Artigos? Envie para o email marcelopassossenador@gmail.com

Pesquisa Web

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Praças pequenas e cheias de vida encantam em BH

Como os movimentados espaços públicos, áreas de lazer de até 13m² acolhem visitantes para descanso e namoro na capital. A maioria delas é bem cuidada, inclusive pelos vizinhos

“Oh! Sim, as ruas têm alma! Há ruas honestas, ruas ambíguas, ruas sinistras, ruas nobres, delicadas, trágicas, depravadas, puras, infames”, constata, no livro A alma encantadora das ruas, o cronista João do Rio. E quem há de negar que as praças também têm alma? Algumas são amplas, monumentais, elegantes e, ainda assim, têm o aconchego do convívio familiar, como a da Liberdade, no Bairro Funcionários, Centro-Sul de Belo Horizonte. Outras têm caráter ambíguo: acolhem cândidas senhoras com cães encoleirados e oferecem bancos e canteiros a casais ardentes, lascivos – é assim a Raul Soares, no Centro. E há aquelas pequenas, muitas sem nome, mas que também conquistam o afeto dos vizinhos.

BH tem pelo menos 765 praças, segundo levantamento de oito das secretarias regionais – apenas a Noroeste não forneceu números. A maior é a da Lagoa Seca, no Bairro Belvedere, Região Centro-Sul, com 27.783m², mas ao menos 192 delas têm área de até 400m². Com apenas 13m², a menor é a Desembargador Emydio Brito, um canteiro circular que, pouco sociável (não tem bancos), serve de rotatória para veículos que chegam pelas ruas João de Freitas, José Ribeiro e Coletor Celso Werneck, no Bairro Santo Antônio. Existe outra que, apesar de sua área não ter sido medida, disputa o posto de mais miúda da capital. Anônima, espremida entre os carros, ela fica no encontro das ruas Mantena, São João da Ponte e Pium-i, no Bairro Sion.

FLAMBOYANT 

A pracinha sem nome tem um flamboyant de copa larga que, pouco denso, projeta uma sombra fragmentada. Os galhos brigam por espaço com fios da rede elétrica. O canteiro tem fendas e rachaduras. O único banco é verde e comprido, devem caber umas 12 pessoas. Como toda praça, essa tem visitantes assíduos e outros eventuais. Cedo, costuma ser frequentada por idosos. Durante o intervalo para o almoço, um açougueiro, que trabalha num sacolão próximo, também gosta de descansar ali, como constatou a arquiteta Márcia Bordelo, que mora em um prédio em frente à ilhota rodeada por asfalto. “À noite, virou ponto de uso de drogas. A gente passa perto e sente o cheiro, vê os jovens fumando”, diz.

Quem cuidava da pracinha era a bem-humorada Delma Fernandez Cyrino, de 79 anos. Até um ano atrás, antes de o médico proibi-la de carregar peso ou fazer muito esforço, a aposentada descia do apartamento para aguar o flamboyant. Todos os dias, tinha de andar um bocado para reabastecer várias vezes o regador em uma torneira do prédio. Como sempre roubavam as flores que ela plantava, desistiu de cultivá-las. E anda achando a árvore um tanto melancólica. “Sentiu a falta de água. Está meio sorumbática. Olhe pra você ver: não tem flor. Ficava carregada”, lamenta. Ela critica o fato de ter quem jogue no canteiro bitucas de cigarro, pedaços de papel e outros resíduos. “O lugar é pequeno, mas é bom. A gente senta aqui durante a tarde,quando há crianças com babás”, diz.
É nas praças que muitos amores ganham seus primeiros beijos e vicejam. Poucas delas em BH veem tantos namorados estreantes quanto a Dom Silvério, situada em um movimentado cruzamento no Bairro São Pedro. Ela foi adotada pelo Colégio Marista Dom Silvério. No início e no fim da tarde, depois de encerradas as aulas, muitos estudantes esperam na praça pelo pai que vai buscá-los ou pelo ônibus que os levará para casa. É comum que os bancos sejam ocupados por casais, que trocam os últimos afagos antes de se despedirem, com os olhares apaixonados e já cheios de saudade.

A Dom Silvério tem no centro um vigilante busto do religioso que lhe dá nome. Os cantos dos pássaros que pousam em suas árvores é quase sempre sufocado por buzinas e roncos de motor de carros e motos. Com 320m² e o formato aproximado de um triângulo, a praça é frequentada também por funcionários de empresas da região que, após o almoço, aproveitam ali o resto do intervalo antes de voltarem à labuta. É o caso do auxiliar de serviços gerais Aloísio Fernandes, de 50. “Venho quase todo dia. Tem muita sombra, é uma pracinha muito bem cuidada, não há pichações”, elogia, sentado em um dos bancos.
Ideais para o bate-papo

Ao lado de bar tradicional, a Ernesto Tassini, no Santa Tereza, fica vazia durante o dia, mas enche à noite (Ângelo Pettinati/Esp.EM/D.A Press)
Ao lado de bar tradicional, a Ernesto Tassini, no Santa Tereza, fica vazia durante o dia, mas enche à noite
As pracinhas não costumam ter muitos frequentadores, mas há exceções. Uma delas é a Ernesto Tassini, que tem 225m² e se situa no cruzamento das ruas Conselheiro Rocha, Dores do Indaiá e Alvinópolis, no Bairro Santa Tereza, Região Leste de BH. Durante o dia, poucas pessoas passam por ali, mas o movimento aumenta no fim da tarde e continua madrugada adentro, especialmente por causa de um famoso vizinho, o Bar do Orlando. Como o bar tem pouco espaço, muitos clientes se acomodam em bancos de cimento da praça.

“Ninguém viria à praça se não fosse o bar, mas se ela não existisse, o lugar seria muito menos interessante, não seria tão aconchegante”, observou a advogada Jane Santos, de 35, que em uma tarde bebia cerveja no bar. “Quem vem é uma turma mais eclética, mais alternativa”, disse.

Também em Santa Tereza, há uma praça solitária no encontro das ruas Oligisto e Conselheiro Rocha. É raro que alguém visite a Maria Dolores, mas no canteiro de plantas há sinais de presença humana, como caixas de fósforos vazias e amassadas, restos de jornal, latinhas de cerveja. Na tarde de sexta-feira, quem se aproximava de um de seus três bancos, revestidos com azulejos coloridos, sentia um cheiro forte de podridão. Escondida atrás do assento, havia uma galinha preta morta dentro de uma sacola plástica vermelha, junto a garrafas de vidro aos pedaços.

Apesar de serem locais públicos, há quem frequente pracinhas em busca de privacidade. É o caso de Nayra Martins, de 21. Ela trabalha como operadora de caixa em um supermercado no Bairro Sagrada Família, Região Leste. No meio da tarde, no intervalo do expediente, ela gosta de descansar na Praça Charles Simão, um triângulo de 149,5m² no cruzamento das ruas Jaques Luciano, Vicentina de Souza e Santa Marta. Às 16h30 de sexta-feira, com o lugar quase inteiramente protegido do sol por copas de árvores, a moça tomava um sorvete com o colega Ricardo de Souza, 34, fiscal de loja. “Aqui está sempre vazio. Fico mais à vontade para conversar”, explica Nayra.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/10/29/interna_gerais,464809/pracas-pequenas-e-cheias-de-vida-encantam-em-bh.shtml

Mousse rápido de chocolate

Ingredientes

400 gramas de chocolate ao leite picado
1 lata de creme de leite sem soro
4 claras

Modo de preparo

Derreta o chocolate em banho maria. Deixe esfriar e misture o creme de leite. Reserve. Bata as claras em neve e incorpore delicadamente no chocolate. Distribua em taças e leve a geladeira até firmar.

"Tarado do Dona Clara" é reconhecido por 27 vítimas de abuso sexual

O auxiliar administrativo Marcel Barbosa dos Santos, de 30 anos, foi localizado depois que militares do 13º Batalhão da PM identificaram a motocicleta usada nos ataques a adolescentes nos bairros Dona Clara, Jaraguá, Santa Rosa, São Luiz e Ouro Preto.

O homem que espalhou pânico entre mulheres na Região da Pampulha, em Belo Horizonte, chamado de “tarado do Dona Clara”, foi preso no fim da tarde de ontem. O auxiliar administrativo Marcel Barbosa dos Santos, de 30 anos, foi localizado depois que militares do 13º Batalhão da PM identificaram a motocicleta usada nos ataques a adolescentes nos bairros Dona Clara, Jaraguá, Santa Rosa, São Luiz e Ouro Preto. Levado para a sede da unidade policial, ele confessou as agressões e alegou que teve surto psicótico, já que quando criança sofreu abuso sexual.

Entre as 20h e as 23h, 27 vítimas de Marcel estiveram na sede do 13º BPM. Segundo a polícia, elas não tiveram dúvidas em apontá-lo como o criminoso. A maioria tem 16 e 17 anos, mas há uma criança de 12 e uma jovem de 24 anos também. “Eu estava com uma amiga no Jaraguá, quando ele parou a moto e me pegou pelo braço. Consegui me soltar e ele arrancou a moto e ficou olhando para trás e debochando”, contou a garota de 12 anos, atacada na sexta-feira.

Outra vítima, de 16 anos, que viu o agressou sem capacete, revelou: “Eu estava chegando em casa, vindo da escola, quando ele desceu da motocicleta e fingiu que estava tocando o interfone numa casa. Quando passei, ele me agarrou por trás, me deu uma gravata e enfiou a mão debaixo de minha saia. Comecei a gritar pelo meu pai e quando escutou um barulho no portão da minha casa, ele me largou e fugiu na moto.”

O deboche era comum depois dos ataques, segundo as adolescentes. De acordo com o capitão Waldemiro Gomes de Almeida, desde que surgiram as denúncias, usando uma motocicleta da marca Dafra, de cor escura, o serviço de inteligência (P2) passou a monitorar possíveis suspeitos. “Tínhamos informações de duas letras da placa da moto (HH), e dois números (35). Fizemos checagem das possíveis combinações de placas de motos com a mesma característica. Constatamos que havia uma denúncia de um ataque a uma mulher no Ouro Preto, cuja placa batia com a do acusado.”

Militares foram ao prédio onde Marcel mora de favor, no Jaraguá. Ele é solteiro, mas tem uma namorada há 10 anos. Segundo a PM, ele disse que quando era criança seus primos o obrigavam a fazer sexo oral. Desde setembro, ele alega ter surtado e começado a atacar as mulheres pela manhã quando iam para a aula ou na hora do almoço. Marcelo foi levado para o plantão da Delegacia Seccional de Venda Nova, mas, como não foi preso em flagrante nem havia mandado de prisão, poderia ser solto.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

ONG promove ressocialização de cães ferozes

Cães ferozes podem ser domados e merecem uma segunda chance até mesmo para adoção

Eles estão soltos pelas ruas de Belo Horizonte e, para muitos, são uma ameaça. Mas, para outros, os cães ferozes podem ser domados e merecem uma segunda chance. Pensando nisso, o diretor de uma organização não governamental encontrou uma brecha em uma lei municipal para salvar os pit bulls recolhidos pela prefeitura. Já um agente do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) usa o tempo livre no trabalho para ressocializar cachorros de grande porte encontrados em estado agressivo nas ruas. O desafio é achar quem enfrente o medo de um possível ataque e aceite abrigá-los. 

Funcionário do CCZ, William Gonçalves conseguiu reabilitar um pit bull que matou o próprio dono. “Não é nada demais. Só trabalho com o comportamento animal. Não tem segredo”, diz o agente de endemias do CCZ, que faz recolhimento de cães de rua. Desde que passou no concurso público, em 2008, ele começou o trabalho paralelo de ressocialização. Já são 38 animais reabilitados, dos quais muitos ganharam novo lar. “Respeito aos animais é algo novo no Brasil, não está na nossa cultura ainda”, conta ele, que tem apenas o ensino médio completo, mas é perito em psicologia canina. Para isso, foi preciso força de vontade. O incentivo veio do curso de formação oficial de controle animal, que tratou de ética com os cães. Foi o pontapé inicial para a busca de bibliografias em livrarias e sebos. 

Os cães grandes agressivos devem ser levados para eutanásia se o dono não aparecer em três dias. Mas aqueles em que William vê potencial de melhoria ficam no CCZ, inclusive os que atacaram outros animais ou donos. Ele explica que a maioria dos rotweillers, dogos argentinos, filas e pastores alemães recolhidos eram de uma família com posse responsável. “Quando a emoção de ter um cão desses passa, o dono o confina em uma corrente ou canil e o deixa isolado”, diz. Acuado e sem contato, o animal sente a necessidade de ser líder, pois não tem mais a figura que o comanda. “Ele entra em estado de alerta. É instinto do animal de grande porte. Preso, ele avança para se defender. São soltos nas ruas muitas vezes após maus tratos”, conta.

Segundo William, 80% dos cachorros recolhidos foram ressocializados. Bastam técnicas de comportamento. William passeia com eles pelo pátio, impõe disciplina e dá carinho: “Em casa, as pessoas só dão carinho e perdem o controle do cão”, diz. O processo pode levar até dois anos. O agente conseguiu socializar até cães que procriam na natureza e se alimentam de restos de comida e de pequenos animais, sem contato com pessoas.

ADOÇÃO

Depois da ressocialização, vem a parte mais difícil: convencer as pessoas de que o cão não é mais agressivo e pode voltar a viver em um lar. Mas, segundo William, a aceitação aumentou depois que ele começou o trabalho no CCZ. O marceneiro Carlos Araújo de Souza não se arrepende de ter adotado Shakira, a dogo argentino de 4 anos, hoje o xodó da casa. “Ela avançou em mim quando cheguei perto da grade para conhecê-la. Percebi que ela queria apenas defender o território”, conta. Bastaram 10 minutos de convívio para que ela aceitasse sua presença. “Ela é dócil e brincalhona”, diz. 

O mesmo aconteceu com o rotweiller Leão, de 6 anos, recolhido na rua. Há nove meses, o motorista Bruno Santos queria um cachorro para vigiar seu sítio. “Fiquei amigo dele antes de levá-lo. Sabia que foi agressivo e era aparentemente assustador. Mas hoje é superdócil”, lembra. Até seus filhos, de 1 e 4 anos, brincam com Leão. 


Uma chance para pit bulls

A Lei Municipal 8.354, de 2002, proíbe propriedade, importação, adoção, comercialização, criação e manutenção de pit bulls em BH. Por isso, cães da raça que chegam ao Centro de Controle de Zoonoses são sacrificados. Alguns, no entanto, permanecem durante processos na Justiça. William e seu colega de trabalho Sidnei Giovane não perdem tempo. O pit bull que matou o próprio dono e outro que matou uma poodle hoje são dóceis. “Eles são enérgicos, precisam se exercitar, senão explodem. Não foram feitos para atacar pessoas, mas para rinhas. Não gostam é de outros cachorros”, explica. 

Os veterinários do CCZ decidem quais animais treinados por William podem ser adotados. Se não fosse a lei, ele indicaria alguns pit bulls. Mesmo sabendo que o provável caminho é a eutanásia, Giovane faz desse tempo deles vivos o melhor possível. “A gente sabe do destino, mas faz o trabalho. É válido ocupar a mente com coisa boa”, diz.

O diretor da ONG Resgate Animal, Filipe Soldati, quer mudar a história desses pit bulls. Ele encontrou uma brecha na lei: o parágrafo que permite doação apenas para fins acadêmicos. Ele se reuniu com representantes da Secretaria Municipal de Saúde e fez acordo verbal para ficar com os cães recolhidos para estudar o comportamento. Soldati só espera o CPNJ da ONG para entrar com petição na prefeitura. Segundo a parceria, ele não poderá doar os animais para ninguém. “Quero pegar esses cães e fazer a ressocialização. A ideia é que a prefeitura faça acompanhamento mensal e dê ajuda de custo”, conta. O voluntário, que já tem nove pit bulls, pretende também entender por que eles se tornam agressivos em alguns momentos. A secretaria confirmou o pedido, mas não informou se ele foi aceito.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2013/10/29/interna_gerais,464813/ong-promove-ressocializacao-de-caes-ferozes.shtml

Cadela mergulha em lago para se refrescar na Praça da Liberdade



Lotada devido ao feriado do servidor público, comemorado ontem, a Praça da Liberdade teve um visitante que se destacou à tarde entre os demais. Diante do intenso calor, a labrador Pita, de 9 anos, não hesitou em pular no lago para se refrescar. A cadela mergulhou na água, chamando atenção de crianças e turistas. Alguns pararam para tirar fotos da cena inusitada. Sua dona, a bióloga Vera Tainá, de 26, diz que, apesar da idade avançada, Pita adora nadar no "laguinho" da praça e sempre dá trabalho para sair da água. (Juliana Ferreira)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

'Gonzaga - de pai para filho' é escolhido pelos russos como melhor longa brasileiro

6ª Mostra de Cinema Brasileiro na Rússia exibiu nove produções nacionais. Protagonista do filme vencedor bateu papo com participantes do evento

Os russos aprovaram 'Gonzaga – de pai para filho'. O longa brasileiro foi eleito o melhor filme na 6ª Mostra de Cinema Brasileiro na Rússia. A produção foi a que recebeu a maior quantidade de votos de excelente pelo público. Organizado pela Linhas Produções Culturais, em parceria com a embaixada do Brasil na Rússia e com o Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores, o evento foi realizado de 9 a 15 deste mês, em Moscou, e de 17 a 20, em São Petersburgo, e contou pela primeira vez com o apoio da Tramontina.

O vencedor 'Gonzaga – de pai para filho', do diretor Breno Silveira, foi o filme escolhido para a abertura oficial. O protagonista do longa, Chambinho do Acordeom, esteve presente e participou de debate com público.

A Mostra de Cinema Brasileiro em Moscou exibiu nove produções brasileiras, lançadas recentemente no país. Foram exibidos também: 'O som ao redor', do pernambucano Kleber Mendonça Filho, indicado pelo Brasil a concorrer a uma vaga na disputa de melhor filme estrangeiro no Oscar 2014; as comédias 'Vendo ou alugo', 'Até que a sorte nos separe' e 'De pernas pro ar 2'; e os dramas 'À beira do caminho' e 'Paraísos artificiais'. Pela primeira vez, a Mostra de Cinema Brasileiro na Rússia levou uma animação brasileira que ganhou destaque internacional, com o Prêmio Cristal de Annecy, considerado um dos principais do mundo na categoria: 'Uma história de amor e fúria', de Luiz Bolognesi.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Empresa japonesa cria vinho para gatos acompanharem os donos

A empresa japonesa B&H Life criou, o Nyan Nyan Nouveau, um vinho feito especialmente para gatos. Segundo a empresa, a bebida foi criada para que as pessoas não se sintam sozinhas e tenham com quem compartilhar um vinho, mesmo que seja um gato. 

A bebida não é alcoólica, ela é feita feito com cabernet (uva usada em vinhos) e nepenta, uma erva que possui um cheiro que atraem os gatos.

Uma garrafa de 200 ml do Nyan Nyan Nouveau custa quase R$ 10. Será que essa moda pega?

Proposta para ônibus de graça em BH aos domingos e feriados

A partir de 2014, os belo-horizontinos poderão ganhar o direito de usar o transporte coletivo aos domingos e feriados sem precisar pagar a passagem. Isso, se for aprovada na Câmara Municipal da capital mineira um projeto sobre o tema. Apresentada na sexta-feira (18), a proposta será protocolada como emenda do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) em mobilidade urbana nesta terça-feira (22), às 17 horas.

A iniciativa popular foi criada a partir de encontros da Assembleia Popular Horizontal (APH) com representantes da sociedade civil e o apoio de técnicos da área, ex-diretores da BHTrans, engenheiros e arquitetos.

De acordo com o representante da APH e professor de Urbanismo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Roberto Andrés, a expectativa é positiva quanto à aprovação da medida.  "Na semana passada houve uma mobilização popular muito grande, a gente já conversou com alguns vereadores e a proposta foi bem recebida na Câmara", comemora.

Após ser protocolada, a proposta será analisada pela Comissão de Orçamento e Finanças da Casa, composta pelos vereadores Henrique Braga, Jorge Santos, Gilson Reis, Adriano Ventura e Tarcísio Caixeta.

A expectativa é de que na próxima semana a equipe decida se o texto irá para o Plenário, onde seria votado. Caso positivo, em novembro os parlamentares decidirão o futuro da proposta. Depois que for votado na Câmara, o texto final do PPAG será enviado ao prefeito de BH, Marcio Lacerda, que terá até o dia 30 de dezembro para sancioná-lo.


Audiência

Na sexta-feira (18), durante a audiência pública do PPAG, uma comissão do movimento compareceu à CMBH para discutir as propostas de mobilidade urbana com o presidente da BHTRANS, Ramon Victor César.

No encontor, o representante da empresa afirmou que objetivo é utilizar Barcelona, na Espanha, como modelo. Na cidade da Europa 70% das viagens são feitas via transporte público.

Contudo, os integrantes do Tarifa Zero alegam que boa parte dos valores a serem investidos na área em BH, cerca de R$ 1 bilhão, é voltada para o transporte privado.

Casal de médicos que comprou edifício vai manter Bar do Bolão


Os donos do Bar do Bolão, na Praça Duque de Caxias, no Bairro Santa Tereza, Região Leste de BH, foram tranquilizados com a notícia de que o restaurante vai continuar no prédio

Depois de uma semana de apreensão com a venda do casarão tombado que abriga o estabelecimento, os donos do Bar do Bolão, na Praça Duque de Caxias, no Bairro Santa Tereza, Região Leste de BH, foram tranquilizados com a notícia de que o restaurante vai continuar no prédio. Segundo um dos sócios do bar, Sílvio Eustáquio Rocha, o casal de médicos que adquiriu o edifício informou que não pretende tirar os inquilinos do local.
Ele explicou que um oftalmologista, que preferiu não se identificar, entrou em contato com ele para marcar um encontro em 10 dias, quando todos os documentos da venda já devem estar prontos. Sílvio disse que os compradores acertam detalhes do pagamento com os 15 herdeiros do casarão. Ele informou ainda que a família de compradores do prédio esteve no bar no domingo para comemorar o desfecho do negócio, que se arrastava desde   junho de 2011. 

Irmão de José Maria Rocha, o Bolão, Sílvio Rocha afirmou que a conversa acalmou sua família. Desde que duas propostas para aquisição do prédio por R$ 2,5 milhões foram anunciadas no mês passado, eles estavam com medo de ter de abandonar o edifício que alugam há quase meio século. “Ele informou que nós e os nossos 70 funcionários podemos ficar calmos, que não vai tirar a gente daqui. Quer ser nossa parceira”, conta. 

RESTAURAÇÃO

Segundo Sílvio Rocha, o médico contou que pretende usar apenas um pequeno espaço do prédio, mas não revelou para qual finalidade. Também se mostrou interessado em reformar a fachada do imóvel, tombado há dois anos. O casal não falou quais são os projetos. 

Após tantas especulações sobre o futuro do Bar do Bolão, a tendência é de que ele permaneça no endereço por mais algumas décadas. Reduto boêmio mais tradicional da capital mineira, o estabelecimento leva o nome de José Maria Rocha. Bolão foi trabalhar no local com o pai, José Rocha Andrade, um ano depois da inauguração na praça. Logo ganhou o apelido do filho do dono, que criou o prato Rochedão, muito conhecido.

Ladrão assalta ônibus e é espancado em BH

Vítimas ficaram revoltadas após bandido esfaquear motorista do coletivo

Um homem de 36 anos foi espancado por passageiros de um ônibus durante um assalto, na madrugada desta terça-feira (22), no bairro São Francisco, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Segundo militares do 13º Batalhão de Polícia Militar, Teófilo Dias da Silva e mais dois comparsas entraram no coletivo da linha 5390 (Felixlândia / Belo Horizonte) e anunciaram o assalto na avenida Antônio Carlos.

Após recolherem os pertences dos cinco passageiros e o dinheiro do cobrador, dois homens fugiram, mas Silva entrou em luta corporal com o motorista.

Durante a briga, ele desferiu uma facada no braço do condutor do veículo. Revoltados com a situação, os passageiros começaram a agredir o ladrão com socos e chutes. A polícia foi acionada e, quando chegou ao local, o homem estava muito machucado.

Ele, o motorista e uma senhora que passou mal durante o crime foram socorridos e encaminhados para um hospital de Venda Nova. Ninguém corre risco de morte.

Após receber alta médica, o criminoso será encaminhado à delegacia da região. Os outros assaltantes não foram localizados. 

Em quarentena, Leon e Lou Lou já demostram interesse um pelo outro

Os gorilas Leon e Lou Lou, que desembarcaram no Zoológico de Belo Horizonte no último dia 12, já demostram interesse um pelo outro. De acordo com a Seção de Veterinária da Fundação Zoo-Botânica, os dois mantêm contato visual e não demostram nenhum tipo de agitação e agressividade. A aproximação deles irá ocorrer de forma gradual.

Por enquanto, Leon, de 14 anos, e Lou Lou, de 9, estão em quarentena e, a expectativa é de que o casal se junte a Imbi em meados novembro. Os gorilas estão se alimentando com frutas, legumes, ração e verduras. Nos próximos dias, eles devem ser submetidos a exames para constatar a condição geral de saúde dos animais.

O local onde o casal está hospedado conta com câmeras de monitoramento 24 horas por dia, recebeu camas-ninho e cordas para que eles possam brincar e reproduzir as condições da área de manobra do recinto de visitação. Para o diretor do Zoológico, Carlyle Mendes Coelho, a expectativa de adaptação dos novos animais é a melhor possível. “Pelo comportamento tranquilo apresentado pelos gorilas até o momento, acredito que a interação entre os três animais será muito boa”, disse.

A expectativa é que a nova família de primatas, únicos da espécie na América do Sul, devolva o brilho ao zoológico e consiga a reprodução em cativeiro. O tempo de vida dos  gorilas é de 35 anos na natureza e de 50 anos em cativeiro.

Atualmente existem cerca de 100 mil indivíduos da subespécie Gorilla gorilla gorila ou Gorila da Planície Ocidental na natureza, e 851 em zoológicos e em outras instituições. O Brasil é o único país da América do Sul a contar com três indivíduos dessa subspécie.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Tumulto em manifestação contra leilão do Campo de Libra


Os agentes da Força Nacional reagiram à aproximação de manifestantes com gás lacrimogêneo, bombas de efeito moral e tiros de bala de borracha

Pelo menos seis pessoas ficaram feridas com balas de borracha em confronto entre manifestantes e homens da Força Nacional de Segurança, na Barra da Tijuca.

Os manifestantes protestam contra a primeira rodada de licitação do pré-sal, marcada para esta segunda-feira (21), às 15h no Windsor Barra Hotel.

A confusão começou depois que manifestantes derrubaram a grade que separava o protesto dos homens da Força Nacional.

Os policiais reagiram com balas de borracha, spray de pimenta e bombas de efeito moral. Dois feridos estão sendo atendidos em uma ambulância do Corpo de Bombeiros que está no local.

Os manifestantes continuam posicionados em frente às grades, que foram recolocadas, agitando bandeiras de partidos políticos, movimentos sociais e sindicatos.

Nesta tarde, o hotel receberá as propostas dos consórcios que se formarem a partir das 11 empresas habilitadas a participar do leilão para a partilha do Campo de Libra, que detém a maior reserva de petróleo já descoberta no Brasil, com entre 8 e 12 bilhões de barris de óleo.

Pela regra do leilão, a Petrobras terá 30% de participação e será a operadora do campo.

Ganhará o direito a explorar a área o consórcio que oferecer a maior participação do lucro-óleo à União, sendo o percentual mínimo de 41,65%. As empresas vencedoras terão que depositar um bônus de assinatura de R$ 15 bilhões.

Minas Gerais pode ter 11 novas cidades, entre elas o Barreiro

Onze distritos em Minas Gerais poderão virar cidades, caso a presidente Dilma Rousseff (PT) sancione o projeto de lei complementar PLS 98/2002, que trata da fusão, criação e incorporação de municípios. O texto foi aprovado no Senado na última quarta-feira.

De acordo com a Associação Mineira dos Municípios (AMM), o estudo indica os distritos de até 12 mil habitantes que poderiam ser emancipados por atenderam ao primeiro de uma série de critérios. Se cumprirem os requisitos e tiverem seus pedidos aprovados pela ALMG, os distritos seriam desmembrados de Belo Horizonte, Sabará, Santa Luzia, Contagem, Coronel Fabriciano, Esmeraldas, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Ibirité e Ipatinga.

Um caso que ilustra a situação é o do Barreiro, cujo primeiro pedido de desmembramento de Belo Horizonte se deu na década de 90. Os moradores da região, no entanto, ainda hoje se dividem sobre a ideia.

A estimativa no país é de criação ou incorporação de 180 cidades, o que representaria um gasto médio de R$ 9 milhões para instalar prefeituras e câmaras. A menos de um ano das eleições de 2014 e em meio à choradeira de prefeitos eleitos no ano passado com relação à queda do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o autor do texto, senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), nega que a proposta seja um agrado para a base do governo. 

Também rejeita a ideia de que a proposta facilite a criação de cidades indiscriminadamente. Ele diz que, se tivesse sido aprovado há dez anos, o texto poderia ter evitado a criação de 2.800 cidades por motivação “puramente política, sem atender a critérios populacionais e de viabilidade”. 

Pré-requisitos

O PLS 98/02 condiciona o desmembramento, fusão ou criação de municípios a um estudo prévio de viabilidade econômico-financeira, sócio-ambiental e urbana, além de político-administrativa, seguindo de um plebiscito que ficaria a cargo da Justiça Eleitoral. O levantamento seria feito por “institutos ou órgãos independentes”, acionados pelas Assembleias.

“Assembleias são um caminho, mas os estudos não seriam realizados por uma comissão de deputados e sim por instituições competentes nesse assunto”, esclarece Cavalcanti. 

Na avaliação do presidente da Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Paulo Lamac (PT), “apesar da dificuldade, aumentaria a tarefa da Casa”. “Porém, temos equipe competente para desenvolver esse trabalho em Minas”, completa.

O petista diz que pode haver veto por parte da presidente Dilma e que a comissão aguardará o posicionamento para depois convocar audiência pública e definir os critérios a serem adotados regionalmente. “Não aprovamos nenhum requerimento para audiências, pois estamos esperando a legislação federal”.

Segundo a ALMG, a Casa não recebe pedidos de emancipação desde 2000 e os requerimentos feitos pelos parlamentares entre 1996 e 1999 foram arquivados ou rejeitados.

Justinópolis tem pedido antes mesmo da sanção

Antes mesmo da validade da lei, já foi protocolado na Assembleia Legislativa o primeiro pedido de emancipação em Minas: de Justinópolis em relação a Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O autor do pedido, Valério Neto de Oliveira, preside a “Comissão Pró-Emancipação de Justinópolis”. Ele defende a causa há pelo menos cinco anos, enquanto morador, e diz que “fazia questão de ser o primeiro”.

“Tem vários motivos para querermos separar o distrito de Neves: temos 100 mil eleitores, cerca de 180 mil moradores, concentramos a maior renda per capita de Neves e queremos nos desvincular dos presídios da cidade”, conta. 

O grupo tem nove membros e, segundo Valério, sem ligação com políticos ou partidos. “A nossa bandeira é a emancipação. Convidamos a todos que queiram estar conosco”. 

BH e Nova Lima viram Alemanha por um dia em eventos regados a muita cerveja

Alguns entraram no clima e até aproveitaram para vestir trajes típicosCerca de 3 mil pessoas participam neste domingo (20) da 2º edição da Oktoberfest BH,  na Praça Duque de Caxias, no bairro Santa Tereza, na região Leste da capital. A festa, regada a muita cerveja, começou ao meio dia e reuniu famílias, casais e grupos de amigos interessados em sentir por um dia na Alemanha.Alguns entraram no clima e até aproveitaram para vestir trajes típicos. No local, os visitantes puderam assistir a apresentações musicais e provar as comidas típicas do país europeu. 

Nova Lima
Na cidade da região metropolitana, cerca de 30 mil pessoas devem passar pela 3º edição da Uaiktoberfest 2013, neste final de semana, segundo a organização. O evento reuniu mestres cervejeiros e produtores de 28 marcas diferentes da bebida . Seis delas estão instaladas no município. "A ideia é reforçar a identidade da cidade como polo das cervejas artesanais no Estado", explica a diretora de turismo da prefeitura de Nova Lima, Tatiana Pessoa. O evento, que começou na sexta-feira e termina hoje, deve movimentar cerca de R$ 300 mil. 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Após "milagres", Marcelo Oliveira pede Fábio na seleção brasileira

Treinador do Cruzeiro exaltou seu goleiro, que fez excelentes defesas contra o Fluminense

Não é de hoje que a torcida do Cruzeiro pede a presença de Fábio na seleção brasileira, e o coro tem aumentado a cada boa atuação do goleiro pela Raposa no Brasileirão. Nesta quarta-feira, foi a vez do técnico do time celeste, Marcelo Oliveira, pedir a convocação do arqueiro.

"O Fábio, há anos, sem dúvida, está jogando com uma produção muito alta. É um goleiro técnico que treina muito, é muito dedicado e exerce uma liderança muito positiva no grupo. Também faço parte do grupo que clama por uma oportunidade para o Fábio na seleção", afirmou Oliveira, extasiado com a boa atuação do goleiro, que fez excelentes defesas contra o Fluminense.

"Os milagres que ele tem feito é porque o Campeonato Brasileiro é muito difícil. Um time que se propõe a atacar como o Cruzeiro ataca, que faz muitos gols, que melhor finaliza, que é o melhor mandante e o melhor visitante, ele vai sofrer contra-ataques também e ter um bom goleiro nessa hora é primordial", completou o treinador.

A última convocação de Fábio para o escrete canarinho foi em setembro de 2011, mas o arqueiro foi cortado por lesão. Desde então, o goleiro não ganhou mais chances na seleção e a briga por um lugar ao sol na posição está acirrada. Felipão já garantiu que Júlio César será um de seus três goleiros na Copa do Mundo. Jefferson, do Botafogo, parece ter vaga garantida, e Diego Cavalieri aparece como o preferido de Scolari para fechar a lista. Victor, do Atlético, convocado para os últimos dois amistosos da seleção, contra Coreia do Sul e Zâmbia, parece ser o nome mais forte na "briga" com Cavalieri pela última vaga no escrete canarinho.

Cadela ajuda homem a descobrir câncer de mama

Mesmo raro, o câncer de mama masculino pode ser muito perigoso. Sem obter qualquer incentivo para a realização de exames preventivos como a mamografia, a detecção da doença é feita em estágio avançado na maioria dos casos, o que dificulta o tratamento e aumenta as chances de metástase.

Não fosse por uma patada da sua cadela Layka, o belo-horizontino Evandro de Azevedo, hoje morador de Campo Belo-MG, jamais teria sentido dor. Não fossem a dor e a queimação sentidas, ele não teria sequer procurado um médico. Afinal, que homem, aos 59 anos, completamente saudável, sem nunca ter adoecido gravemente, poderia desconfiar de um câncer na mama?

Nenhum. Afinal, o câncer de mama raramente acomete pessoas do sexo masculino. Para cada 100 mulheres, apenas um homem é diagnosticado com a enfermidade, e mesmo assim, na faixa etária a partir dos 65 anos. Evandro, apesar de mais jovem, foi surpreendido pela doença.

No ano passado, ele estava brincando com a Layka, sua cadela de 6 anos, da raça bernese, quando ao ficar de pé, ela apoiou uma das patas em seu peito, no lado esquerdo. Ele conta que neste momento sentiu um dor terrível, muito forte, mas não chegou a se preocupar. Cerca de três dias depois do episódio, ele sentiu um caroço se formando, mas imaginou que pudesse ser um machucado, reflexo da contusão que sofrera. Com o tempo, no entanto, o caroço foi crescendo e Evandro começou a sentir uma espécie de queimação no local. “Eu massageava, não contava para ninguém, pensava que ia passar, mas não passava”, lembra. 

Foi só no meio deste ano que ele decidiu mostrar o machucado para a família, que recomendou imediatamente a procura por um médico. Assim o fez, e após passar por uma bateria de exames em Campo Belo, o médico pediu a realização de uma biópsia, em Lavras. Com o resultado, ficou constatada a neoplasia na mama esquerda, ou o câncer de mama.

De acordo com a médica oncologista, Dra. Carolina Rutkowski, o caso de Evandro não é padrão, já que o câncer de mama nem sempre se apresenta de forma dolorosa. Nos homens, a forma mais comum de se descobrir a doença é ao notar a presença de um nódulo endurecido, que pode ser fixo ou móvel, característica que varia de acordo com o estágio da enfermidade. “Como o homem não tem a mama volumosa, como a da mulher, fica mais fácil a descoberta”, explica a médica.

Por outro lado, a falta de recomendação por cuidados com a doença pode agravar a maioria dos casos. “Nas mulheres, o câncer de mama pode ser precocemente diagnosticado através da mamografia. Nos homens, não há recomendação para a realização do exame devido ao baixo índice de casos registrados. Dificilmente, ao notar um caroço na mama, o homem pensará em câncer. E é neste período que a doença pode evoluir”, alerta.Evandro não imaginava que a dor que sentia no peito poderia ser um câncer, tanto que demorou a marcar a consulta com o médico. Felizmente, no caso dele, apesar do longo tempo percorrido desde a descoberta do nódulo até a realização da biópsia, a doença não se espalhou para outros órgãos. Quando isso ocorre, acontece o fenômeno que os médicos chamam de metástase, uma fase muito mais perigosa e a principal causa de morte entre pacientes com câncer.

Causas

Nos homens, assim como nas mulheres, o câncer de mama não tem uma causa única, mas fatores de risco associados, tais como a mutação do gene BRCA, que é muito rara (caso da atriz Angelina Jolie), o tabagismo, o alcoolismo, a obesidade e a predisposição genética. Nos homens, porém, algumas patologias como a síndrome de Klinefelter e a ginecomastia podem elevar as chances de desenvolver a doença. O uso de hormônios também é considerado um fator de risco.Tratamento

O tratamento do câncer de mama masculino geralmente segue os mesmos princípios do utilizado na população feminina. A cirurgia ainda é a principal ferramenta terapêutica, sendo que a quimioterapia e a radioterapia podem ser indicadas. Evandro já passou por duas etapas do processo, tendo feito a cirurgia, e a primeira, das quatros sessões de quimioterapia. Apesar de ambos os métodos apresentarem uma variedade de efeitos colaterais e exigirem uma série de cuidados, a única coisa que tira Evandro do sério é o trajeto até Belo Horizonte. “São quatro horas de viagem e acaba ficando muito cansativo”, diz, lembrando não ter sentido “absolutamente nada” após a primeira sessão de quimioterapia. 

Para a Dra. Carolina Rutkowski, apesar deste ser um fator muito individual, que varia de paciente para paciente, é também graças aos avanços da medicina que os efeitos da quimioterapia têm ficado mais brandos, ao passo que as chances de cura da doença têm aumentado cada vez mais. “Graças às infinitas opções de tratamento, a taxa de sobrevida para pessoas que tiveram um câncer têm aumentado ao longo do tempo. Para os cânceres descobertos ainda no estágio 1, por exemplo, há 95% de chances de cura”, comemora.

Com fé nas estatísticas, nos médicos que o acompanham e em Deus, Evandro não tem mais do que se queixar. Para ele, a vida segue normalmente, e seu único objetivo neste momento é terminar logo o tratamento. Assim, ele terá mais tempo para desfrutar ao lado de Layka e da esposa Vera.

Morre o ex-deputado Miguel Martini

O corpo está sendo velado, desde as 10h desta quinta-feira (17) no Bosque da Esperança, mesmo local em que será sepultado, às 16h

Faleceu, na noite desta quarta-feira (17), aos 58 anos, o presidente do Instituto Mário Penna, e ex-deputado, José Miguel Martini, vítima da doença que tanto ajudou a combater - o câncer.

Ele estava internado há um mês no hospital Luxemburgo, em Belo Horizonte, onde tratava de uma leucemia.

O corpo será velado, a partir das 10h desta quinta-feira (17) no Bosque da Esperança, no mesmo local em que será sepultado, às 16h.

Martini era natural de Colatina (Espírito Santo) e em mais de 35 anos de vida pública, foi deputado estadual por Minas Gerais em três legislações (1995/1999 – PSDB; 1999/2003 – PSN; 2003/2007 – PSB). Seu último cargo eletivo foi de deputado federal, pelo PHS, na legislatura 2007-2011.

Seu trabalho na área política foi reconhecido nacionalmente, tendo assumido, inclusive, a presidência da UNALE (União Nacional das Assembleias Legislativas Estaduais) nos biênios 1997/98 e 1999/2000. Atualmente, exercia o cargo de secretário da UNALE.

À frente do Instituto Mário Penna, conquistou melhor estrutura para a entidade e atuava politicamente para angariar mais verbas para, então, aumentar o número de pacientes atendidos.

Atualmente José Miguel Martini acumulava o cargo de presidente da Associação dos Amigos do Hospital Mário Penna, além de ser membro do Conselho Curador da Associação dos Amigos do Hospital Mário Penna.

Sua atuação religiosa também foi destaque para os mineiros. Martini foi fundador e membro da Comunidade Cristã; apresentador do Programa "Encontro com Jesus", veiculado na TV Canção Nova e em emissoras de rádio de Belo Horizonte e diversos municípios mineiros; foi pregador da Renovação Carismática Católica e membro do Grupo Mundial de Evangelização de Políticos e Empresários; membro do Conselho Nacional da Renovação Carismática Católica, onde coordenou a Renovação Carismática Católica em Minas Gerais durante cinco anos e o Programa de Evangelização 2000 em Minas Gerais.

Miguel Martini era casado e deixa dois filhos.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Geração de empregos em setembro tem melhor resultado desde abril

Setembro foi o segundo mês consecutivo de crescimento

A geração de empregos em setembro teve o melhor resultado desde abril deste ano, com a criação de mais de 211 mil postos de trabalho formal. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje pelo Ministério do Trabalho e Emprego, o saldo do mês passado foi também o melhor dos últimos três anos, quando foram criados 246 mil postos. A mão de obra adicional no mês passado foi o resultado de aproximadamente 1,8 milhão de admissões e 1,6 milhão de demissões.

Setembro foi o segundo mês consecutivo de crescimento. Em julho havia sido registrado o pior resultado para o mês desde 2003, com 61,6 mil novas vagas. Desde maio, o Caged vinha constatando ritmo mais lento da geração de postos no mercado de trabalho. 

De acordo com o Ministério do Trabalho, o resultado do mês passado deve-se à expansão do setor de serviços, que, individualmente, criou mais de 70,5 mil postos – 33,4% de todas as vagas formais no mês. Para o ministério, o bom desempenho foi impulsionado pela expansão generalizada dos ramos que integram o setor, com destaque para os serviços em alojamento e alimentação (mais de 22 mil vagas), de comércio e administração de imóveis (20 mil) e ensino (9,8 mil).

Outros setores que tiveram desempenho positivo em setembro foram a indústria de transformação, com a criação de mais de 63,2 mil postos, e o comércio, com 53,8 mil.

Os estados com os melhores resultados foram São Paulo (45,2 mil), Pernambuco (29,9 mil) e Alagoas (16,2 mil). O único estado em que houve fechamento de vagas foi Rondônia, com menos 72 postos de trabalho. O Acre foi o segundo com o pior desempenho (268 postos), seguido pelo Piauí (379). Conforme os dados do Caged, de janeiro a setembro deste ano, houve aumento real de 2,2% nos salários de admissão – de R$ 1.076 para R$ 1.100, aproximadamente.

Governador do MS promete uma medalha “para cada bandido mandado ao inferno

" Não há aplausos para situação como essa, infelizmente mais um jovem que tem a vida interrompida em meio a criminalidade crescente, o sentimento de alivio em mais um "bandido" morto mostra a impotência do poder público quanto a solução das mazelas sociais e o clamor de socorro que gritam as famílias de bem no Brasil. Enquanto o Governo Federal em falacias diz que estamos em crescente economia mundial e varrendo as sujidades para debaixo do tapete, veremos jovens e mais jovens perdendo suas vidas frente a insuficiência governamental aos direitos fundamentais, enquanto não valorizar de verdade os profissionais da educação, saúde, segurança, como a garantia a moradia, escolas, hospitais, falta de segurança de real qualidade, não ha futuro para a solução desses problemas. Enquanto a Presidenta fica comparando governos, devia cuidar do seu mandato, governar e buscar soluções e cuidar de verdade dos brasileiros. Marcelo Passos" 

O governador do Mato Grosso do Sul André Puccinelli (PMDB) elogiou, na manhã desta quinta-feira (12), o sargento da Polícia Militar, Evanildo Gomes, que reagiu a um assalto a uma Lotérica e matou os dois assaltantes em Campo Grande. “Vou dar uma medalha para cada bandido que ele mandou para o inferno”, afirmou, durante a solenidade de formação de novos sargentos da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul.

Ele parabenizou o trabalho do sargento Gomes. “Ele mostrou eficiência e que a PM tem um ótimo treinamento”, ressaltou Puccinelli. Ele disse que a ação de Gomes foi em legítima defesa. “Foi (um ato) em proteção da sua vida e da vida de terceiros que estavam no local”, contou. No momento da troca de tiros, sete clientes estavam na fila.

Loteria
Por volta das 15h40 de ontem, o sargento Gomes estava na Lotérica quando dois assaltantes chegaram e anunciaram o assalto. Eles começaram a agredir um funcionário da lotérica e estavam armados com pistola 9 mm e um revólver 38.

O policial estava a paisana e aguardou o momento certo para reagir. Ele escondeu o revólver calibre 38 no capacete. “Foi uma ação de cinco a 10 segundos”, contou Gomes, em entrevista ao Campo Grande News ontem. Ele atirou e matou os dois ladrões, Helton Esquiver da Cunha, 19 anos, e William Mercado Nunes, 24 anos.

O governador ressaltou que a segurança pública é prioridade desde o início do Governo, em 2007. Ele contou que vai continuar investindo em efetivo e no sistema de inteligência. “Vamos fazer o trabalho mais modernizado”, frisou.

Ele contou que na semana passada, durante evento no Ministério da Justiça, o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, foi elogiado pelo desempenho da polícia em Mato Grosso do Sul. O Estado, segundo André, é um dos melhores no País no combate à criminalidade e na redução da violência.

O comandante da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto Davi dos Santos, disse que a realização de concurso público para contatar 524 novos policiais foi a grande realização deste ano. Ele disse que os índices sul-mato-grossenses são ótimos, mas os investimentos não podem parar. “É preciso ter mais efetivo e novas formas de combate ao crime, que se organiza cada vez mais, afirmou o coronel.

Espaço de tortura e símbolo da resistência vira patrimônio em BH

Que lembrança você guarda do Dops? A pergunta é simples, mas a resposta, reticente. Para Nilcéa Moraleida Bernardes, de 61 anos, ex-presa política da ditadura militar, o extinto Departamento de Ordem Política e Social rememora os gritos da tortura e da repressão.

A importância histórica desse imóvel, que guarda o sofrimento de presos políticos e a angústia das famílias, será resguardada a partir desta quarta-feira (16), com o tombamento como patrimônio municipal.

A partir das 14 horas, o imóvel, que fica na avenida Afonso Pena, região Centro-Sul de Belo Horizonte, atual sede do Departamento de Investigação Antidrogas da Polícia Civil, será tombado pelo Conselho de Patrimônio da capital. 

A Fundação Municipal de Cultura não adiantou detalhes sobre o dossiê e o que motivou o processo. Há um mês, o Ministério Público Federal, em conjunto com a Frente Independente pela Memória, Verdade e Justiça de Minas, pediu à Secretaria de Estado da Cultura e ao Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural de BH a proteção em instância municipal do imóvel.

“Um lugar como esse deve ser tombado e transformado em espaço de memória. É fundamental para que as pessoas o recebam como legado histórico e para que isso não volte a se repetir”, avalia Nilcéa, presa e torturada por mais de 60 dias, entre 1971 e 1974. 

Memorial

No local, o governo do Estado prevê a instalação do Memorial dos Direitos Humanos de Minas Gerais, que ainda não tem data para ser inaugurado, conforme a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social (Sedese).

Para a professora do Departamento de História da UFMG, Heloísa Starling, a conclusão do processo, bem como a futura destinação do imóvel, traduzem a importância simbólica para a história.

O arquiteto e urbanista Flávio Carsalade acredita na proteção do prédio, enquanto bem tombado, como representação da história política do país. “É a personificação de um momento específico e representativo da repressão do direito. Além disso, trata-se de um edifício com características modernistas, o que também justifica seu tombamento”, afirma.

Resgate da história em Minas

Belo Horizonte também vai abrigar o Memorial Nacional da Anistia, espaço de preservação e resgate da memória do regime militar brasileiro.

A inauguração do local, orçado em R$ 24 milhões, está prevista para o primeiro semestre de 2014.  O memorial vai funcionar no prédio da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da UFMG, marco da resistência à ditadura, no bairro Santo Antônio, zona Sul da capital.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seção Minas Gerais também estuda elaborar um projeto para criar um museu que contará a história da atuação dos advogados dos presos políticos durante a ditadura. A ideia é que o museu fique no prédio do antigo Dops.

Cruzeiro desafia o "carrasco" Vanderlei Luxemburgo

Desde que deixou o clube em 2004, treinador enfrentou equipe celeste 20 vezes. Retrospecto aponta 12 vitórias de Luxa. Atual técnico do Flu ganhou últimos 5 duelos

Derrotado nas últimas duas rodadas do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro tentará se reabilitar nesta quarta-feira, às 19h30, no Mineirão. Para voltar a vencer, o time celeste desafiará o retrospecto negativo em duelos com o técnico Vanderlei Luxemburgo.

Após a conquista da Tríplice Coroa, Luxemburgo foi adversário cruzeirense por 20 vezes, com 12 triunfos. Nos últimos cinco duelos, o treinador sempre foi vitorioso. O mais recente confronto aconteceu na estreia de Luxa no Fluminense. Com um gol de Fred, o Tricolor Carioca venceu por 1 a 0, no Maracanã, e deixou, naquela ocasião, a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Histórico recente

Antes de assumir o Fluminense e vencer o Cruzeiro em sua estreia, Luxemburgo já acumulava série positiva contra a Raposa. Em 2011 e 2012, por Flamengo e Grêmio, respectivamente, o técnico conquistou quatro vitórias contra o Cruzeiro. Os triunfos com o time gaúcho foram por 2 a 1, no Olímpico, e 3 a 1, no Independência. Já pelo Rubro-Negro houve revés celeste por 1 a 0, na Arena do Jacaré, e por 5 a 1, no Engenhão.

As cinco derrotas nos últimos duelos com o técnico sucederam uma série de quatro triunfos do Cruzeiro sobre os times treinados por Vanderlei Luxemburgo. Essa sequência foi iniciada na última rodada do Brasileirão de 2009. Sob o comando de Adílson Batista, a Raposa venceu o Santos de Luxa por 2 a 1, na Vila Belmiro, e alcançou uma vaga para a Copa Libertadores de 2010. Na sequência, o treinador se transferiu para o Atlético e voltou a ser derrotado.

Em clássico válido pela primeira fase do Campeonato Mineiro de 2010, Vanderlei Luxemburgo foi o responsável por comandar o Atlético na vitória cruzeirense por 3 a 1, no Mineirão. Novo triunfo sobre o ex-treinador aconteceu no Brasileirão. Já com Cuca como técnico, o Cruzeiro superou o arquirrival por 1 a 0, na Arena do Jacaré, em jogo com presença exclusiva de torcedores atleticanos.

Ainda em 2010, Cruzeiro e Vanderlei Luxemburgo voltaram a se encontrar quando o treinador assumiu o comando do Flamengo. Em jogo válido pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, o time celeste venceu o rival rubro-negro por 2 a 1, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. 

A hegemonia de Luxa

Por quase seis anos, Vanderlei Luxemburgo foi um adversário implacável para o Cruzeiro. Entre fevereiro de 2004, quando deixou a Toca de Raposa, e o fim de 2009, foram seis vitórias para o treinador e três empates em confrontos com o time celeste pelo Campeonato Brasileiro. Pela Sul-Americana de 2006, a Raposa chegou a vencer o treinador no tempo normal, mas acabou eliminada em disputa de pênaltis. 

Depois de ser campeão do Campeonato Mineiro, da Copa do Brasil e do Brasileirão, em 2003, Vanderlei Luxemburgo deixou o Cruzeiro em fevereiro do ano seguinte. Naquela temporada ele assumiu o comando do Santos e reencontrou a equipe celeste no returno do Campeonato Brasileiro. O confronto disputado no Mineirão terminou em empate por 4 a 4.

Em 2005, Vanderlei Luxemburgo se transferiu para o Real Madrid, retornando ao Santos no ano seguinte. Pelo primeiro turno do Brasileirão de 2006, o treinador comandou a equipe paulista em triunfo por 2 a 0, na Vila Belmiro. No returno, Santos e Cruzeiro voltaram a se encontrar no Mineirão e empataram por 1 a 1.

Também em 2006, o Cruzeiro superou Vanderlei Luxemburgo, mas a vitória teve gosto amargo. Pela Copa Sul-Americana, o time celeste venceu o Santos por 1 a 0, mas acabou eliminado em disputa de pênaltis. Na primeira partida, disputada no Pacaembu, o time paulista havia vencido pelo mesmo placar.

Ainda no Santos, Vanderlei Luxemburgo superou o Cruzeiro por duas vezes no Campeonato Brasileiro de 2007. Na Vila Belmiro, o triunfo santista foi por 4 a 1. Já no Mineirão, a equipe paulista somou outros três pontos com vitória por 1 a 0.

No ano seguinte, Luxa comandou o Palmeiras e voltou a vencer o Cruzeiro nos dois turnos do Brasileirão: 5 a 2 no estádio Palestra Itália e 1 a 0 no Mineirão. O treinador esteve à frente do time alviverde ainda no primeiro turno de 2009 e venceu por 3 a 1, de virada, na capital paulista. Já com Vanderlei Luxemburgo no Santos, houve empate sem gols no estádio da Pampulha, também pelo primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2009.

Os duelos entre Luxemburgo e Cruzeiro desde 2004:

Triunfos do treinador entre 2011 e 2013:

Fluminense 1 x 0 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2013
Grêmio 2 x 1 Cruzeiro - Campeonato Brasileiro de 2012
Cruzeiro 1 x 3 Grêmio - Campeonato Brasileiro de 2012
Cruzeiro 0 x 1 Flamengo - Campeonato Brasileiro de 2011
Flamengo 5 x 1 Cruzeiro - Campeonato Brasileiro de 2011

Vitórias do Cruzeiro:

Flamengo 1 x 2 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2010
Atlético-MG 0 x 1 Cruzeiro - Campeonato Brasileiro de 2010
Atlético-MG 1 x 3 Cruzeiro – Campeonato Mineiro de 2010
Santos 1 x 2 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2009

Supremacia de Vanderlei Luxemburgo:

Cruzeiro 0 x 0 Santos – Campeonato Brasileiro de 2009
Palmeiras 3 x 1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2009
Cruzeiro 0 x 1 Palmeiras – Campeonato Brasileiro de 2008
Palmeiras 5 x 2 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2008
Cruzeiro 0 x 1 Santos – Campeonato Brasileiro de 2007
Santos 4 x 1 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2007
Cruzeiro 1 x 1 Santos – Campeonato Brasileiro de 2006
Cruzeiro 1 (3) x (4) 0 Santos - Copa Sul-Americana de 2006
Santos 1 x 0 Cruzeiro – Copa Sul-Americana de 2006
Santos 2 x 0 Cruzeiro – Campeonato Brasileiro de 2006
Cruzeiro 4 x 4 Santos – Campeonato Brasileiro de 2004

Defesa Civil alerta para possibilidade de chuva com raios e ventos em BH

Alerta é válido até as 8h desta quinta-feira; no restante do Estado, o céu ficará nublado a encoberto com chuvas moderadas

A Defesa Civil de Belo Horizonte alerta para a possibilidade de pancadas de chuva, de moderada a forte, acompanhada de raios e rajadas de vento de até 50 km/h. O alerta é válido até as 8h desta quinta-feira (17).No restante do Estado, o céu ficará nublado a encoberto com chuvas moderadas a fortes que poderão vir acompanhadas de rajadas de vento e raios, principalmente em áreas do Triângulo, Oeste, Centro, Zona da Mata e Sul de Minas.

Nas demais regiões, o dia terá céu parcialmente nublado com pancadas de chuvas isoladas. As temperaturas diurnas estarão em ligeiro declínio no Centro-sul mineiro, e estáveis no restante do estado.

Redes sociais

Para divulgar informações à população, a Defesa Civil usa o Facebook e o Twitter. São repassados alertas, dicas e avisos sobre riscos de chuvas e ventanias.

Arquivo do blog