Artigos? Envie para o email marcelopassossenador@gmail.com

Pesquisa Web

sábado, 29 de dezembro de 2012

Impostos vem ai, agora é Soberania ou Covardia do Estado Democrático?

...

Um novo ano estreia daqui umas horas e como no últimos tempos o primeiro mês começam as obrigações legais, IPTU, IPVA, entre uma série de impostos atribuídos ao cidadão em geral, assim como vários aumentos dos produtos de consumo e do bem estar das famílias brasileira, como aumento dos combustíveis, passagens coletivas, dos produtos da cesta básica, ou seja, muitas obrigações e o acatamento da soberania do Estado Democrático de Direito.

Não questiono a nossa contribuição aos cofres públicos, afinal de alguma forma há o retorno, claro que não da forma adequada e justa, boa parte das nossas contribuições desviam - se para setores de maior interesse eleitoral o que propriamente social.

Temos os prazos para pagar, de certo modo há algumas aberturas favoráveis que são propostas aos contribuintes, mas e se não pagar? Todo sabem que aquele contribuinte em débito com o Estado Democrático  de Direito sofrerá as duras sanções governamentais. Se deixar de pagar os impostos do seu veículo ,o primeiro policial a lhe cobrar os documentos, cumprirá a ordem de apreender o veículo sem qualquer argumentação, sendo que também aquele policial pode esta em débito com Estado, mas cumpre seu dever.

Se deixar de pagar os impostos da sua residencia, em breve haverá um oficial de justiça a sua porta para que você esclareça perante a autoridade magistrada o motivo do debito e os riscos para o não cumprimento da "obrigação".

Se você meu querido cidadão for ao hospital público, você deve entender que não a verba suficiente para atender toda a demanda e você deverá entender a precariedade do serviço da saúde. E você também meu querido motorista que nestas férias de janeiro que quer passear, arruma seu carro, faz um check up completo como manda o bem estar coletivo e no curso da sua viagem o pneu do seu carro estoura por causa daquele buraco no meio da pista. Que chato né... mas você tem que entender que não ha verba do Governo para asfaltar alguns ou longos trechos.

E você que leva sua família ou sua namorada ou então sai com os amigos para divertir na rua, ao qual você tem o direito de desfrutar, afinal você é contribuinte né!? A sim, então você tem direito de andar livremente e se divertir dentro dos princípios do respeito coletivo, mas você acaba se ser vitima de um assalto, levaram sua carteira ou seu carro. Que coisa horrível, mas você deve entender que o Estado ta fazendo sua parte, mas não tem verba para te proteger totalmente, como aumentar o efetivo policial, equipar mais os policiais.

Nossa me sinto tão mal em falar que o Estado Democrático de Direito não consegue retribuir a nós cidadãos contribuintes um retorno eficaz dos direitos fundamentais previstos em LEI, será que estou sendo radical demais? Agora eu, você, seus amigos, seus familiares devem cumprir suas obrigações, senão o Estado Democrático de Direito te pega de jeito, porque você não cumpriu a sua parte.

Marcelo Passos

...

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Preparem- se Seguro obrigatório vai aumentar em 4%


O valor do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT) vai subir 4,4% no ano que vem. A taxa passará a custar R$ 105,65, ante os R$ 101,16 cobrados em 2012. Já no caso das motos, o seguro vai de R$ 279,27 para R$ 292,01. As informações foram divulgadas pela Seguradora Líder, responsável por administrar o DPVAT.

Pela primeira vez, os donos de motos, vans, micro-ônibus e ônibus usados poderão parcelar o pagamento do seguro. Automóveis caminhões e qualquer veículo zero-quilômetro não terão essa alternativa, segundo uma resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP). A norma estabelece ainda que cada Estado fica responsável pelo parcelamento.

Em São Paulo, a Secretaria da Fazenda informou na quinta-feira (27) que os interessados poderão fazer o pagamento em três vezes por meio de boletos bancários, que poderão ser gerados a partir de 2 de janeiro. A emissão será pelo site http://parcelamento.dpvatsegurodotransito.com.br.

Segundo a pasta, a primeira parcela coincidirá com a parcela inicial do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), em janeiro.

Carros não entram na lista porque a resolução federal prevê que a parcela mínima para o pagamento deve ser de R$ 70.

O preço do seguro para micro-ônibus de aluguel continuará em R$ 396,49. Os particulares seguirão com taxa de R$ 247,42. Caminhões e caminhonetes, por sua vez, terão alta, de R$ 105,68 para R$ 110,38.

Aécio Neves prepara nova agenda econômica


Maior partido de oposição ao governo, o PSDB reúne os pais do Plano Real para afinar o discurso do pré-candidato ao Planalto, senador Aécio Neves, baseado no índice de crescimento

Na esteira do baixo crescimento da economia brasileira, o PSDB já se articula em torno do que pensa ser uma alternativa viável em uma provável disputa com a presidente Dilma Rousseff (PT) nas eleições presidenciais de 2014. Com o objetivo de construir uma agenda econômica com a qual o senador Aécio Neves (PSDB) tentará chegar ao Palácio do Planalto, o grupo de economistas que ajudaram a criar e gerir o Plano Real teve na última quarta-feira mais uma rodada de conversas com o tucano mineiro e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. 

Desta vez foi um almoço no Rio de Janeiro, que levou para a mesma mesa o ex-ministro da Fazenda Pedro Malan, o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Edmar Bacha. No fim de agosto o grupo já havia se reunido no Rio para um jantar. O ponto principal da conversa seria tentar resgatar bandeiras históricas dos tucanos, como as parcerias com a iniciativa privada para obras de infraestrutura, o que inclui aeroportos, rodovias, hidrovias e hidrelétrica. 

Os economistas Armínio Fraga e Edmar Bacha tiveram um papel importante no programa de privatizações da gestão de FHC, com destaque para as telefônicas e a Companhia Vale do Rio Doce. Ao longo de 2013 haverá encontros com economistas de renome nacional, até que seja montado um programa que tenha como bandeira principal as parcerias do setor público com o privado. A ideia teria o aval do DEM e PPS, partidos que hoje integram com os tucanos o bloco de oposição ao governo Dilma. 

Na discussão da economia nacional, pesa a favor da oposição a redução da projeção de crescimento da economia brasileira, que até então chegaria a 4,5%, mas não deverá passar de 1%, segundo estimativa do relatório de inflação divulgado no dia 20 pelo Banco Central. Os números negativos colocaram o Brasil novamente na sétima posição entre as maiores economia do mundo, atrás de Grã-Bretanha, França, Alemanha, Japão, China e Estados Unidos.

Novo caminho

“O partido terá um processo de mobilização e discussão com documentos oficiais externando nossa posição”, afirmou ontem o presidente estadual do PSDB, deputado federal Marcus Pestana. De acordo com o parlamentar, o objetivo é fazer um diagnóstico profundo da economia brasileira e mundial, e a partir daí, debater um projeto que permita ao país voltar a crescer em níveis mais altos. 

“Esse ciclo de 10 anos de governo do PT já demonstrou sinais claros de esgotamento, com instabilidade, diminuição das taxas de investimento e crescimento mínimo do PIB”, reclamou Pestana. O parlamentar argumentou ainda que é necessário um novo caminho para os setores elétrico – que tem apresentado apagões rotineiros –, petrolífero e de infraestrutura. 

A justificativa do governo para a redução na projeção de crescimento da economia este ano é a recuperação da atividade econômica doméstica em ritmo diferente do previsto. A estimativa para o crescimento do PIB – que representa a soma de todos os bens e serviços produzidos – passou de 1,6% para 1%. No entanto, a expectativa do Banco Central é de que “a demanda doméstica tende a se apresentar robusta” nos próximos semestres, o que seria resultado do consumo das famílias, estimulado pelo crescimento da renda e pela expansão moderada do crédito.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Dirigente do Milan admite possibilidade de Robinho jogar no Atlético em 2013


Adriano Galliani está no Brasil para negociar o atacante com um clube brasileiro


O presidente do Atlético, Alexandre Kalil, ainda busca um nome de impacto para reforçar o Atlético na disputa da Copa Libertadores de 2013. E o atacante Robinho é uma possibilidade.

Na manhã desta quarta-feira, o vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, em caminhada pela praia do Leblon, no Rio de Janeiro, admitiu a jornalistas que estavam no local que o Galo pode, sim, ser o destino do jogador, que já demonstrou sua vontade de sair do clube de Milão.

Antes de desembarcar no Brasil, o dirigente italiano expôs publicamente que viria ao país fazer negócios. "Eu planejei minha viagem ao Brasil há meses. Será uma viagem de trabalho, não vou de férias. Temos duas negociações em andamento por Pato e Robinho, que pediram para deixar o Milan. E eu também já sei o que acontecerá no caso deles deixarem o clube", afirmou Galliani.


Na noite desta terça-feira, o Flamengo, que manifestou interesse no atleta, desistiu oficialmente por causa do valor da operação. 

De acordo com Galliani, clubes de São Paulo (sem citar quais são) estão com o atacante na mira. O Santos, ex-time dos jogador, é um deles.

Ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella afirma que Raposa deveria vender Montillo


Assim como no começo deste ano, o presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, já informou que fará o mesmo esforço para manter o meia argentino Montillo, um dos principais atletas do grupo celeste na atualidade, para a próxima temporada. A estratégia de segurar o jogador, no entanto, não é vista como a melhor pelo ex-presidente do clube, Zezé Perrella, para quem um time de futebol deve ser tratado como uma empresa.

O ex-dirigente relembra que, antes de deixar a presidência celeste, recusou uma proposta de 10 milhões de euros pelo argentino a pedido de Gilvan, que assumiria o seu lugar. Entretanto, Perrella afirmou que, hoje, se estivesse à frente do clube, venderia Montillo.

“Ele [Gilvan] pediu para não vender, tinha feito um compromisso com a torcida, dizendo que não ia vender. E acho que deveria vender agora. Eu nunca tive medo de torcedor. Eu sempre fiz o que tinha de fazer e nunca atrasei salário em 17 anos que lá estive”, disse  Zezé Perrella, em entrevista a Rádio Itatiaia, nessa segunda-feira, completando ainda que não acredita que um jogador sozinho vá fazer a diferença.

“Eu acho que uma andorinha só não faz verão. Nós já vendemos o Fred, vendemos o Ronaldo Fenômeno, vendemos tantos jogadores e ganhamos tantos títulos em cima dessa política".

Para o ex-presidente, a venda de Montillo no começo de 2012 poderia ter evitado o atraso no salário dos jogadores no início da temporada. “O Gilvan fez um compromisso com o torcedor de não vender o Montillo. Eu tenho uma visão de futebol bem mercantilista mesmo. Acho que clube de futebol tem de ser tratado como empresa, tem conta para pagar”, destacou Perrella.

Após a disputa do Brasileirão neste ano, quatro clubes chegaram a manifestar interesse pelo argentino: Fluminense, Grêmio, São Paulo e Santos.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Luto: Morre Dona Canô aos 105 anos


Claudionor Viana Teles Veloso, a Dona Canô, morreu aos 105 anos, nesta terça-feira, em casa na cidade de Santo Amaro da Purificação, Recôncavo Baiano,  por volta das 10 horas. A matriarca da família Veloso ficou internada por seis dias e recebeu alta do Hospital São Rafael, em Salvador, na última sexta-feira. Ela tinha sofrido um ataque isquêmico cerebral, que gera redução do fluxo de sangue nas artérias do cérebro, segundo informou o boletim médico.

A mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia teve oito filhos - dois adotivos - e completou 105 anos há três meses, com a tradicional comemoração em casa e em missa reunindo amigos e a família, na cidade de Santo Amaro. Estiveram na festa os filhos Caetano Veloso e Maria Bethânia e a amiga Regina Casé. Quem celebrou a missa foi o padre Reginaldo Manzotti. Em dezembro, a matriarca assistiu ao show da nova turnê da filha Maria Bethânia, no Teatro Castro Alves.


Em mensagem publicada no microblog Twitter, nesta manhã, Caetano agradeceu a solidariedade de todos. Segundo o texto postado na rede social, o velório de Dona Canô será as 18 horas no Memorial Caetano (17 horas de Brasília). Ainda no horário local, a missa ocorre na quarta-feira, às 9 horas, na Purificação, e o enterro será no Cemitério de Santo Amaro, às 10 horas.


Biografia

A centenária baiana nasceu em 16 de setembro de 1907. Mãe de oito filhos, Dona Canô é viúva de José Teles Velloso, mais conhecido como "Seu Zeca", funcionário público dos Correios, falecido em 13 de dezembro de 1983, aos 82 anos.

Conhecida por sua personalidade forte e receptividade, Dona Canô sempre participava da tradicional Festa de Reis em Santo Amaro, que reúne milhares de pessoas em toda região. Atrás da aparência frágil, Dona Canô escondia a força e a longevidade, sempre lutando para melhorar a cidade de Santo Amaro, onde acolheu moradores como uma mãe.

Homenagens

Considerada uma das mais ilustres cidadãs de Santo Amaro da Purificação, teve publicadas suas memórias no livro “Canô Velloso, lembranças do saber viver”, escrito pelo historiador Antônio Guerreiro de Freitas e por Arthur Assis Gonçalves da Silva, falecido antes do término da obra. 

Cantada por Daniela Mercury, a composição de Caetano Veloso que leva no título o nome da mãe "Dona Canô" descreve a relação que a matriarca tinha com seus familiares e amigos. 


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

MINEIRÃO: O GIGANTE ESTA DE VOLTA


Em 5 de setembro de 1965 mais de 130 mil pessoas foram à Pampulha abrir um estádio gigantesco: o Mineirão. Além dos belo-horizontinos, havia gente de todo o Estado e de outras partes do Brasil.

O presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Paulo Machado de Carvalho, encantou-se com o que viu, mas, em seu discurso, havia uma pontinha de inveja daquilo que via.

"O estádio é muito bonito, mas que pena que é um elefante branco", teria dito o dirigente a amigos. Ninguém confirma a frase, mas ela já está na memória do Mineirão, que hoje abrirá uma nova era.

Em 21 de dezembro de 2012, o Gigante da Pampulha muda de status. Deixa de ser um estádio de futebol e vira uma arena multiúso. "Belo Horizonte entrará na rota dos grandes shows internacionais", destaca o secretário de Estado extraordinário da Copa do Mundo, Tiago Lacerda.

O futebol continuará como carro-chefe da nova arena. Lá, acontecerão três jogos da Copa das Confederações, já em 2013, e seis da Copa do Mundo de 2014. O Cruzeiro mandará todos os seus jogos no Gigante. Atlético ainda negocia com a Minas Arena, empresa que administra o estádio.

O Mineirão que, em 1965, mostrou o futebol mineiro para o Brasil se renovou para poder dar um salto ainda maior: mostrar qualquer que seja o dom dos mineiros para o mundo, não só com a bola nos pés.
Aquele que seria um "elefante branco" para um dirigente paulista que não acreditava no futebol mineiro viu partidas homéricas, títulos históricos e a consolidação de grandes clubes.

O lugar que um dia viu Pelé padecer, ouviu gritos de alegria e o silêncio da tristeza será reaberto pronto para ser palco de novas histórias de drama e felicidade.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Autor do primeiro gol do Mineirão, Buglê leva uma vida modesta em Brasília

Jogador marcou o tento da vitória da Seleção Mineira sobre o River Plate, em 1965

José Alberto Bougleux, conhecido como Buglê, carrega a honra de ser o primeiro jogador a marcar um gol no Mineirão, em 5 de setembro de 1965. Personagem marcado na história do estádio, atualmente ele leva uma vida modesta em Brasília, onde recebe salário mínimo por aposentadoria e cria alguns animais em uma chácara. Em entrevista para o Superesportes, o ex-atleta confessou que, à época, não tinha noção que aquele momento teria tanta repercussão em sua trajetória.

“Não sabia que esse gol iria repercutir tanto na minha vida. Fiquei bastante emocionado. Depois do jogo, a torcida me carregou no hall. Fizeram até uma placa para mim, mas muitos anos depois”, comenta Buglê.

O gol histórico aconteceu na partida entre Seleção Mineira (combinado de Atlético, Cruzeiro e América) contra o River Plate. O ex-jogador guarda na memória os detalhes do lance.

“Eu tinha 19 anos e a jogada começou com uma bola que roubei na intermediária. O nosso esquema era 4-2-4, e aproveitei que o Dirceu Lopes estava perto e nós tabelamos até a área do River. No último passe dele, a bola foi esticada e tive que dividir com o goleiro. Acabou que, quando olhei, a bola sobrou livre para mim e só tive que empurrar para as redes”, conta.

Esqueceram de mim

A reinauguração do Mineirão no 21 de dezembro promete ser uma grande festa para o torcedor. Com visitação aberta ao público e show da banda Jota Quest, os organizadores prometem empolgar os presentes. Porém, parte marcante do passado no estádio, o ex-jogador lamenta o fato de não ter sido convidado.

“Não me mandaram convite nenhum. Estou aguardando. Até lá, espero que eles me chamem. Eu não estava nem sabendo da reinauguração. Fiquei sabendo por você”, revela Buglê.

Com frustração por ter sido esquecido, o aposentado compara a situação atual com um filme comum no início dos anos 90. “Tenho uma história no Mineirão que conta muito, mas parece que não para todos . Estou me sentindo como o personagem daquele filme: Esqueceram de Mim”, completa.

Sobre a partida inaugural entre os arquirrivais mineiros, no dia 3 de fevereiro de 2013, ele revela que gostaria de ver a outro confronto.

“Eu acho que pela grandeza do Mineirão, tinha que ser a Seleção Brasileira em campo. Também poderia ser um misto de Atlético e Cruzeiro contra o Barcelona”, ressalta.

Início no futebol

Exaltado como primeiro jogador a fazer um gol no Mineirão, o ex-volante Buglê teve um início promissor no Atlético. Em poucos meses, ele saiu das categorias de base e ficou três anos no profissional. Porém, a primeira ligação dele com o esporte foi no futebol de salão do Cruzeiro.

“Minha primeira experiência foi no salão. Joguei com Tostão, Ronaldo Drumond e outros. O Cruzeiro tinha uma equipe forte no Barro Preto. Depois, me convidaram para ir para o júnior do Atlético. Em pouco tempo, eu era titular. Sai do Galo ao ser envolvido em uma troca pelo Oldair, que fez parte do time campeão em 1971. Passei oito anos com a camisa do Vasco da Gama, além de um período no Santos”, disse.

Em campo no primeiro clássico entre Atlético e Cruzeiro no Mineirão, Buglê admitiu que ficou nervoso durante a partida. Segundo ele, a atuação do árbitro, que marcou um pênalti inexistente para o time celeste, causou a ira dos jogadores alvinegros.

“Participei desse primeiro jogo entre os rivais e fui expulso. Teve um pênalti que foi fora da área, que o árbitro Juan de La Passion, não esqueço esse nome, pois muitos diziam que era cruzeirense, deu dentro da área. Houve uma briga geral e fui expulso. Eu era um dos mais nervosos”, relembra.

O lance aconteceu aos 34 minutos do segundo tempo, quando o Cruzeiro vencia por 1 a 0. A jogada causou tamanha revolta que nove jogadores do Atlético foram expulsos. O jogo foi realizado no dia 24 de outubro de 1965, e a Raposa venceu pela diferença mínima, com gol de Tostão.

Vida simples
Presente nos gramados numa época em que o futebol profissional não pagava salários elevados para os atletas, Buglê leva uma vida simples no Distrito Federal. Morador da capital do país há 25 anos, ele é dono de uma chácara, onde cria bois e vacas, e relata as dificuldades que alguns jogadores antigos enfrentam.

“Eu aposentei por idade e tenho uma chácara em Brasília. Ganho o meu salário mínimo e mexo com vaca e boi, que eu gosto de fazer. Hoje (o salário dos jogadores) é uma aberração. Eu joguei 13 anos e teria uma vida muito mais tranquila se fosse nos dias atuais”, lamenta

Depois de abandonar o futebol, em 1974, com a camisa do Vasco, o ex-jogador encontrou em Taguatinga, cidade satélite de Brasília, uma oportunidade de trabalho. Porém, ele critica algumas situações observadas nos anos em que passou pelo setor público.

“Estou em Brasília há muitos anos. Trabalhei na administração pública de Taguatinga, na parte de obras, mas nunca me aproveitaram na área de esportes. O meu defeito aqui é que não sei roubar”, afirma.

O planejamento do esporte local também foi alvo de análise do ex-atleta. “O futebol aqui é muito fraco. Eles preferem trabalhar com jogadores velhos, do que investir na base. Eu não concordo com certas coisas”, revela.

FICHA TÉCNICA DO PRIMEIRO JOGO:

MINAS GERAIS 1 X 0 RIVER PLATE

DATA: 05/09/1965
MOTIVO: Amistoso
PÚBLICO: 73.201
RENDA: Cr$82.792.265
JUIZ: Antônio Viug
AUXILIARES: Joaquim Gonçalves (MG) e Luis Pereira Filho (MG)

MINAS GERAIS
Fábio; Canindé, Grapete, Bueno e Décio Teixeira; Buglê e Dirceu Lopes; Wilson Almeida (Geraldo depois Noventa), Silvestre (Jair Bala), Tostão e Tião.
TÉCNICO: Gérson dos Santos

RIVER PLATE
:
Gatti; Sainz, Ramos Delgado, Grispo e Matosas; Capp (Viveica) e Sarnari; Cubilla (Sollares), Artime (Lallana), Delém e Más.
TÉCNICO: Jose Curti 

GOL: Buglê - aos dois minutos do 2º tempo, para Seleção de Minas Gerais.

CARTÕES: Cartão vermelho Tião (Minas Gerais) e Sarnari (River Plate)




(Fonte: Ademg)

 

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Aécio Neves vistoria Mineirão, o primeiro estádio pronto para 2014


O senador Aécio Neves comemorou cumprimento dos prazos no estádio como resultado do planejamento e eficiência do Choque de Gestão. 

Aécio Neves, senador do PSDB-MG, fez uma vistoria do estádio Mineirão, o primeiro no Brasil a ficar pronto para a Copa das Confederações de 2013 e a Copa do Mundo de 2014. Em 12/12/2012, ele esteve no local e percorreu o gramado, no dia de aniversário de 115 anos de Belo Horizonte.

O senador Aécio Neves destacou que o Mineirão será o primeiro estádio no Brasil a ser entregue à população, cumprindo, assim, o compromisso assumido pelo governo estadual. Ele estava ao lado governador Antonio Anastasia e do prefeito de Belo Horizonte. Marcio Lacerda, parceiros no projeto.

Aécio Neves comemorou o cumprimento da meta: “Estou muito feliz em ver que aquele sonho, lá de trás, com eficiência, com planejamento, com muita gente trabalhando, se transforma hoje em realidade”, disse ele. No dia 21, o estádio será o palco de um grande evento para celebrar a finalização. “Fizemos tudo como era planejado, seguindo os preços previstos, com o cronograma físico absolutamente cumprido”, ressaltou o senador

Aécio Neves fez a seguinte avaliação sobre a reforma: “O estádio está belíssimo, maravilhoso, aconchegante”. Aécio Neves entrou no campo, que já recebeu grama, carregando a Cafuza, a bola da Copa das Confederações, e arriscou embaixadinhas e um rápido bate-bola com o governador e o prefeito. “Certamente, todos os mineiros estão na expectativa de voltar ao Mineirão, palco de alguns dos momentos mais brilhantes e marcantes do futebol brasileiro”, declarou o ex-governador de Minas.

Aécio Neves homenageou os trabalhadores da obra e ressaltou a importância da união em torno do projeto: “A parceria do município e do Estado e que faz muito bem a Minas Gerais, à saúde da economia mineira”, afirmou o senador Aécio Neves.

Choque de Gestão: modelo criado por Aécio “humaniza” prisões em MG

Choque de Gestão de Aécio Neves foi o modelo que primeiramente tirou as Parcerias Público-Privadas (PPP) do papel no Brasil.

Quando o senador Aécio Neves começou a colocar em prática o Choque de Gestão, em 2003, início de seu primeiro mandato como governador de Minas, também anunciava a aposta em um modelo moderno de investimentos em obras públicas: as parcerias público-privadas (PPP), onde o Poder Público e iniciativa privada dividem os custos de investimento. Fez com sucesso em algumas áreas, como a infraestrutura viária, e chegou até a segurança pública. E assim, Minas Gerais dará mais um exemplo de vanguarda ao Brasil: em janeiro de 2013, o governo mineiro inaugura o primeiro presídio construído por PPP no país.

O complexo penitenciário composto por cinco presídios (três de regime fechado e dois de semiaberto) está sendo erguido em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) e terá capacidade para abrigar 3.040 presos. A licitação para a obra aconteceu em 2009, ainda no Governo Aécio Neves e no seu Choque de Gestão, dentro da meta de ampliar a oferta de vagas no sistema prisional de Minas Gerais.

Neste domingo, a finalização do primeiro prédio do complexo foi tema de reportagem do jornal O Globo. Nela, a PPP do sistema prisional criada no Choque de Gestão de Aécio Neves é apontada como exemplo nacional de política pública.


Além do complexo penitenciário de Ribeirão das Neves, o Governo de Minas já executa duas grandes obras em regime de PPP: a modernização da MG-050, que liga a Região Metropolitana à divisa com o Estado de São Paulo e a remodelagem do estádio Magalhães Pinto – o Mineirão – visando receber as Copas das Confederações (2013) e do Mundo (2014). Ambas as obras em fase de conclusão e iniciadas durante o Choque de Gestão de Aécio Neves.

O pior ano do século – artigo do senador Aécio Neves para a Folha de S.Paulo

Fonte: Folha de S. Paulo

Desde que o século 21 começou, a economia brasileira vive o seu pior ano: dados do PIB apontam, no terceiro trimestre, um crescimento de apenas 0,7% em relação ao anterior e indicam que fecharemos 2012 no patamar de 1%.

A inflação em alta superou o centro da meta e as projeções indicam que tende a crescer ainda mais. Os investimentos continuam em queda livre. Os dois primeiros anos do atual governo foram períodos perdidos para a economia, para o país e para a sociedade brasileira --os resultados de 2012 conseguem ser ainda piores que os de 2011, quando o PIB registrou medíocre crescimento de 2,7%.

Foi um período de desperdício da capacidade de crescimento do Brasil e de explícita inoperância dos sucessivos "pacotes" anunciados com estardalhaço. Desnuda, ainda, a manipulação das autoridades econômicas de tentar vender à sociedade um ambiente de otimismo, que, agora, se confirma fantasioso. O governo federal começou o ano prometendo crescimento de 4% para o PIB.

O mundo real mostra que o Brasil crescerá bem menos que os emergentes --Rússia (2,9%), China (7,4%) e Índia (5,3%)--, ficando, ainda, abaixo da média da América do Sul (2,7%) e a um terço da média da América Latina e do Caribe (3,1%), só à frente do Paraguai.

O contraditório é que, mesmo assim, a máquina governamental bate novos recordes de arrecadação. Essa exuberância fiscal pouco tem contribuído para reverter a agenda negativa ou mesmo reabilitar os entes federados, à beira da insolvência em face da grave concentração de recursos e de poder em Brasília.

Está claro que não dá mais para responsabilizar as crises externas por tudo o que acontece no país. É uma terceirização que visa absolver os que vêm adotando uma sucessão de medidas equivocadas.

É hora de retomar as reformas iniciadas sob o governo Fernando Henrique Cardoso e paralisadas pelo petismo na última década.

Não se compreende por que o governo não coloca a serviço do país a ampla maioria que possui no Congresso Nacional e os índices de aprovação indicados pelas pesquisas, que poderiam criar as bases políticas necessárias para viabilizar as grandes mudanças que o Brasil precisa.

Já disse antes que popularidade é como colesterol: tem a boa e a ruim. A boa é aquela que é usada como instrumento para a superação de desafios que sufocam o país. A ruim é aquela que inebria, que faz seus detentores, na expectativa de mantê-la indefinidamente, acomodarem-se, evitando qualquer tipo de contencioso, e que acaba custando caro aos brasileiros.

Uma transforma, a outra paralisa. Uma serve à pátria. A outra, ao poder.

AÉCIO NEVES escreve às segundas-feiras nesta coluna.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Corinthians Campeão Mundial


Um gol e 1 a 0 no placar. O resultado foi o mínimo, mas o suficiente para o Corinthians superar o Chelsea, em Yokohama, no Japão, e conquistar o Mundial de Clubes, sagrando-se bicampeão (2000 e 2012). O personagem principal da conquista foi o atacante peruano Paolo Guerrero que, de cabeça, colocou a bola no fundo do gol inglês, fazendo a sua torcida se explodir em emoção e alegria pela conquista de mais um grande título para a história do time paulista, que fecha com chave de ouro a sua temporada.

A conquista, no entanto, não teria sido possível também não fosse a grande atuação do goleiro Cássio, que fez grandes defesas, fechou o gol corintiano e salvou o clube paulista de um resultado adverso.

Equilíbrio em campo

Atual campeão da Liga dos Campeões, o Chelsea era tratado como o favorito na grande final. O Corinthians sabia disso, mas, no entanto, não se deixou intimidar com a força do adversário e fez um primeiro tempo equilibrado contra a equipe inglesa. Em jogo estava o título mundial e o resultado disso foi um começo marcado por tensão e muita desconfiança dos dois lados. Os primeiros minutos do confronto foram utilizados pelas duas equipes para analisarem o adversário e encontrar a melhor forma de furar o bloqueio imposto por ambas as partes.

Aos dez minutos, no entanto, o primeiro susto, e para o lado brasileiro. Após uma cobrança de escanteio, Cahill chutou a bola por duas vezes contra o gol de Cássio, que tirou a bola na linha e salvou o time paulista de uma desvantagem no placar. O lance esquentou o jogo pelo lado inglês, que passou a sair com mais facilidade para o jogo, principalmente pelo lado direito do campo.

Quando o Chelsea parecia dominar o confronto, o Corinthians, no entanto, entrou em cena e, apostando na velocidade dos contra-ataques, quase surpreendeu o adversário. Primeiro com um chute de Jorge Henrique e, depois, com um de Paulinho. E assim foi a tônica da etapa inicial: as duas equipes alternando momentos em que pressionavam, e momentos de sofrimento para a torcida.

Aos 27 minutos, Emerson também teve a sua chance. Paolo Guerrero deixou o atacante de frente para o gol, mas o Sheik acabou isolando a bola para fora, deixando o técnico Tite nervoso no banco de reservas. Pouco depois, foi a vez de Guerrero desperdiçar a chance em um chute cruzado. A partir de então, o Chelsea foi com tudo para buscar o gol nos minutos restantes do primeiro tempo. Torres e Moses tiveram, respectivamente, a chance de balançar as redes, mas pararam nas grandes defesas de Cássio, que salvou o Corinthians por várias vezes no jogo.

Peruano marca e assegura título

No segundo tempo, momento de definição, a partida esquentou ainda mais. Na busca pelo gol, os dois times passaram a sair mais e o resultado foi o aumento do número de faltas e os primeiros cartões amarelos no duelo. A partir dos 16 minutos, o Corinthians passou a encontrar mais espaços na defesa do Chelsea e, Paulinho, em um chute forte da direita, quase abriu o placar. O lance era um aviso do que viria pela frente. Aos 23 minutos, após um bate e rebate na área inglesa, a bola sobrou para Guerrero que, de cabeça, mostrou o faro de artilheiro para colocar o Corinthians na frente e incendiar a sua torcida: 1 a 0.

Na sequência, buscando reverter a situação, o técnico Rafa Benítez resolveu acionar o meia Oscar, no lugar de Moses. A alteração, no entanto, não surtiu muito efeito, já que a equipe inglesa não conseguia passar da marcação corintiana. Aos 40 minutos, no entanto, Fernando Torres acabou desperdiçando a grande chance de empatar o confronto, cara a cara com o goleiro Cássio, que foi para cima do jogador como um "paredão". Os minutos finais foi um desespero do time inglês, que teve Cahill expulso, mas tentou de tudo para achar o gol, o que acabou não acontecendo. Torres chegou a balançar as redes, mas o árbitro marcou impedimento no lance.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

"Silvio Santos emprestava dinheiro para pagar os funcionários da TV Globo", diz Boni


Convidado do "Programa Raul Gil" neste sábado (15), José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, participa do quadro "Para Quem você Tira o Chapéu?" e relembra a época em que Silvio Santos, dono do SBT, apresentava um programa de auditório na TV Globo, antes de adquirir a sua emissora. "Silvio  emprestava dinheiro para pagar os funcionários da TV Globo", diz ele, que já havia relatado a história em seu livro de memórias.
No programa, Boni tira o chapéu para a jornalista Marília Gabriela. "Ela bateu na minha porta e disse: ‘Sou jornalista, sei cozinhar, passo, lavo, bordo, canto e quero trabalhar na televisão'. E eu disse: ‘Se você sabe tudo isso, vamos trabalhar na televisão'", diz Boni, que ainda fez duras críticas à violência e à política brasileira.
Ao final do quadro, Boni chora com a homenagem que recebe de Carlos Alberto, Marília Gabriela, Moacyr Franco, Reynaldo Boury e Jorge Assis.

Preconceito: De alguma forma somos como os Ratos

...

Preconceitos de opções sexuais, religiosos, raciais, classes sociais, fazem parte do cotidiano de muitas pessoas neste planeta.

Quem nunca escutou?

Não gosto de veado...

Detesto essa pessoa porque é de tal religião...

Tinha que ser desta cor ...

Tinha que ser pobre ...

Enfim, entre vários tipos de ataques gratuitos que são lançados diariamente em nome de um parametro social e em nome de uma falsa moralidade, em nome de uma maioria excluindo os "diferentes".  

A exclusão existe desde a criação da humanidade, basta irmos até os livros historicos para entender. Até Jesus Cristo foi excluido, como é até hoje e o que aconteceu? Todos já sabem...

As doenças que hoje são curadas, os medicamentos tão beneficos a nossa saúde física, partiram de experiências de cientistas que usaram e usam como cobaias os "RATOS", que na nossa visão são tão insignificantes, repugnates, sujos, a quem desejamos distancia, mas sabem porque usam os Ratos? Porque seu organismo se equipara aos homens. 

Vocês sabiam que na comunidade dos ratos, quando lhe são colocados venenos, eles usam os ratos mais doentes a frente para experimentar o que lhe posto como armadilhas, para depois fugirem do local?

E então? De que vale o preconceito e as exclusões?

Marcelo Passos

...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Aécio critica agenda negativa do PT

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou nesta terça-feira (11) que está difícil acompanhar as denúncias envolvendo o Partido dos Trabalhadores (PT). "Estávamos nos articulando em relação à denúncia da semana passada e agora já surgiu uma nova (denúncia). A capacidade do PT de produzir agenda negativa é maior que a nossa capacidade de enfrentá-la", disse o senador, numa referência à matéria publicada hoje pelo jornal O Estado de S.Paulo.
 
A reportagem revela o depoimento do publicitário Marcos Valério, operador do mensalão, ao Ministério Público no qual ele afirma que o dinheiro do mensalão pagou despesas pessoais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Silvio Santos comemora 82 anos

O apresentador Silvio Santos comemora 82 anos de vida nesta quarta-feira. Pela manhã, Patrícia, sua filha (número 4?!) publicou uma mensagem no Instagram parabenizando o pai.

"Happy Birthday, Silvio Santos! Um pai amoroso e participativo, um amigo, amante e parceiro para minha mãe, um referencial de caráter e alegria para o Brasil!! Que Deus o abençoe sempre com muita saúde e muitos anos de vida! Muito amado!!", escreveu ela.


Silvio é um dos maiores ícones da TV brasileira. Dono da emissora SBT, Senor Abravanel, nome de batismo, começou a trabalhar aos 14 anos, quando vendia capinhas para título de eleitor pelas ruas do Rio de Janeiro.


Ainda jovem, foi convidado a fazer um teste na Rádio Guanabara (hoje Bandeirantes), por conta de sua voz encorpada. Ele chegou a trabalhar por um tempo na rádio mas desistiu do veículo para continuar como camelô, pois ganhava mais dinheiro.


Aos poucos foi usando sua voz em comerciais, mudou-se para Sãi Paulo e seu talento foi aos poucos ficando reconhecido. Em 1962 estreou um programa na Tv Paulista. "Vamos Brincar de Forca", que foi um sucesso e se transformou no Programa do Silvio Santos.


No final dos anos de 1970, ele conseguiu o direito de ter uma rede nacional, e assim nascia o SBT.


Na década seguinte, Silvio se arriscou na vida política e candidatou-se a prefeitura paulista. Depois pleiteou a presidência da República, mas teve a candidatura impugnada.


Sua vida já virou samba-enredo da escola de samba Tradição. Ele viu sua filha Patrícia ser mantida refém em sua própria casa e enfrentou uma crise financeira. Nessa crise, Silvio teve que vender seu famoso "Baú da Felicidade" para o grupo Magazine Luiza.


Aos 82 anos, Silvio Santos continua à frente de seu programa aos domingos no SBT.

Senador Aécio Neves (PSDB): “conta de luz pode baixar mais que 20%”

Proposta de fim de cobrança do PIS/Cofins na conta de luz foi apresentada pelo senador Aécio Neves do PSDB; Dilma prefere o silêncio.


senador do PSDBAécio Neves, surpreendeu a todos, nesta terça-feira (11/12), ao apresentar proposta para a redução superior a 20% no valor da conta de luz, patamar acima do que a presidente Dilma Rousseff prometeu durante a campanha eleitoral deste ano e já afirmou não ter condições de cumprir.

A proposta do senador Aécio Neves – PSDB – é de que o governo federal deixe de cobrar alguns tributos que incham o valor da conta de luz paga pelo cidadão brasileiros, com o PIS/Cofins e a Taxa de Fiscalização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“Esse caminho levaria a uma diminuição da conta de luz maior que os 20% propostos (pelo governo federal), mas sem desorganizar um setor que precisa continuar investindo”, disse Aécio Neves – PSDB –, lembrando que a proposta empurrada a fórceps pela presidente Dilma traz o sério risco de causar um colapso no setor energético brasileiro, como já alertaram especialistas, inclusive, ligados ao PT.

Caso a presidente Dilma Rousseff se pronuncie e apoie a proposta de Aécio Neves, fará como o PSDB, que em São Paulo e Minas Gerais - dois dos estados que o partido governa – já tomou medida semelhante ao reduzir e até zerar a cobrança de impostos estaduais – ICMS – da conta de luz de famílias pobres.

Até o momento, a presidente Dilma e o PT preferiram se silenciar sobre a proposta, certamente porque não irão abrir mão de impostos pagos pelos cidadãos brasileiros que geram arrecadação para o governo federal.

Bom lembrar que a Medida Provisória 579, editada pela presidente, coincidentemente não gera perda de receitas de impostos para a União, ao contrário do que acontecerá com estados e municípios.

Mesmo que, numa visão realista, não se pode esperar muito, fica o desejo de que a presidente Dilma Rousseff se posicione sobre a proposta de redução maior que 20% apresentada pelo senador do PSDB Aécio Neves.

Governador de Minas Gerais recebe prêmio como líder em eficiência na administração pública

Anastasia foi escolhido pela capacidade de inovação e planejamento e recebeu honraria do Grupo de Líderes Empresariais (LIDE).

Antonio Anastasia recebeu o prêmio nesta segunda-feira (10), em São Paulo.

O governador Antonio Anastasia recebeu, na noite dessa segunda-feira (10), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo (SP), o prêmio de Líder em Eficiência na Administração Pública 2012, uma das 23 categorias do 2º Prêmio Líderes do Brasil.

Promovida pelo Grupo de Líderes Empresarias (LIDE), a premiação tem como objetivo projetar empresas e líderes em reconhecimento aos esforços empreendidos para posicionar o Brasil em patamar de liderança mundial.

Parabéns BH: BH faz 115 anos e enfrenta desafio da mobilidade urbana

São 2,3 milhões de habitantes. A Avenida do Contorno é agora uma das muitas vias sufocadas pelo trânsito intenso. A estrutura urbana ultrapassou, e muito, o limite do projeto de Aarão Reis e a cidade se confunde com seus arredores. Como na inauguração há 115 anos, Belo Horizonte está em constante construção. As vias feitas para melhorar o acesso dos trabalhadores passam por obras que parecem intermináveis, para abraçar 1,3 milhão de veículos que por elas circulam.

A comemoração do aniversário chega com o desafio: como conter a multiplicação dos carros nas ruas. E o prefeito Marcio Lacerda, que se prepara para novo mandato, concorda: “A mobilidade é um problema não só das grandes cidades, mas das médias e pequenas. Dobramos o número de veículos em Belo Horizonte em 10 anos, aproximadamente de 700 mil para 1,5 milhão, com um pequeno acréscimo na estrutura viária de transporte de massa”.

A aposta por enquanto está no BRT (bus rapid transit). A Avenida Antônio Carlos, construída lá nos anos 1940 para levar a classe mais opulenta da cidade ao complexo de recreação criado na Pampulha por JK e desenhado por Oscar Niemeyer, é reformada para a passagem do novo transporte de massa. O BRT rodará também na Pedro I, Pedro II e Região Central, vias com projetos em andamento.

A prefeitura prevê a passagem do novo veículo também pela Avenida Amazonas e inicia, em 2013, o projeto de implantação. Mas o modelo recebe crítica antes mesmo de chegar. “Cidades do mundo que pensam no futuro investem em bicicletas e carros elétricos. O BRT já é ultrapassado”, diz a professora e historiadora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Regina Helena Alves da Silva. Ela avalia que a capital nasceu com uma promessa de futuro, apostando no desenvolvimento, e isso ficou perdido em sua história.

De acordo com Lacerda, cerca de 50% da população usa o transporte de massa e a meta é passar para 70% em 2030. O que, nos cálculos da prefeitura, significa 1,5 milhão de passageiros por dia viajando de ônibus, metrô e BRT. O 115º aniversário da cidade deve ser marcado também pela abertura de mais corredores de tráfego. Desta vez, como no passado, não para simplesmente permitir o acesso mais fácil de pessoas a outras regiões, mas para desafogar as principais avenidas. Assim, serão concebidas as vias 710 e 210. A primeira cortará as regiões Leste e Nordeste, passando pelas avenidas dos Andradas e Cristiano Machado. A segunda ligará as avenidas Tereza Cristina, na Região Oeste, e a Via do Minério, no Barreiro.

E mais...

Outras intervenções ainda estão por vir. Junto com o governo do estado, o plano é investir R$ 3 bilhões no metrô e no transporte público da região metropolitana, como construção de terminais em sete municípios e um corredor de ônibus no Complexo da Lagoinha. O novo ano chegará com a esperança de que velhas promessas sejam concretizadas. Uma delas é a construção da nova rodoviária na tentativa de desafogar o Centro. Outra é a melhoria do Anel Rodoviário. Para o Vetor Sul, estudos estão sendo feitos para a implantação de um sistema de transporte de massa, mas a prioridade, segundo Lacerda, é que o metrô chegue à Savassi e ainda ao Belvedere.

E para onde a metrópole vai crescer? No Vetor Sul, o Belvedere já se encontra com Nova Lima e os condomínios da cidade da Grande BH atraem cada vez mais moradores, que decidiram fugir do barulho e do trânsito caótico da capital. Do outro lado, no Vetor Norte, a Região do Isidoro ainda não saiu do papel. Um projeto de urbanização, que mantém 45% do terreno permeável, foi feito na tentativa de impedir que a área verde de 10 quilômetros quadrados, maior que o perímetro da Contorno (8,9 quilômetros quadrados), continue sendo ocupada por moradias irregulares. O Isidoro é uma das últimas áreas não parceladas da capital e faz divisa com o município de Santa Luzia.

A data do aniversário, bem no fim do ano, serve ainda para renovar expectativas. E talvez a principal seja a tão esperada projeção no cenário internacional a ser conquistada com as competições internacionais de futebol. Em 2013, chega a primeira, a Copa das Confederações, e o Mineirão, estádio inaugurado em 1965, está quase pronto para abrigá-la. No ano seguinte, a Copa do Mundo, evento que vem fazendo, há alguns anos, a cidade mudar a cara. E que venham os visitantes. Belo Horizonte têm 115 anos de história para contar.


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

PSDB diz que para baixar conta de luz, Dilma devia seguir os exemplos dos governos de SP, MG e PR


O PSDB reagiu rápido a estratégia do Palácio do Planalto de jogar para cima da oposição um eventual recuo na sua promessa de reduzir em média 20% a conta de luz dos brasileiros.
A medida foi anunciada em plena campanha eleitoral, na tradicional cadeia nacional de rádio e TV que o presidente da República de plantão costuma convocar na véspera da comemoração da independência do pais, embora o benefício só fosse ser implementado em janeiro.
A presidente Dilma Rousseff esqueceu-se, na ocasião, de explicar que a medida estaria a adesão das empresas estaduais de energia de arcar com a maior parte desta conta, sem que o governo federal abrisse de quase nada da sua gorda fatia de impostos federais que pesam hoje sobre a conta de luz de todos os brasileiros, não só de alguns.
A iniciativa de Dilma foi encarada pelo mercado como uma repetição do filme da Petrobrás, que perdeu para a Ambev na semana passada o posto de maior empresa da América Latina, por conta das inúmeras intervenções políticas em sua gestão.
Numa clara demonstração de que as críticas feitas hoje à MP 579 não tem nenhum viés partidário ou oposicionista, basta lembrar o que o ex-presidente da Eletrobras no governo Lula, Luiz Pinguelli, Rosa disse na semana passada: o governo corre o risco de não garantir a economia anunciada para os consumidores, comprometer o fornecimento de energia do país e ainda gerar desemprego.
O fato é que os brasileiros merecem sim uma conta de luz menor. Mas é fato que o setor de energia precisa também de mais investimentos. Haja visto os sucessivos apagões que o Brasil tem enfrentado nos últimos meses.
Em Brasília mesmo, eles têm sido quase que diários. Cada dia em um bairro ou área diferente, trazendo transtornos para o trânsito, comércio e até mesmo para o setor público federal.
O presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra, divulgou nota oficial cobrando que a presidente Dilma honre a promessa às vésperas do primeiro turno das eleições municipais, caso contrário “será acusada de estelionato eleitoral”.
Guerra destacou que para tanto, bastaria que que o governo seguisse o exemplo das administrações tucanas de São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Lá, a conta de luz, especialmente dos mais pobres, já é mais barata.
Em São Paulo e Minas, graças a isenção de ICMS garantida àqueles que consonem até 90kW/hora.
No Paraná, 200 mil famílias com renda per capita inferior a um salário mínimo, que moram em casas de até 50 metros quadrados e consomem até 100 kw/mês, estão isentas da conta de luz. Isso quer dizer que a conta de luz dessas famílias é paga pelo Estado.
“Uma situação que não se repete em estados sob o comando do PT, como o Rio Grande do Sul’, alfineta ainda Guerra.
E conclui: “Neste instante, o que está em discussão não é a redução das tarifas de energia, com a qual nós concordamos integralmente, mas a demagogia do governo.Afogado em notórias dificuldades, o PT recorre ao falso argumento de que é o único que defende os pobres. Os ‘defensores dos mais pobres’ estão a caminho da cadeia, punidos pela Justiça. Não somos cúmplices daqueles que levaram a Petrobras à delicada situação em que se encontra, nem tampouco dos que levaram a Eletrobras a perder, em poucos dias, quase 50% de seu valor de mercado. O PT está em busca de um discurso populista, sem a menor responsabilidade democrática”.

Aécio Neves, Choque de Gestão e nada de “pibinho”

Mesmo uma década após sua implantação, o Choque de Gestão de Aécio Neves mantém Minas Gerais crescendo mais que o Brasil.

No dia em que o Choque de Gestão de Aécio Neves e Antonio Anastasia deveria ser o assunto de um primeiro encontro com 10 prefeitos de capitais e grandes cidades brasileiras, em Belo Horizonte, os resultados da economia de Minas Gerais roubaram a cena. A secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck apresentou, nesta segunda-feira (11/12), um balanço preliminar mostrando que o estado acumula, no ano, um crescimento muito superior ao do Brasil.

Fruto da continuidade da política pública – O Choque de Gestão de Aécio Neves continua como modelo de seu sucessor, Antonio Anastasia -, o desempenho da economia mineira tem se destacado do quadro nacional, tanto em relação ao seu crescimento do PIB, aumento da produção industrial e atração de novos investimentos privados.

Enquanto o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tenta de todas as formas explicar o resultado pífio do PIB brasileiro deste ano – a expectativa é que feche em torno de 1%, Minas Gerais atingiu 2,1% de variação positiva de seu PIB, no acumulado do ano (janeiro a setembro), segundo a secretária Dorothea Werneck. No mesmo período, o Brasil ficou apenas em 0,7%.

Em outubro, Minas Gerais já havia surpreendido, quando o IBGE anunciou os dados da produção industrial. O estado cresceu 2,8% de setembro para outubro, enquanto o Brasil não passou de 0,9%.

Ainda segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico, em 2012, o Governo de Minas assinou 158 protocolos de intenções de investimentos, somando R$ 17,4 bilhões, com a criação de aproximadamente 66.000 empregos. Já neste ponto, outra marca importante vinda dos tempos da implantação do Choque de Gestão de Aécio Neves: um trabalho intenso do Estado para diversificar os setores da indústria em Minas e fazer com que todas as regiões fossem contempladas com investimentos, principalmente as mais pobres.

Perto de completar uma década e no momento em que entra definitivamente na Agenda Nacional, a economia mineira também ratifica a eficiente do Choque de Gestão de Aécio Neves.

E agora companheiro? Marcos Valério diz que esquema pagou despesas de Lula

Conteúdo inédito sobre depoimento do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza à Procuradoria-Geral da República, ocorrido em setembro deste ano, veio à tona nesta terça-feira. Durante o depoimento, Valério teria afirmado que o esquema do mensalão ajudou a bancar “despesas pessoais” de Luiz Inácio Lula da Silva. Em meio a uma série de acusações, o empresário também disse que o ex-presidente deu “ok”, em reunião dentro do Palácio do Planalto, para os empréstimos bancários que viriam a irrigar os pagamentos de deputados da base aliada.

No início de novembro deste ano, em uma outra reportagem, dessa vez publicada pela revista Veja, o empresário Marcos Valério disse que teria sido procurado por integrantes do PT, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para negociar com pessoas supostamente envolvidas no assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em 2002.

Nesta terça-feira, com novos detalhes do depoimento à Procuradoria-Geral da República, a Agência Estado afirma que Valério ainda afirmou que Lula atuou a fim de obter dinheiro da Portugal Telecom para o PT. O empresário teria dito também que seus advogados são pagos pelo partido. Também deu detalhes de uma suposta ameaça de morte que teria recebido de Paulo Okamotto, ex-integrante do governo que hoje dirige o instituto do ex-presidente, além de ter relatado a montagem de uma suposta “blindagem” de petistas contra denúncias de corrupção em Santo André na gestão Celso Daniel. Por fim, acusou outros políticos de terem sido beneficiados pelo chamado valerioduto, entre eles o senador Humberto Costa (PT-PE).

A reportagem de o Estado de S. Paulo  garante que  teve acesso à íntegra do depoimento, assinado pelo advogado do empresário, o criminalista Marcelo Leonardo, pela subprocuradora da República Cláudia Sampaio e pela procuradora da República Raquel Branquinho.

Valério disse ter passado dinheiro para Lula arcar com “gastos pessoais” bem no início de 2003, quando o petista já havia assumido a Presidência. Os recursos foram depositados, segundo o empresário, na conta da empresa de segurança Caso, de propriedade do ex-assessor da Presidência Freud Godoy, uma espécie de “faz-tudo” de Lula.

O operador do mensalão afirmou ter havido dois repasses, mas só especificou um deles, de aproximadamente R$ 100 mil. Segundo o depoimento de Valério, o dinheiro tinha Lula como destinatário. Não há detalhes sobre quais seriam os “gastos pessoais” do ex-presidente.

Ainda segundo o depoimento de setembro, Lula deu o “ok” para que as empresas de Valério pegassem empréstimos com os bancos BMG e Rural. Segundo concluiu o Supremo, as operações foram fraudulentas e o dinheiro, usado para comprar apoio político no Congresso no primeiro mandato do petista na Presidência.

Portugal Telecom

Em outro episódio avaliado pelo STF, Lula foi novamente colocado como protagonista por Valério. Segundo o empresário, o ex-presidente negociou com Miguel Horta, então presidente da Portugal Telecom, o repasse de recursos para o PT. Segundo Valério, Lula e o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, reuniram-se com Miguel Horta no Planalto e combinaram que uma fornecedora da Portugal Telecom em Macau, na China, transferiria R$ 7 milhões para o PT. O dinheiro, conforme Valério, entrou pelas contas de publicitários que prestaram serviços para campanhas petistas.

Procuradoria-Geral da República

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, avisou por meio de sua assessoria de imprensa que não fará nenhum comentário sobre a revelação de depoimento de Marcos Valério à Procuradoria-Geral de República e que só falará sobre o assunto depois da conclusão do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal. 

Arquivo do blog