Artigos? Envie para o email marcelopassossenador@gmail.com

Pesquisa Web

quinta-feira, 29 de março de 2012

Biografia de Aécio Neves: jovem força política de Minas Gerais




Biografia de Aécio Neves: jovem, com 21 anos e após convite de seu avô, Tancredo, Aécio Neves já era uma jovem força política em Minas Gerais.

Como podemos ver na biografia de Aécio Neves, o senador entrou ainda muito jovem na política. Aos 21 anos já acompanhava o avô Tancredo Neves em vários importantes momentos da política brasileira, como o processo de redemocratização do país e as Diretas Já.

Na biografia de Aécio Neves consta também que, quando ainda estudava economia na PUC-Minas, foi presidente do PSDB Jovem em Minas. Em 1986, Aécio integrou a Comissão do Ano Internacional da Juventude, uma iniciativa do Ministério da Justiça, nas comemorações da Organização das Nações Unidas (ONU).

A biografia de Aécio Neves mostra que o senador foi o chefe da comitiva brasileira no 12º Encontro Mundial da Juventude e dos Estudantes, em Moscou, onde esteve em companhia do cineasta Silvio Tendler e do cantor Fagner, entre outros.

Aécio começou a trabalhar cedo. Já em 1977, com 17 anos, trabalhou no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), do Ministério da Justiça, no Rio de Janeiro.

Hoje, aos 52 anos, Aécio é um jovem político com larga experiência como parlamentar e gestor público. Exerceu quatro mandatos consecutivos como deputado federal, foi presidente da Câmara dos Deputados e até assumiu a Presidência da República interinamente.

Em dois mandatos como governador, Aécio Neves revolucionou a gestão administrativa de Minas, retomando o crescimento econômico do Estado. Implantou programas e ações sociais sempre com o foco na valorização da força jovem mineira, como o Poupança Jovem, o Fica Vivo! o Juventude e Polícia, Minas Olímpica, Valores de Minas, Plug Minas, entre tantos outros.

Aécio Neves: líder da oposição faz discurso duro contra Dilma





Aécio Neves: líder da oposição endurece tom de críticas contra o governo do PT. “Para onde quer que se olhe, o cenário é desolador”, protestou.

Aécio Neves afirma que oposição do governo vai mostrar o Brasil real

“O governo está absolutamente paralisado. 15 meses se passaram e nenhuma reforma estruturante chegou a esta Casa. As grandes obras e projetos estão com seus prazos já vencidos”, diz Aécio.

Fonte: Jogo do Poder

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) fez duras críticas à gestão da presidente Dilma Rousseff durante discurso, nesta quarta-feira (28/03), no Senado. Aécio Neves disse que, vencido o primeiro ano de gestão da presidente, o governo não realizou as mudanças prometidas aos brasileiros e não possui um projeto para o país.

O senador afirmou que, em lugar de uma gestora implacável, a presidente tem se mostrado incapaz de dar soluções aos problemas que o Brasil vive em todos os setores. “Para onde quer que se olhe, o cenário é desolador”, afirmou Aécio Neves.

“O país não tem projeto. Responde estritamente às emergências, institucionalizando o regime do improviso. Multiplicam-se números, multiplicam-se promessas, a maioria delas impossíveis de serem cumpridas. O governo perdeu a capacidade de propor, assim como já havia perdido o compromisso com o diálogo democrático. Impõe a estados e municípios cada vez mais obrigações, ignorando as dificuldades por que passam”, disse o senador em seu discurso.

Em entrevista,  Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que a oposição vai mostrar o Brasil real à sociedade brasileira. Ele destacou que as promessas feitas em campanha pela presidente serão comparadas às realizações de sua gestão periodicamente, dando início a uma nova estratégia da oposição.

“Todo governo tem uma carência. Essa carência terminou. Nós, da oposição, não apenas do PSDB, mas do Democratas, do PPS e outros senadores e parlamentares que fazem oposição, vamos inaugurar uma nova fase, da cobrança. A fase onde vamos colocar, de um lado, as promessas e os compromissos do governo, e de outro, a realidade. O governo está absolutamente paralisado. Paralisado do ponto de vista das iniciativas políticas – 15 meses se passaram e nenhuma reforma estruturante chegou a esta Casa –, e do ponto de vista administrativo – as grandes obras e projetos estão com seus prazos já vencidos e muitos deles sem qualquer planejamento em relação a quando vai terminar. Vamos mostrar o país real”, afirmou.
Ex-governador de Minas, o senador destacou que não há maior desperdício de dinheiro público do que uma obra inacabada ou paralisada.

“Não existe maior desperdício de dinheiro público, maior acinte para com a população, do que uma obra inacabada. Uma obra iniciada sem planejamento, sem financiamento, porque seus benefícios jamais existirão. Mas os recursos ali alocados estarão perdidos. Vamos, mensalmente, apresentar os resultados do PAC, o andamento das principais obras e os resultados das políticas sociais. O que hoje avança no Brasil, e avança de forma muito vigorosa, é a propaganda oficial”, observou.

Economia
O senador Aécio Neves voltou a alertar para o fraco desempenho da economia brasileira, em especial no setor industrial. E afirmou que não há como aceitar mais a propaganda do governo federal.

“Não dá mais para aceitarmos a propaganda oficial de que estamos vivendo em um país das maravilhas. O Brasil foi o país que menos cresceu em toda a América do Sul. O processo de desindustrialização é grave, isso durará anos e essa sim é a herança maldita que o governo do PT vai deixar para o Brasil, o retorno aos idos da década de 1950, quando éramos simplesmente exportadores de commodities, de matérias-primas. Nós, que já tivemos na composição do nosso PIB, 26% de contribuição da indústria, de manufaturados, hoje não chega a 15% essa participação”, disse.

Cancelamento UPPs
Aécio Neves informou também o envio de requerimento ao Ministério da Justiça pedindo explicações para o cancelamento da implantação de 218 de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em Minas Gerais. As unidades foram prometidas pelo governo federal em 2010.

“Simplesmente anuncia-se o cancelamento do programa. E o que vai se colocar no lugar? E os estados que esperavam essa parceria com o governo federal? Na segurança pública, o que o governo vem cometendo é uma irresponsabilidade com o país. O Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e o Fundo Penitenciário (Funpen) têm sido, há vários anos, em todo o período do governo do PT, contingenciados ao final de cada ano. Com isso, os estados não planejam a sua segurança com participação de investimentos federais. E no final do ano esses recursos são distribuídos de forma muito pouco republicana”, afirmou.



Aécio Neves: líder da oposição faz discurso duro contra Dilma



 

O senador Aécio Neves (MG), presidenciável do PSDB, escalou a tribuna do Senado nesta quarta (28). Apontado por seus próprios aliados como um oposicionista apático, pronunciou um discurso duro. O mais incisivo desde que chegou ao Senado, no ano passado.

Aécio dividiu o discurso em três partes: Dilma, Dilma e Dilma. Apresentou Dilma como peça de uma publicidade enganosa. Na campanha, “gestora impecável”. No Planalto, uma presidente “incapaz de dar solução aos problemas” do país. “Para onde quer que se olhe, o cenário é desolador”.

Tratou o governo Dilma como uma usina de malfeitorias. “Os escândalos se sobrepuseram em recorde de ministros caídos sob grave suspeição, enquanto avançou à luz do dia, sem constrangimentos, o aparelhamento partidário da máquina governamental.”

Lamentou os primeiros efeitos da administração Dilma. Na economia, “a desindustrialização é um fato. Voltamos à era pré-JK, aos longínquos anos 50.” O crescimento foi “o menor da América Latina.” Na política, “a falta de respeito ao Congresso se transformou em marca registrada das atuais relações entre Executivo e Legislativo.”.

Tomada pelas manifestações públicas, disse Aécio, Dilma parece “refém do seu próprio governo.” Considera a pose paradoxal: “É como se não tivesse sido a autoridade central nos oito anos da administração anterior. É como se ela não houvesse, de próprio punho, colocado de pé o atual governo, com as suas incoerências e incongruências irremediáveis”.

Referiu-se com atraso às trocas ministeriais que marcaram 2011. “A mão pesada do poder da Presidência baixou sobre cada um dos suspeitos, como se não fosse a mesma mão que, antes, os nomeara e os conduzira para o governo. Aí descobrimos o inacreditável: havia ministros diversos de Lula e uns poucos de Dilma.”

Sem projetos, disse Aécio, Dilma “responde estritamente às emergências, institucionalizando o regime do improviso.” Enxergou um quê de teatro na reunião que a presidente promoveu com empresários na semana passada. “Ainda não se sabe ao certo a motivação”.

“Se todos conhecem o problema e não há nada de novo no front, só um motivo justificaria a reunião: a mesma pirotecnia de sempre com que se pretende ocupar o vazio e disfarçar a leniência do atual governo.”

Acha que, “se nada for feito para desatar os nós políticos e gerenciais que emperram a máquina pública, o Brasil vai perder a maior janela de oportunidades de sua história.” Avalia que a maioria congressual de Dilma, “montada ao custo que todos conhecemos”, não produziu senão interrogações.

“Onde estão as reformas constitucionais? Discutimos a recomposição do pacto federativo? Reformamos o rito das medidas provisórias? Revisamos os royalties do petróleo e do minério? Renegociamos as dívidas dos governos estaduais? Nada.”

Dilma apanhou indefesa. Exceto pelas interferências de Marta Suplicy (PT-SP), que presidia a sessão e monitorava o tempo de Aécio com relógio draconiano, não se ouviu no plenário do Senado um mísero contraponto governista.

Marcelo Passos e Reinaldinho recomenda a Academia da Cidade



Academia da Cidade: saúde e equilíbrio mais próximo do cidadão


A prática de exercícios físicos tornou-se uma necessidade do ser humano. E a idade não importa quando se deseja ter uma vida saudável, é preciso apenas manter uma disciplina física e mental. Para quem deseja melhor qualidade de vida sem gastos financeiros as Academias da Cidade, em Belo Horizonte, são boas opções. Desde 2006, o Projeto BH Saúde coloca em funcionamento essa rede de Academias, desenvolvida pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal da Saúde.

Promover saúde e contribuir para melhoria da qualidade de vida são os principais objetivos da academia da cidade. Antes do início das aulas, os usuários passam por uma avaliação física com um profissional para a elaboração de um plano individual e coletivo de exercícios. A atenção à saúde também é valida para a alimentação. Cada unidade possui um nutricionista que passa as orientações sobre reeducação alimentar. As atividades nas Academias são realizadas de maneira flexível, de acordo com a necessidade e condições físicas de cada pessoa. O trabalho é realizado a partir de exercícios aeróbios e anaeróbios, incentivando o uso adequado da força, flexibilidade, equilíbrio, exercícios de step e caminhada orientada. As capacidades são treinadas através do controle da carga e motivação.

De acordo com a coordenadora da Academia da Cidade, Vera Guimarães, o espaço também oferece Horário Especial, destinado às pessoas especiais, portadoras de doenças cardiovasculares, acidente vascular encefálico e de hipertensão, com atendimento praticamente individualizado.

Cada usuário pode utilizar a academia por um período de uma hora e, pelo menos, três vezes durante a semana. “Incentivamos para que as pessoas pratiquem o que aprenderam em outras situações do dia-a-dia, como durante a arrumação da casa e a caminhada”, afirma Vera. O objetivo é proporcionar mais qualidade de vida para a pessoa e o que vale “não é ter um corpo sarado, mas um corpo saudável”, completa.

As academias funcionam em vários pontos da cidade, cada regional possui pelo menos uma, com média de 600 usuários em cada unidade. As academias funcionam às segundas, quartas e sextas-feiras ou às terças, quintas e sábados em horários variados na parte da manhã, tarde e noite. As atividades são gratuitas e qualquer pessoa acima de 18 anos pode participar das atividades, basta preencher o cadastro e fazer a avaliação física com o professor na academia mais próxima do morador.

Profissão

O estudante do curso de Educação Física, que deseja colocar em prática o que foi aprendido em sala de aula, pode se candidatar às vagas para estágio nas Academias da Cidade. A inscrição é feita no site da prefeitura e a seleção é feita pelo professor de cada unidade, que encaminha ao setor de Recursos Humanos a ficha do candidato. Cada Academia permite um professor formado e cinco estagiários em Educação Física. Os usuários ainda são acompanhados por nutricionistas e fisioterapeutas do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf).



Endereços: Academias da Cidade
DistritoAcademiaEndereço
BarreiroMilionários
(3277-8936)
7h às 12h e 17h às 22h
Rua David Fonseca, 1.386
Bairro Milionários
Vila Pinho
(3277-5914/ 5916/ 1387)
7h às 12h
Av. Perimetral, 800
Bairro Vila Pinho
Centro Esportivo do Vale do Jatobá
(3277-1548/ 5883)
7h às 12h
Avenida Senador Levindo Coelho, 2.280
Bairro Vale do Jatobá
Parque das Águas
(3277-5968)
7h às 12h
Avenida Ximango, 809
Bairro Flávio Marques Lisboa
Urucuia
(3277-5938)
7h às 12h
Rua 1, 386
Bairro Urucuia
Lindéia (3277-1520)
16h às 21h
Rua das Petúnias, 547
Bairro Lindéia
Jatobá IV
7h às 12h
Rua Haydee Abrass Hossi, 560
Bairro Jatobá
Centro-SulEspaço BH Vila Fátima
(3277-9914)
7h às 12h e 16h às 21h
Rua Dona Benta, 145
Bairro Vila Fátima
Tia Amância
(3344-1800)
7h às 12h
Rua Dias Toledo, 99
Bairro Vila Paris
Santa Lúcia
7h às 12h
Rua Principal, 5
Barragem Santa Lúcia
Condomínio JK
7h às 12h
Rua Timbiras, 2500
Bairro Centro
LesteEspaço João Amazonas
(3277-5632/ 5643)
7h às 12h
Rua Cinco de Janeiro, S/N
Bairro Mariano de Abreu
Centro Cultural São Geraldo
6h às 11h
Rua Silva Alvarenga, 548
Bairro São Geraldo
NordesteParque Jardim Belmont
(3277-1598)
7h às 12h e 13h às 18h
Rua Dom Silvério com Rua Anis
Bairro Jardim Belmont
Ribeiro de Abreu
(3277-1309)
7h às 12h
Rua Dianópolis, 100
Bairro Ribeiro de Abreu
CRAS Arthur de Sá - União
(3277-5614/ 9155)
17h às 22h
Rua Professor Geraldo Fontes, 30
Bairro União
NoroesteMercado da Lagoinha
(3277-6194)
7h às 12h e 16h às 21h
Avenida Presidente Antônio Carlos, 821
Bairro São Cristóvão
Califórnia
(3277-9296)
7h às 12h e 16h às 21h
Rua dos Violões, 570
Bairro Califórnia I
Centro de Referência ao Idoso
(3246-3016)
7h às 12h
Rua Perdizes, 336
Bairro Caiçara
CIAME
(3277-7184/ 3246-3017)
7h às 12h
Rua Guararapes, 1.634
Bairro Coqueiral
CRAS Coqueiral
(3277-7179)
7h às 12h
Rua Rainha das Flores, 102
Bairro Jardim Filadélfia
Fazendinha
(3246-3015)
7h às 12h
Rua Eneida, 1.485
Bairro Glória
Ermelinda
(3246-7525)
7h às 12h
Rua Santa Josefina, s/n – Esquina com Santa Judith
Bairro Ermelinda
NorteCRAS Providência
(3277-7480)
7h às 12h e 17h às 22h
Rua Arantina, 375
Bairro Minaslândia
Maria Amélia Maia
(3277-7398)
7h às 12h e 16h às 21h
Avenida Maria Amélia Maia, 270
Bairro São Bernardo
Jaqueline
(3277-1804)
7h às 12h
Rua Nossa Senhora do Belo Ramo, 26
Bairro Jaqueline
Ginásio Poliesportivo Jair Flosino dos Reis – Monte Azul
(3277-1312)
7h às 12h
Rua Professor Carlos de Almeida, 115
Bairro Monte Azul
Espaço Cultural Multiuso – Via 240
(3277 -1338)
7h às 12h e 17h às 22h
Via 240, 437
Bairro Novo Arão Reis
Ziláh Spósito
(3277-5441)
7h às 12h e 17h às 22h
Rua Coquílio, 75 (ao lado da Escola Municipal Daniel Alvarenga)
Bairro Ziláh Spósito
CRAS Vila Biquinhas
(3246-8009)
7h às 12h e 17h às 22h
Rua Coronel Joaquim Tibúrsio, 850
Bairro Heliópolis
Campo Alegre
7 às 12h
Rua Usório Duque Estrada, s/n
Bairro Campo Alegre
OesteSanta Sofia
(3277-6499)
7h às 12h
Rua Alice, 197
Bairro Vila Leonina
CRAS Havaí
(3277-9616)
7h às 12h
Avenida Costa do Marfim, 480
Bairro Havaí
Amílcar Martins
(3277-1545/ 6483)
7h às 12he 16h às 21h
Rua Nelson de Sena, 90
Bairro Betânia
CRAS Vila Ventosa
(3277-9972/ 9976)
7h às 12h
Rua Dona Nicolina de Lima, 316
Bairro Havaí
UNI-BH
(3319-9316)
16h às 21h
Avenida Professor Mário Werneck, 1.685
Bairro Estoril
PampulhaUniversitário
(3277-7966)
7h às 12h e 16h às 21h
Rua Aristóteles Ribeiro Vasconcelos, 87
Bairro Universitário
Confisco
(3277-7138)
7h às 12h
Rua K, 127
Bairro Confisco
CAC São Francisco
(3277-7844)
7h às 12h e 16h às 21h
Rua Aveiro, 191
Bairro São Francisco
Venda NovaJardim Leblon
(3277-1828)
7h às 12h
Rua Salto da Divisa, 99
Bairro Jardim Leblon
Minas Caixa
(3277-1837)
7h às 12h
Rua Julita Nunes, 147
Bairro Minas Caixa
CAC Venda Nova
(3277-1825)
7h às 12h
Rua João Ferreira da Silva, 285
Bairro Lagoinha
Santa Mônica
(3246-9012/ 3450-8219)
7h às 12h
Rua Comendador Arthur Viana, 345
Bairro Rio Branco
Piratininga
(3246-9011)
7h às 12h e 14h às 17h
Rua Pedra de Anil, 118
Bairro Piratininga
Nossa Senhora do Carmo
7h às 12h
Rua Jair Afonso Inácio, 370
Bairro Conjunto Colar
Serra Verde
7h às 12h
Rua João Batista Fernandes, 85
Serra Verde

Informações: 156

Mineira suspeita de arquitetar morte do pai é presa no Rio de Janeiro


Ela foi presa em uma casa de prostituição onde trabalhava. A mulher estava foragida há quase dois anos e será transferida para Belo Horizonte ainda hoje

A mineira Érika Passarelli Vicentini Teixeira, de 29 anos, suspeita de arquitetar a morte do pai Mário José Teixeira Filho, de 50, para pegar o dinheiro do seguro, foi presa no Rio de Janeiro. De acordo com o chefe da Divisão de Crimes contra a Vida, delegado Wagner Pinto, ela foi detida, na madrugada desta quinta-feira, em uma casa de prostituição onde trabalhava. A mulher estava foragida há quase dois anos e será transferida para Belo Horizonte ainda hoje.

Na época do crime contra o pai, Érika era universitária na capital. Também são suspeitos de participar do assassinato o namorado da estudante, Paulo Ricardo de Oliveira Ferraz, 19, e do sogro, o cabo da Polícia Militar Santos das Graças Alves Ferraz, de 47. Pai e filho já estão presos em na capital.

De acordo com a Polícia Civil, Érika e o pai eram estelionatários e agiam em BH. A mulher, que morava no Bairro Belvedere, fazia fotocópias de cheques e comprava em lojas. O pai da jovem contratou três seguros de vida totalizando R$ 1,2 milhão cuja filha seria a única beneficiária. O plano dos dois era encontrar um corpo para forjar a morte de Mário. A estudante receberia os seguros e dividiria o dinheiro com o pai.

No entanto, enquanto tentavam aplicar esse golpe milionário, eles tiveram um desentendimento e, paralelamente, Érika começou a arquitetar a morte do pai, pedindo ajuda ao namorado e ao sogro militar.

De olho nesse dinheiro, Érica sobrepôs o plano de golpe que tinha com o pai e mandou matá-lo. No dia 4 de agosto de 2010, Mário foi morto com três tiros na BR-356, na altura do km 43 da rodovia, em Itabirito. O corpo foi encontrado no dia seguinte. Além das suspeitas de estelionato e homicídios, a polícia também apura o envolvimento de Érika numa quadrilha de tráfico internacional de crianças.

Os rastros de Érika foram seguidos durante quase dois anos. Até a Polícia Federal ajudou na procura pela mulher. A polícia teve notícias da mulher em em Paranaguá (PR), no interior de Minas e na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No entanto, a mulher foi presa no Rio de Janeiro.

Fonte: Portal UAI Luana Cruz

Aécio Neves, líder da oposição: renegociação das dívidas dos estados


...

Líder da oposição, o senador Aécio Neves defende problema, até então, sem solução: a renegociação das dívidas dos estados com o Governo Federal.


O senador Aécio Neves, líder da oposição, vem chamando a atenção do país para um grande problema que parece não ter solução: a dívida dos estados com a União.

Aécio Neves defende que o governo federal altere o índice atual de correção das dívidas, o IGP-DI, para o IPCA, índice oficial de inflação. Ao longo dos últimos 14 anos, o IGP-DI cresceu muito, elevando a dívida dos estados, contraídas até 1997, sem que suas receitas registrassem aumento sequer.

Aécio Neves, principal líder da oposição no Brasil, considera um absurdo os estados já terem realizado pagamentos substantivos e o valor nominal das dívidas ainda ser, hoje, maior do que era no início do financiamento.

O senador faz duras críticas ao governo federal do PT pelo fato de fazer vistas grossas ao problema dos estados e não rever a correção das dívidas. Ao contrário disso, oferece taxas subsidiadas pelo BNDES para financiar a iniciativa privada.

Realmente, não há justificativa aos estados, responsáveis por investimentos em saúde, educação e segurança, serem penalizados pelo governo com encargos financeiros nas alturas. Alguém está ganhando com isso, e esse alguém só pode ser o governo federal que tem comemorado sucessivos recordes de arrecadação.

Para Aécio Neves, o líder da oposição, a renegociação seria um importante passo para “tirar os estados do sufoco” e evitar um verdadeiro “dominó de falências” e a “morte anunciada” do federalismo nacional.


....

Em Brasília, senador Aécio Neves critica governo federal por cancelamento de instalação das UPPs em Minas


Sobre as críticas feitas ao governo federal e à presidente Dilma Rousseff em discurso na tribuna do Senado Federal:


Todo governo tem uma carência. Achamos que essa carência terminou. Nós, da oposição, não apenas do PSDB, mas do Democratas, do PPS e alguns outros senadores e parlamentares que fazem oposição, inaugurar uma nova fase, da cobrança. A fase onde vamos colocar, de um lado, as promessas e os compromissos do governo, e de outro, a realidade. O governo, e a grande verdade é essa, está absolutamente paralisado. Paralisado do ponto de vista das iniciativas políticas, 15 meses se passaram e nenhuma reforma estrutural chegou a esta Casa.


E do ponto de vista administrativo, as grandes obras e os grandes projetos estão todos com seus prazos já vencidos e muitos deles sem qualquer planejamento em relação a quando vai terminar. A situação econômica de hoje não é a do passado, o governo parece repetir a mesma receita do governo do presidente Lula, se omitindo em questões essenciais, como, por exemplo, a questão da segurança pública. É vergonhoso o anúncio feito hoje pelo Ministério da Justiça de cancelamento do programa das UPPs. Muitos estados, e Minas Gerais, de forma especial, contavam com isso, esperavam esses recursos. Seriam cerca de 3,3 mil UPPs em todo o Brasil. De hora para a noite – inclusive, apresentei requerimento de informações hoje ao ministro da Justiça – o governo diz que esse projeto não é mais prioritário. Exatamente no momento em que recrudesce a violência em várias partes do País. Da mesma forma que o governo virou as costas para a saúde pública, não aprovando a participação de 10% das receitas da União no momento da votação da emenda 29, ao mesmo tempo em que estados e municípios têm seus percentuais obrigatórios, nessa hora o governo também para a segurança pública definitivamente vira as costas.


Não dá mais para aceitarmos a propaganda oficial de que estamos vivendo em um país das maravilhas. O Brasil foi o país que menos cresceu em toda a América do Sul. Na América Latina, crescemos mais do que dois países de muito menor porte. Alguma coisa precisa ser feita. O processo de desindustrialização é grave. Isso durará anos e essa sim é a herança maldita que o governo do PT vai deixar para o Brasil, o retorno aos idos da década de 1950, quando éramos simplesmente exportadores de commodities, de matérias-primas. Nós, que já tivemos na composição do nosso PIB, 26% de contribuição da indústria, de manufaturados, hoje não chega a 15% essa participação. Portanto, estamos agora começando a fazer alertas claros. Vamos visitar as obras inacabadas. Vamos no roteiro que a assessoria, os conselheiros da Presidência, impediram que ela (presidente Dilma Rousseff) fosse. Porque lá estão os canteiros e o desperdício de dinheiro público. Porque não existe, e falo aqui como ex-governador de Minas Gerais, maior desperdício de dinheiro público, maior acinte para com a população, do que uma obra inacabada. Uma obra iniciada sem planejamento, sem financiamento, porque os benefícios dessa obra jamais existirão. Mas os recursos ali alocados estarão perdidos. Portanto, vamos sim, a partir de agora, mensalmente, apresentar os resultados do PAC, o andamento das principais obras e os resultados das políticas sociais, em relação aos quais voltarei à tribuna em algumas semanas para dissecar e mostrar que o Brasil está parado. O que hoje avança no Brasil, e avança de forma muito vigorosa, é a propaganda oficial.


O senhor está mandando o ofício ao ministro da Justiça?

Estou oficiando ao ministro da Justiça porque não é possível que uma matéria dessa relevância tenha uma solução tão prática. Simplesmente anuncia-se o cancelamento do programa. E o que vai se colocar no lugar? E os estados que esperavam essa parceria com o governo federal? Na segurança pública, o que o governo vem cometendo é uma irresponsabilidade com o País. O fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e o Fundo Penitenciário (Funpen) têm sido, há vários anos, em todo o período do governo do PT, contingenciados ao final de cada ano. Com isso, os estados não planejam a sua segurança com participação de investimentos federais. E, no final do ano, esses recursos são distribuídos de forma muito pouco republicana. Portanto, esse ofício vai cobrar, inclusive, a liberação desses recursos dos fundos, como é feito com a educação, tenho inclusive uma proposta tramitando na Casa, sem o apoio do governo, é preciso que se diga, nessa direção, que esses recursos sejam transferidos por duodécimos para os estados brasileiros para que eles possam planejar seus investimentos em segurança.


A presidente fala, em uma reunião recente com grandes empresários nacionais, que quer caminhar para baixar os impostos no Brasil. Apenas recordo a ela uma proposta feita em sua campanha eleitoral, uma promessa feita, de zerar os impostos, PIS /Cofins, das empresas de saneamento. A proposta está aqui, de minha autoria, tramitando na Casa, sem apoio do governo. As empresas de saneamento estão gastando, e gastaram em 2011, veja bem, mais em impostos do que em obras de saneamento no Brasil. Um país onde 48% da população não têm esgoto dentro de Casa. Portanto, vamos mostrar o País real. Essa é a responsabilidade da oposição e quem sabe, com isso, acordarmos o governo. Tirarmos o governo do imobilismo e do improviso, que tem sido, a meu ver, as duas principais marcas dos 10 anos de governo do PT.


E a campainha da presidente Marta Suplicy, atrapalhou? (durante o pronunciamento do senador foi interrompido quatro vezes em razão do tempo)


A presidente é muito ciosa em relação ao regimento quanto estão na tribuna membros da oposição. Não tem essa mesma rigidez quando estão, enfim, figuras próximas ao governo ou que ela acha que deveriam ter um pouco mais de tempo. Mas isso é irrelevante. O que queria dizer foi dito. Vamos voltar agora mais cotidianamente à tribuna, para tratar de questões específicas, dos programas sociais, especificamente do que está acontecendo com a saúde pública no Brasil em razão da omissão do governo federal. Os municípios entram com 15% das suas receitas.


A União com 12%. Propusemos, aliás, um senador do PT propôs, o senador Tião Viana, que o governo entrasse com 10%, que é quem concentra receitas hoje. É o governo federal. Propusemos que isso pudesse ser feito de forma gradual, paulatina, ao longo dos anos. Nem isso. Há hoje um descompromisso do governo com as promessas de campanha e com aquelas que são as emergências maiores, as demandas maiores, da população brasileira. Em especial segurança pública, saneamento, saúde e educação.


“Vista de FHC à Lula é ato de maturidade”, diz senador Aécio Neves


...

Após visita de FHC ao ex-presidente Lula, senador Aécio Neves ressalta que a atitude é uma demonstração de maturidade política no Brasil.

Na última quarta-feira, o senador Aécio Neves disse que considerou uma demonstração de maturidade política do Brasil a visita que o ex-presidente FHC fez, na terça-feira (27/03), ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se recupera em São Paulo de um tratamento contra um câncer.

“Na verdade, um gesto de cidadania. Um gesto que demonstra a maturidade política do Brasil. Enquanto assistimos diariamente o combate pequeno, rasteiro, de ataques pessoais, acusações de toda ordem, assistimos ao gesto de um estadista em homenagem a outro estadista”, disse o senador, em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais.

O senador Aécio Neves lembrou que ele próprio telefonou ao ex-presidente, desejando-lhe rápido que melhore e lembrou que, apesar das divergências políticas com o PT, considera Lula um amigo a quem respeita.

O senador Aécio Neves ainda completa: “Falei com o ex-presidente Lula e tenho por ele um respeito enorme. Temos uma relação de amizade construída ao longo de 20 anos de militância política. E tenho uma característica, que talvez seja também a do presidente Lula: eu não considero alguém, por estar apenas em outro campo político, meu inimigo. Ao contrário, o ex-presidente Lula tem todas as virtudes, por isso governou o País. Posso discordar de ações do seu governo, mas jamais deixarei de considerar e de respeitar o papel extremamente relevante que ele teve na construção da democracia no Brasil”, disse.

...

quarta-feira, 28 de março de 2012

Vítima de assalto atropela e mata ladrão em Santa Luzia


...

28 de março de 2012 — Um motorista vítima de assalto jogou um carro pesado sobre a moto de dois bandidos após ser assaltado no Bairro Duquesa, em Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo informações da Polícia Militar, o empresário Bernardo Ferreira Júnior saía de um bar acompanhado de um amigo quando foi abordado por dois assaltantes, na madrugada desta quarta-feira.

Os homens arrancaram os cordões de ouro que Bernardo usava e fugiram em uma motocicleta. O amigo conta que o empresário entrou em sua caminhonete e partiu em perseguição à dupla de criminosos. Ao alcançá-los, ele arremeteu com o carro sobre os bandidos. O piloto morreu na hora. O caso é apurado pela Delegacia de Homicídios de Santa Luzia.

...

Millôr Fernandes morre aos 88 anos


...

O escritor, dramaturgo, desenhista e humorista Millôr Fernandes morreu na terça-feira (27), aos 88 anos, de falência múltipla dos órgãos. Millôr morreu em casa, no Rio de Janeiro. O velório será realizado na quinta-feira, às 10h, no cemitério Memorial do Carmo, zona portuária do Rio. Ele era casado com Wanda Rubino Fernandes, e deixa dois filhos e um neto.

Autoditada, Millôr vendeu seu primeiro desenho aos dez anos de idade, para a publicação “O Jornal do Rio de Janeiro”. Em 1938, começou a trabalhar como repaginador, factótum e contínuo na revista “O Cruzeiro”, aos 14 anos. Ao longo de sua carreira, Millôr também se destacou como tradutor, jornalista e autor de teatro. No final dos anos 1960, tornou-se um dos fundadores do jornal "O Pasquim", reconhecido por seu papel de oposição ao regime militar.

...

Entrevista do senador Aécio Neves a rádio Itatiaia: encontro entre os ex-presidentes FHC e Luiz Inácio Lula da Silva


O senador Aécio Neves considerou uma demonstração de maturidade política do Brasil a visita que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez, nessa terça-feira (27/03), ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se recupera de um tratamento contra um câncer. Para o senador Aécio, o gesto de solidariedade de Fernando Henrique representa o desejo dos brasileiros de que Lula se recupere.

Aécio Neves frisou que os embates numa democracia devem se dar no campo político e não em questões pessoais. O senador lembrou ainda que ele próprio telefonou ao ex-presidente, recentemente, desejando-lhe rápido restabelecimento e ressaltou que, mesmo divergindo de Lula politicamente e discordando de determinadas ações de seu governo, considera-o um amigo e reconhece o papel que ele teve para a democracia brasileira

Senador Aécio, o que representa esse encontro entre os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique?

Na verdade, um gesto de cidadania. Um gesto que demonstra a maturidade política do Brasil. Enquanto assistimos diariamente o combate pequeno, rasteiro, de ataques pessoais, acusações de toda ordem, assistimos ao gesto de um estadista em homenagem a outro estadista. Almocei na segunda-feira com o presidente Fernando Henrique, quando ele nos disse que estaria com o ex-presidente Lula nesta terça-feira, e ele próprio estava muito emocionado.

Em determinados momentos, temos que nos despir da nossa condição de líderes partidários ou mesmo de representantes de determinados projetos para sermos aquilo que essencialmente somos, seres humanos. Capazes de, sinceramente, demonstrarmos solidariedade. E essa solidariedade demonstrada pelo ex-presidente Fernando Henrique pessoalmente é de todos nós, que queremos o ex-presidente Lula em plenas condições de saúde para que possamos, valorizando a democracia, enfrentarmos e travarmos os embates sempre no campo político, jamais no campo pessoal. Portanto, Fernando Henrique, com esse gesto, representa o sentimento de todos nós, do PSDB.

O senhor também já falou com o ex-presidente Lula?

Falei com o ex-presidente Lula e tenho por ele um respeito enorme. Temos uma relação de amizade construída ao longo de 20 anos de militância política. E tenho uma característica, que talvez seja também a do presidente Lula, eu não considero alguém, por estar apenas em outro campo político, meu inimigo. Ao contrário, o ex-presidente Lula tem todas as virtudes, por isso governou o País. Posso discordar de ações do seu governo, mas jamais deixarei de considerar e de respeitar o papel extremamente relevante que ele teve na construção da democracia no Brasil.

Fonte: PSDB MG

terça-feira, 27 de março de 2012

Senador Aécio Neves e o futuro

Senador Aécio Neves fala da necessidade de se investir em ciência e inovação


...

O artigo do senador Aécio Neves, na edição desta segunda-feira na Folha São Paulo, surge num momento oportuno e ao mesmo tempo preocupante para o futuro do país.

Infelizmente, há anos, o que se constata é uma diferença grande de ritmos de crescimento entre os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Enquanto a Índia, por exemplo, é a segunda economia que mais avança no mundo, acumulando crescimentos anuais de até 8%, o Brasil segue no dilema dos cortes de investimentos públicos para terminar os anos, ao menos, acima do vexame de taxas de desaceleração da economia.

E quando se olha para a mesma Índia, nos dias de hoje, se vê rapidamente o que a difere do Brasil: o país asiático está avançando para se transformar num novo polo de conhecimento e inovação tecnológica do mundo.

Esta diferença visível entre Brasil e Índia, além de remeter ao artigo de ontem do senador Aécio Neves, também remete ao discurso e às ações referentes à tecnologia, pesquisa científica e inovação que ele colocou em prática ao se tornar governador de Minas Gerais em 2003.

Mais do que o alerta que ele já fazia àquela época – de que o mundo iria se dividir entre os países que produziam o conhecimento e os que dependiam dele -, Aécio Neves foi o primeiro governador a cumprir a Constituição Mineira e determinou a aplicação de no mínimo 1% da receita líquida do ICMS em pesquisas científicas via a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

Ao contrário dos cortes no âmbito federal, em Minas Gerais, nos governos de Aécio Neves e Antonio Anastasia, os investimentos em pesquisa científica, via Fapemig, aumentaram 11 vezes de 2003 a 2011, chegando a R$ 300 milhões/ano.

A preocupação do senador Aécio Neves em investir em tecnologia e conhecimento também trouxe frutos para a saúde de Minas Gerais e até do Brasil. Um exemplo foi a transformação da Fundação Ezequiel Dias (Funed) em um dos mais importantes laboratórios públicos do país.

Fruto do investimento no trabalho de seus pesquisadores, a Funed elevou o Brasil ao grupo seleto de países que produz o Tenofovir, medicamento usado por portadores do vírus da AIDS. No ano passado, o laboratório público do Governo de Minas entregou ao Ministério da Saúde 28 milhões de comprimidos do medicamento que beneficiaram 30 mil pacientes em todo o país.

Também foi o laboratório mineiro que garantiu que 100% da demanda do Ministério da Saúde por vacina contra a meningite C fosse atendida. A Funed repassou seis milhões de doses para aplicar em crianças de até dois anos de idade.

E no momento em que o governo federal anuncia novos cortes em pesquisa científica, o Governo de Minas mantém sua diretriz em sentido contrário. Desta vez, envolvendo também o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), ao criar uma linha de financiamento de R$ 100 milhões para empresas inovadoras que cresceram com o apoio da Fapemig e se preparam para alçar voos mais ousados no mercado da produção científica e da inovação tecnológica.

Com esta medida, Minas Gerais é o primeiro estado no Brasil a criar um aporte financeiro capaz de dar fôlego financeiro às empresas que, em um primeiro momento, eram apenas “boas ideias”.

Assim como já alertava e realizava ações efetivas e concretas à frente do Governo de Minas há nove anos, no seu artigo da Folha S. Paulo, o senador Aécio Neves reafirma o seu compromisso com a transformação e o avanço do país. Pena que esse compromisso não seja partilhado por mais gente.

Artigo do Deputado Estadual João Leite (PSDB-MG)

...

Senador Aécio Neves: mudança no ICMS tem que vir com compensação


O
senador Aécio Neves
defende a promoção de mudanças no ICMS: “Tem que vir com compensação” – disse o senador e ex-governador de Minas Gerais.


O Senador Aécio Neves defende que se promova alterações na legislação de ICMS do país, mas salienta que os estados não podem ter perdas de receita sem que se garanta a eles outras fontes de recursos. O senador Aécio Neves aponta como saída que parte do pagamento da dívida dos estados com a União volte para os estados para serem investidos em áreas específicas, como educação, saúde ou infraestrutura. Uma reforma tributária, na avaliação do senador, seria a melhor forma de se equacionar essa questão do ICMS, mas o senador Aécio Neves não vê disposição do governo federal em realizá-la. Os projetos que estão tramitando no Congresso que tratam do ICMS, principal imposto dos governos estaduais, alerta o senador Aécio, podem comprometer as finanças dos estados, hoje já enfraquecidos com redução de receita e aumento de despesas e responsabilidades. Ele acredita que em se abrindo a renegociação da dívida com os estados, o retorno para eles de fatia do pagamento, pode evitar maior desequilíbrio das contas estaduais.


Senador Aécio Neves defende mais investimentos do governo na saúde


Senador Aécio Neves volta a defender que o aumento dos investimentos do governo federal na saúde é essencial para que haja melhorias na área.


O senador Aécio Neves voltou a defender o aumento dos investimentos do governo federal na saúde. Em pronunciamento, o senador Aécio Neves lembrou a omissão do governo na regulamentação da Emenda 29, ocorrida no final de 2011. Na ocasião, foi estabelecido que municípios devem investir 15% de suas receitas em saúde, enquanto cabe aos estados destinar 12% de suas receitas à área. A oposição defendia que o governo federal reservasse 10% de suas receitas para a saúde, proposta que foi barrada pela base governista. Hoje, não há um percentual mínimo estabelecido para o governo federal. A decisão do governo gerou perdas de R$ 36 bilhões na saúde pública brasileira apenas em 2012.

MARCELO PASSOS e REINALDINHO ALERTAM CONTRA OS ESCORPIÕES


É preciso buscar atendimento rápido, pois o veneno pode ser fatal, principalmente em crianças


O Serviço de Toxicologia do Hospital João XXIII, da Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), alerta as vítimas de picadas de escorpiões para que busquem atendimento imediato e que não percam tempo ao se dirigirem para a unidade hospitalar, pois o veneno pode ser fatal, principalmente em crianças.

No ano passado, foram registrados 1.254 atendimentos no João XXIII. Entre 2009 e 2010, houve 2.512 ocorrências envolvendo escorpiões. Referência para o tratamento de agressões por animais peçonhentos, o hospital é a única instituição que possui o soro antiescorpiônico em Belo Horizonte.

São realizados, no João XXIII, em média, 100 atendimentos mensais de vítimas de picadas de escorpião nos períodos de maior incidência de casos, os meses de setembro e outubro. Embora este número caia para 60 nos demais meses, é preocupante a frequência com que acontecem, a cada ano, acidentes envolvendo escorpiões.

Cuidados
O escorpião deve ser combatido com a manutenção de ambientes limpos e com a eliminação de entulhos, pedras e madeiras. As pessoas devem ter atenção e sempre procurar balançar roupas e toalhas antes de serem usadas. O mesmo cuidado deve ser tomado com os calçados.

Predadores
As galinhas e os sapos são predadores naturais dos escorpiões. Enquanto as galinhas têm hábitos diurnos, os sapos, assim como os escorpiões, são animais noturnos e são mais eficazes para eliminar esses aracnídeos, uma vez que são capazes de comer vários.

Ao manusear entulhos e lixos ou limpar terrenos e esgotos, a pessoa deve, obrigatoriamente, proteger-se com luvas e botas. É aconselhável, inclusive, ter galinhas por perto para que elas comam o animal peçonhento. Também são inimigos naturais diversas espécies de aranhas, pássaros, lagartos, corujas, seriemas e macacos.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Marcelo Passos e Reinaldinho alerta: Ácaro, e não poeira, é o grande causador de alergia nesta época




Com a chegada, na última terça-feira, do outono, já podemos esperar dias mais frescos e secos em Belo Horizonte. É exatamente nessa época que crescem os números de ocorrências de problemas respiratórios, como crises alérgicas, gripes e até mesmo os ataques de asma. Mas, ao contrário do que muita gente pensa, não é a poeira em si a grande vilã de quem sofre com esses males: são os ácaros.

Invisíveis a olho nu, esses parasitas se proliferam na poeira, logo, podemos dizer que eles estão em, praticamente, todos os lugares: cobertores, travesseiros, colchões, tapetes, cortinas, sofás e até nas roupas que usamos diariamente. Por isso, os ácaros são um alérgeno - fator capaz de desencadear uma alergia - considerado perene e responsáveis por cerca de 50% das alergias respiratórias e cutâneas.

Dentre os sintomas mais comuns, estão grandes quantidades de espirros, gotejamento de secreção - que passa diretamente do nariz pela garganta, coceira nos olhos, nariz e ouvidos e incômodo na garganta. Aproximadamente, 70% dos casos de asma e metade das rinites alérgicas pediátricas são causados por esses parasitas.

Uma pesquisa realizada recentemente na Europa demonstrou que, apesar de 78% das pessoas reconhecerem os problemas, elas os atribuem à poeira em si, e não às imensas quantidades de ácaros que habitam nela. Além disso, mesmo sabendo dos perigos e das consequências das doenças respiratórias, 73% dos entrevistados na pesquisa relataram achar ser possível conviver com uma alergia causada por ácaros. Assim, apesar de as pessoas acharem necessária uma ida ao médico, acabam por suportar os sintomas daquilo que elas julgam ser mais um incômodo que uma doença.

De acordo com o ex-presidente da Sociedade de Alergologia e Imunologia Pediátrica italiana, Francesco Paravati, as crianças são as mais afetadas pelos ácaros. "A epidemia alérgica que temos presenciado nos últimos 10 a 15 anos é ligada, em parte, às mudanças no estilo de vida e, em parte, ao fato de os ácaros atacarem, preferencialmente, as crianças", analisa o especialista em entrevista ao jornal "La Repubblica". Já os adultos sofrem mais com pólen e outros fatores.

Opção

Longa duração. "A chamada terapia dessensibilizante é um tratamento que deve ser realizado por, pelo menos três anos", informa Francesco Paravati, ex-presidente da Sociedade de Alergologia e Imunologia Pediátrica italiana.




Futuro - Artigo de Aécio Neves para Folha de S.Paulo


...

A comunidade científica e lideranças empresariais se reuniram para divulgar, dias atrás, um alerta à nação.

"Em Defesa da Ciência, da Tecnologia e da Inovação" é o título do manifesto. Trata-se de protesto público, clamoroso, contra os sistemáticos cortes que o governo federal vem impondo à área de pesquisa, no que diz respeito ao orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O documento denuncia ainda que os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) vêm sofrendo contingenciamentos regulares. Em outras palavras: ou são congelados ou são dirigidos para outras áreas. "O desenvolvimento científico e tecnológico do país não pode ser comprometido", diz o documento.

Não pedem muito os signatários. Apelam à presidente Dilma que restabeleça a proposta original, de R$ 6,7 bilhões para o orçamento de 2012 do ministério (o corte decretado chega a R$ 1,5 bilhão) e que preserve os recursos do FNDCT. O que setores importantes da sociedade reivindicam é que o governo perceba a gravidade da ameaça que paira sobre o país.

Governos responsáveis precisam estar comprometidos com o amanhã. A responsabilidade de uma administração não se limita ao período para o qual um governo foi eleito.

Todo governante precisa considerar o futuro como parte dos seus compromissos. Ele não nasce do acaso. Bases seguras para o desenvolvimento não se restringem a investimentos em infraestrutura. É fundamental o investimento em capital humano. Inovação é o novo nome do nosso tempo.

Subscrevem a petição tanto a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), quanto a Confederação Nacional da Indústria (CNI), as federações estaduais de Bahia, Minas, Paraná, Rio e São Paulo, assim como a Academia Brasileira de Ciências, a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei) e a Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (Protec).

Está claro, portanto, que não se trata da defesa de vantagens corporativas, mas, sim, de uma questão de amplo interesse nacional. A indústria assumiu essa posição porque entende a importância da pesquisa científica e da criatividade no ambiente altamente competitivo de uma economia globalizada. Pesquisadores se mobilizam em torno dessa cobrança porque sabem que a tecnologia e o conhecimento são a porta de entrada no novo mundo que se organiza.

Ao cortar verbas do setor, o governo Dilma ignora a dimensão do desafio que se apresenta para o país e o esforço heroico de brasileiros e instituições em que a inteligência e a imaginação teimam em resistir. Resistem em nome do Brasil que somos e do Brasil que ousamos querer ser.

Fonte: Folha

Arquivo do blog