pelo Brasil, em festivais que já levavam a cozinha do estado a vários outros lugares.

Uma das filhas de Dona Lucinha, Márcia Clementino acredita que a mãe contribuiu para semear o terreno atualmente desfrutado pela culinária local. Segundo ela, a mãe está orgulhosa e realizada pela homenagem, embora não esperasse que seus passos iniciados na fazenda onde morava, no Serro, chegassem a tanto.

O início do caminho até a casa montada em Belo Horizonte nasceu enquanto Dona Lucinha trabalhava como professora rural. O momento da merenda, ela percebia que os alunos se sentiam envergonhados pela comida que levavam. Às vezes batata-doce, outras um pedaço de mandioca. Mas dos quitutes eles se orgulhavam.

A partir dessa observação, ela começou a planejar merendas coletivas com pais e alunos, e incentivar que essa fonte de alimento fosse motivo de orgulho. “Daí derivou os festivais de comida mineira”, conta Márcia, relembrando as viagens da mãe à cidades como Belém, São Paulo e Brasília.

Depois de um tempo, já com 11 filhos, ela resolveu montar o restaurante na capital mineira. A estética deveria obedecer ao clima de fazenda, mais rústico. “O conceito é o mesmo que alimentou os festivais dela, que queria mostrar a coisa da mesa mineira, da reunião familiar”, explica a filha, também feliz pela história de sua genitora.
Devota de Nossa Senhora do Rosário, Dona Lucinha tem também como característica a religiosidade. Imagens podem ser vistas no estabelecimento. Supersticiosa, ela posta sempre na quarta-feira como dia de sorte para inaugurar grandes eventos. Talvez essa tradição ajude também o Salgueiro durante a abertura de notas, que ocorre na quarta-feira de cinzas.

Fonte: http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2014/06/culinaria-mineira-sera-tema-de-enredo-de-samba-da-salgueiro-em-2015.html

Luto: Morre em BH garota de 13 anos que aguardava transplante de coração

Adolescente sofria de insuficiência cardíaca há três anos; nessa quarta apareceu um doador, mas órgão não estava sadio o suficiente para ser transplantado

A adolescente de 13 anos que aguardava um transplante de coração e estava internada no Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, morreu na noite dessa quarta-feira (4).

De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, o óbito foi confirmado por volta de 21h. Renata Lara de Oliveira estava internada há 44 dias em estado grave no Centro de Terapia Intensiva (CTI).

A menina sofria de insuficiência cardíaca há três anos e o seu caso ganhou destaque depois que a adolescente gravou um vídeo em que dizia: “quero muito viver; me ajuda”. O depoimento foi compartilhado várias vezes pelas redes sociais.

Nessa quarta, surgiu a possibilidade de um doador de Manhuaçu, na Zona da Mata mineira, mas ele foi descartada depois que a equipe médica descobriu que o órgão não estava sadio o suficiente para ser transplantado.

O sepultamento de Renata deve acontecer em Leandro Ferreira, na região Centro-Oeste do Estado, onde a garota morava com a família.

Fonte: http://www.otempo.com.br/cidades/morre-em-bh-garota-de-13-anos-que-aguardava-transplante-de-cora%C3%A7%C3%A3o-1.858692

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Belo Horizonte é a 6ª capital com pior trânsito do país, diz análise

De acordo com o levantamento, a capital mineira chega a ter 42% de suas vias congestionadas durante os horários de pico


Uma análise comparativa das nove maiores capitais brasileiras mostra que as cidades do Nordeste e a capital fluminense têm uma densidade de tráfego maior do que São Paulo. 

De acordo com o texto, Belo Horizonte chega a ter 42% de suas vias congestionadas durante os horários de pico. O número deixa a capital de Minas como a 6ª pior cidade brasileira no quesito.

Enquanto isso, a capital paulista chega a ter 46% de suas vias congestionadas nos horários de pico.Salvador chega a ter incríveis 59%. A capital mais congestionada, na comparação com o total de vias, é Recife, com lentidão em 60% de suas vias nos horários de pico.

A pesquisa com os dados está sendo divulgada nesta quarta-feira (4), pela empresa de tráfego TomTom. Os dados são coletados dos aparelhos GPS da empresa, espalhados pelas frotas, e de aplicativos de celulares que usam a tecnologia da empresa.

Segundo a TomTom, a medição do tráfego não leva em conta o tamanho dos congestionamentos - como faz, por exemplo a Companhia de Engenharia de Tráfego. "O que medimos é a densidade do congestionamento", diz o gerente de vendas da empresa, Julio Quintela. É uma comparação entre a quantidade de ruas existentes na cidade e quantas delas estão congestionadas. "Também fazemos a comparação da densidade nos horários de pico e fora deles, o que é um indicativo da infraestrutura", diz Quintela.

Quintela afirma que os dados mostram uma menor infraestrutura dessas cidades para absorver os congestionamentos. "Notamos que as cidades do Nordeste tiveram aumento dos congestionamentos no último ano. Uma hipótese para isso é a grande quantidade de obras públicas nas vias, para a Copa, que podem ter aumentado o trânsito", diz.

Mundo

A TomTom também comparou a densidade do trânsito nas 120 maiores cidades do mundo. Nesse quesito, Brasil tem duas cidades entre os top 5 (São Paulo e Rio).

A cidade com mais vias congestionadas da Terra, segundo a empresa, é Moscou, na Rússia, onde 74% das vias ficam saturadas nos horários de pico. Em segundo lugar, Istambul, na Turquia, com 62% das vias saturadas.

"Fizemos essa análise levando em conta uma lista prévias das maiores cidades. Por isso que Recife ficou de fora", explica Quintela.

VEJA LISTA DAS CAPITAIS BRASILEIRAS COM PIOR CONGESTIONAMENTO:

1. Recife: 60%

2. Salvador: 59%

3. Rio de Janeiro: 55%

4. Fortaleza: 48%

5. São Paulo: 46%

6. Belo Horizonte: 42%

7. Porto Alegre: 38%

8. Curitiba: 34%

9. Brasília: 27%

VEJA RANKING MUNDIAL DAS CIDADES COM PIOR CONGESTIONAMENTO:

1. Moscou: 74%

2. Istambul: 62%

3. Rio de Janeiro: 55%

4. Cidade do México: 54%

5. São Paulo: 46%

6. Palermo: 39%

7. Varsóvia: 39%

8. Roma: 37%

9. Los Angeles: 36%

10. Dublin: 35%

Fonte: http://www.otempo.com.br/capa/brasil/belo-horizonte-%C3%A9-a-6%C2%AA-capital-com-pior-tr%C3%A2nsito-do-pa%C3%ADs-diz-an%C3%A1lise-1.858034

terça-feira, 3 de junho de 2014

Aprenda a fazer uma Omelete de Batata com Salsicha



Ingredientes

6 ovos sal e pimenta-do-reino
½ maço de salsinha picado (45 g)
3 batatas (480 g)
4 colheres (sopa) de azeite (52 ml)
4 unidades de Salsicha de Frango (170 g)
1 cebola roxa pequena picadinha (70 g)
4 colheres (sopa) de manteiga (52 g)

Modo de Preparo

Com o auxílio de um garfo, bata os ovos e tempere com sal, pimenta-do-reino e metade da salsinha.

Descasque as batatas e passe-as em um fatiador de legumes para obter fatias bem finas.

Aqueça uma frigideira antiaderente (20 cm de diâmetro), adicione metade do azeite e refogue metade das batatas por 5 minutos, ou até que fiquem cozidas e douradas. Enquanto isso, corte as salsichas de modo a obter 4 fatias de comprido.

Adicione metade das salsichas e metade da cebola e refogue por mais 2 minutos. Em seguida, adicione o restante da salsinha e metade dos ovos batidos. Cozinhe por 5 minutos, ou até que a omelete não tenha mais nenhuma parte líquida.

Retire a frigideira do fogo e passe a omelete para um prato maior que a frigideira, com a parte dourada virada para baixo. Então, apoie o prato sobre a mão, coloque a frigideira por cima e vire rapidamente (segurando bem o prato), para que a omelete volte para a panela. Volte ao fogo por mais 3 minutos.

Repita o procedimento com o restante dos ingredientes e sirva em seguida, com salada de tomates como acompanhamento. 

Fonte: http://www.hojeemdia.com.br/pop-hd/receitas/aprenda-a-fazer-uma-omelete-de-batata-com-salsicha-1.245554

Zoológico de BH confirma que gorila Imbi está grávida

Casa dos três únicos gorilas da América do Sul, o Jardim Zoológico de Belo Horizonte vai ganhar mais dois moradores da espécie nos próximos meses. A gorila Imbi está grávida de seis meses, de acordo com Fundação Zoo-Botânica da Prefeitura de Belo Horizonte (FZB-BH).

O anúncio vem quatro meses após a confirmação da gravidez de Lou Lou. Imbi deve dar à luz ao filhote em setembro, um mês após Lou Lou. As duas acasalaram com o gorila Leon.

A notícia da segunda gestação foi muito bem recebida pelo diretor do Jardim Zoológico de Belo Horizonte, Gladstone Araújo. “Além de conservar a espécie de gorila, que hoje são apenas 700 em todo o mundo, a notícia reforça o papel ambiental do jardim zoológico para garantir essa manutenção”, comemora.

O zoológico de BH tem uma parceria com a Associação Europeia de Zoos e Aquários (EAZA), que permitiu a vinda de Leon, do Ilhas Canárias Loro Park, da Espanha, um ano após a morte de Idi Amin.

“Quando o Idi morreu, em 2012, chegou a existir a possibilidade de as nossas fêmeas retornarem à Europa”, diz Gladstone, em referência a Imbi e Kifta, a gorila que morreu um ano depois. Elas vieram do zoológico de Howletts, no Reino Unido, mesma origem de Lou Lou. “No entanto, a equipe da EAZA viu que nós estávamos preparados para esse trabalho de reprodução, então o Leon veio pra cá, e a Lou Lou também”.

De acordo com ele, o zoológico se adequou tanto em termos de estrutura, com um hospital específico, quanto na equipe, com um corpo técnico de veterinários, biólogos e tratadores capacitados.

O Jardim Zoológico ainda não sabe o sexo dos filhotes, e é possível que realize uma consulta popular para definir os nomes, como ocorreu com Idi Amin.

Fonte: http://www.otempo.com.br/cidades/zool%C3%B3gico-de-bh-confirma-que-gorila-imbi-est%C3%A1-gr%C3%A1vida-1.856787

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Rei Juan Carlos da Espanha abdica em favor do filho Felipe


O rei Juan Carlos I da Espanha decidiu abdicar em favor do filho, o príncipe Felipe de Borbón, anunciou nesta segunda-feira o chefe de Governo espanhol Mariano Rajoy.

O monarca, de 76 anos, mostrou "sua vontade de renunciar ao trono e abrir o processo sucessório", disse Rajoy em uma declaração institucional.

A razão pela qual o rei decidiu abdicar a favor do filho "é algo que Sua Majestade deseja comunicar pessoalmente a todos os espanhóis ao longo desta manhã".

"Vi o rei convencido de que este é o melhor momento para que possa acontecer, com toda normalidade, a mudança na chefia de Estado e a transmissão da coroa ao príncipe Felipe, que reinará como Felipe VI", completou Rajoy.

Rajoy prestou homenagem ao rei ao afirmar que "renuncia ao trono uma figura histórica tão estreitamente vinculada à democracia espanhola que não é possível entender uma sem a outra".
"A todos nos deixa uma enorme dívida de gratidão", acrescentou o primeiro-ministro espanhol, afirmou, antes de informar que na terça-feira acontecerá um conselho de ministros extraordinário sobre o processo de sucessão.

Juan Carlos assumiu o trono em 22 de novembro de 1975, apenas dois dias depois da morte do ditador Francisco Franco, que o havia nomeado seu sucessor.

Muito popular, especialmente após a oposição a uma tentativa de golpe de Estado em 23 de fevereiro de 1981, a aceitação do monarca entre os espanhóis caiu nos últimos anos após uma série de escândalos.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2014/06/02/interna_internacional,535057/rei-juan-carlos-da-espanha-vai-abdicar-em-favor-do-filho-felipe.shtml

Arquivo do blog